Acionistas da EDP vão para tribunal contra “multa” de 285 milhões decidida pelo Governo

Tiago Petinga / Lusa

Os maiores acionistas da EDP vão contestar em tribunal arbitral internacional o corte de 285 milhões nas rendas recebidas no passado. A empresa alega que a decisão do Governo implicará prejuízos na operação em Portugal.

A EDP vai contestar nos tribunais internacionais o pagamento de 285 milhões de euros por alegada sobrecompensação no cálculo da disponibilidade das centrais que operavam em regime CMEC (contratos com compensações garantidas), anunciou a empresa esta quinta-feira.

Este é o valor das sobrecompensações calculado pela Direção-Geral de Energia (DGEG) e pelo regulador ERSE (Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos) que foi aprovado em despacho do secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, e que a elétrica agora contesta.

“O Conselho Geral de Supervisão da EDP, do qual fazem parte os acionistas de referência da empresa, pronunciou-se hoje, por unanimidade, no sentido de que a adequada defesa dos interesses dos acionistas justifica o recurso à arbitragem internacional ao abrigo dos tratados de proteção do investimento estrangeiro em vigor”, lê-se no comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Em causa está o despacho do secretário de Estado da Energia, datado de 29 de agosto, que quantifica em 285 milhões a alegada sobrecompensação da EDP quanto ao cálculo do coeficiente de disponibilidade verificado nas centrais que operavam no regime CMEC (custos de manutenção do equilíbrio contratual).

O comunicado refere ainda que está “em estudo a possibilidade de virem a ser exigidos” à empresa até 72,9 milhões de euros “relativos a uma alegada sobrecompensação das centrais a operar em regime de CMEC pela sua participação no mercado de serviços de sistema”.

De acordo com o Observador, a empresa portuguesa alega que o despacho carece de fundamento legal, económico e técnico.

Em primeiro lugar, salienta que os montantes das compensações relativas à disponibilidade recebidas pela EDP “resultaram da aplicação estrita das regras e parâmetros constantes no decreto-lei nº 240/2004, que enquadra o regime dos CMEC”, acrescentando ainda que “são idênticas” às constantes dos Contratos de Aquisição de Energia (CAE) que os CMEC vieram substituir.

Além disso, sublinha que este decreto “ao regular a disponibilidade das centrais, não prevê a realização de testes”, remetendo para os acordos de cessação dos CAE a regulamentação específica sobre esta matéria. Por último, indica a elétrica, o operador do sistema teve sempre a possibilidade “de proceder à realização de testes de disponibilidade às centrais CMEC”.

“A decisão agora em causa pretende, apenas com base na ausência da realização de testes, atribuir um valor ao coeficiente de disponibilidade de forma administrativa e arbitrária, sem qualquer base legal ou contratual, não tendo qualquer aderência à realidade”, conclui a EDP.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Confinamento, covid-19, discriminação. Eis as 10 candidatas a Palavra do Ano de 2020

A Porto Editora revelou esta terça-feira as dez candidatas a Palavra do Ano de 2020. Este ano, a iniciativa lançada em 2009 decorre, pela primeira vez, em simultâneo com Angola e Moçambique. De acordo com o …

Mais mortes e menos nascimentos. Portugal está com o maior saldo natural negativo do século

Como avança o Público esta quarta-feira, há 12 anos consecutivos que há mais mortes do que nascimentos em Portugal, mas este ano o país a bateu o recorde do saldo natural negativo. Desde 2009 que o …

"Não há plano B". Costa deixa avisos e recados a Hungria e Polónia

O primeiro-ministro português, António Costa, alertou, em Bruxelas, que não há um plano B ao bloqueio na aprovação do orçamento da União Europeia (UE) e do novo Fundo de Recuperação criado para responder à pandemia, …

Santos deu "nega" ao Benfica e Lucas Veríssimo ameaçou não jogar

O Conselho Fiscal do Santos "negou" a transferência de Lucas Veríssimo para o SL Benfica. O jogador ameaçou mesmo não entrar em campo contra o LDU Quito, na noite passada. O Conselho Fiscal do Santos emitiu …

Governo britânico substitui confinamento por restrições (com oposição interna no Partido Conservador)

Boris Johnson conseguiu ver aprovado o novo plano de restrições. Dos votos contra, 56 foram de deputados conservadores e 16 de deputados do Partido Trabalhista. O Governo britânico conseguiu ver aprovado o novo plano de restrições …

Sporting tem sete jogadores na porta de saída e outro para trazer Matheus Reis

O Sporting CP quer livrar-se de sete jogadores excedentários que estão a treinar com a equipa B. O clube quer também trazer Matheus Reis já neste mercado de inverno. Aproxima-se o mercado de inverno e o …

Sindicato acusa TAP de manipulação e diz que não há "trabalhadores a mais"

O Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (Sitava) acusou a TAP de “manipulação, falta de ética e desonestidade” e defendeu que a empresa não tem “trabalhadores a mais” e deve procurar os “sorvedouros de …

Menos de 1% dos infetados estavam registados na app StayAway Covid

Menos de 1% das pessoas infetadas com covid-19 desde a disponibilização da app StayAway Covid notificaram a sua infeção. Já mais de 2,6 milhões de pessoas têm a aplicação. Desde o lançamento da aplicação de rastreio …

Guardiola lança farpas ao FC Porto, mas até isso Marchesín defendeu

Pep Guardiola mostrou-se frustrado com a forma como o FC Porto disputou o jogo. Entre os postes, Marchesín foi defendendo (praticamente) tudo o que havia para defender. O FC Porto está nos oitavos de final da …

Eurodeputado húngaro opositor do casamento gay é apanhado em "orgia" homossexual

József Szájer foi autor da revisão constitucional que proíbe o casamento gay na Hungria. Este domingo, foi apanhado a quebrar o confinamento ao participar numa "orgia" num bar gay. O eurodeputado húngaro József Szájer foi autor …