Einstein tinha razão. A gravidade do Universo não está a escapar para outras dimensões

(dr) The SXS (Simulating eXtreme Spacetimes) Project

Quando dois buracos negros colidem, formam-se ondas gravitacionais no próprio espaço

A Teoria da Relatividade de Albert Einstein continua firme. É a conclusão de uma equipa de investigadores, que testou a teoria do famoso físico e concluiu que a gravidade do Universo não está a escapar para outras dimensões.

São boas notícias: o Universo não vai desaparecer e escapar para uma dimensão estranha.

A possibilidade de uma fuga interdimensional de gravidade tem a sua origem teórica nas mesmas dimensões físicas do Universo que serviram de base à Teoria da Relatividade Geral de Einstein – as três dimensões espaciais e a quarta dimensão, o tempo. Ou seja, não tem qualquer ligação com a ideia de dimensões alternativas ou universos paralelos.

Se houver alguma dimensão além destas quatro, não seremos capazes de as detetar. Mas as ondas gravitacionais talvez nos permitam fazê-lo. Assim, a Colaboração Científica LIGO – uma colaboração científica de institutos internacionais de física e outros grupos dedicados à procura de ondas gravitacionais – juntou esforços para o verificar, juntamente com estudos sobre alguns outros aspetos da relatividade.

O artigo resultante foi publicado no arXiv no início deste mês. Apesar de ainda não ter sido revisto pelos pares, as conclusões são consistentes com todos os outros estudos de relatividade até hoje.

No espaço-tempo como o conhecemos, a gravidade e a luz existem. Em dimensões extras, a gravidade ainda pode existir, mas a luz talvez não. E, pelo menos teoricamente, à medida que as ondas gravitacionais se propagam pelo espaço-tempo para uma iminente colisão cósmica colossal, parte da gravidade poderia “escapar” para estas dimensões.

O teste foi relativamente simples e a equipa teve o evento astronómico perfeito para testá-lo: GW170817. Pela primeira vez, foi possível ver duas estrelas de neutrões a colidir. Também se provou que as ondas de luz e gravitacionais viajam à mesma velocidade.

De acordo com o teste que os investigadores imaginaram, se a gravidade está a ser sugada por alguma dimensão estranha desconhecida, mas a luz não, seremos capazes de detetar uma queda significativa na amplitude das ondas gravitacionais – em comparação com a perda de amplitude em ondas de luz.

Mas isso não aconteceu. A amplitude permaneceu proporcional e a Teoria da Relatividade triunfou mais uma vez.

A teoria de Einstein tem sobrevivido a teste atrás de teste, apesar de os cientistas continuarem a tentar quebrá-la. Para já ainda não aconteceu. E mesmo com a teoria ainda de pé, a cada “falhanço” os investigadores aprendem sempre algo novo sobre o Universo .

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Netflix retira imagens de suicídio de "13 Reasons Why"

A Netflix modificou o episódio da série "13 Reasons Why" onde apareciam imagens do suicídio da protagonista Hannah Baker (Katherine Langford), passando agora essa parte da ação a ocorrer de forma totalmente oculta para os …

Belinda Sharpe é a primeira árbitra do râguebi australiano em 111 anos

Belinda Sharpe vai tornar-se na primeira árbitra de campo na história de 111 anos da liga profissional de râguebi na Austrália, quando dirigir um jogo do campeonato agendado para quinta-feira. A Liga Nacional de Râguebi (NRL) …

Os chimpanzés não têm noção de justiça e aceitam desigualdades

Os chimpanzés carecem da noção de justiça e aceitam a desigualdade na repartição de comida ou materiais, segundo a investigadora Nereida Bueno. A cientista, da Universidade Pontificia de Camillas, que participou num estudo publicado esta semana …

Descartar drogas pelo esgoto pode criar "meta-caimões" nos Estados Unidos

O Departamento da Polícia de Loretto, no estado norte-americano do Tennessee, alertou este sábado para os perigos associados à eliminação de narcóticos através das canalizações das casas de banho. Numa publicação na página oficial de Facebook, …

Descoberta nova via terapêutica para tratar o Alzheimer

Um grupo de cientistas descobriu uma nova via terapêutica para tratamento do Alzheimer, que segundo os investigadores cria “alguma esperança” para travar o desenvolvimento da doença em estágios mais iniciais. O projeto, cujas conclusões foram publicadas …

Exército de carraças está a dizimar vacas (e pode chegar aos humanos)

Uma espécie invasiva de carraças já dizimou um quinto da população de vacas na Carolina do Norte. Os cientistas temem que o próximo alvo podem ser os humanos. A espécie de carraça Haemaphysalis longicornis tem feito …

Ucrânia aprova castração química para pedófilos

Na Ucrânia, será administrada uma injeção que reduz o libido aos pedófilos. A legislação vai aplicar-se a homens com idades entre os 18 e os 65 anos que forem considerados culpados de violação ou abuso …

Em vez de desaparecer, ilhas do Pacífico poderão mudar de forma

Países insulares como Tuvalu, Toquelau e Kiribati passam o nível do mar em poucos metros. Estes são Estados considerados vulneráveis ao aquecimento climático do planeta e as populações acreditam que podem desaparecer com a subida …

Morreu o pugilista Pernell Whitaker. O campeão olímpico foi vítima de atropelamento

O pugilista norte-americano Pernell Whitaker morreu atropelado este domingo em Virginia Beach, aos 55 anos. O atleta foi atingido mortalmente quando atravessava a estrada num cruzamento, durante a noite. Num comunicado enviado ao Guardian, o Departamento …

Eis a primeira aterragem autónoma de um avião tripulado

Uma equipa de cientistas alemã criou um sistema que permite à aeronave aterrar autonomamente em qualquer pista, sem nenhum tipo de apoio humano. Enquanto a indústria automóvel tem andado léguas no que toca a inovação em …