Ecstasy pode vir a ser um medicamento contra o stress pós-traumático nos EUA

purcio / Flickr

A Food and Drug Administration (FDA), agência que regula alimentos e medicamentos nos EUA, determinou que a 3,4-metilenodioximetanfetamina (MDMA), também conhecida como ecstasy, é uma “terapia inovadora” no tratamento do Perturbação de Stress Pós-Traumático (PSPT).

A Associação Multidisciplinar de Estudos Psicodélicos (MAPS) anunciou a decisão da Food and Drug Administration (FDA) esta semana, revelando que agora podem avançar para dois dos próximos testes da chamada “Fase 3”.

O objetivo desses testes é determinar com que eficácia o medicamento pode ser usado para tratar pessoas que sofrem de Perturbação de Stress Pós-Traumático (PSPT). Os testes deverão incluir 200 a 300 participantes e o primeiro vai começar já em 2018.

“Pela primeira vez, a psicoterapia psicadelicamente-assistida será avaliada nos ensaios da Fase 3 para o possível uso de prescrição, com a psicoterapia assistida por MDMA para PSPT a liderar o caminho”, diz Rick Doblin, fundador e diretor-executivo da MAPS.

Os testes vão ser realizados nos EUA, Canadá e Israel mas o MAPS quer iniciar conversações com a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) na esperança de expandir os testes até ao continente europeu. Para já, o foco é garantir o financiamento necessário.

De acordo com a Science, a organização ainda está a arrecadar dinheiro para os testes e, até agora, conseguiu apenas 13 milhões de dólares, cerca de metade do seu objetivo.

Desde 1986 que a MAPS conduz ensaios com MDMA na esperança de provar o valor terapêutico desta droga. Depois do lançamento, em 2011, de um pequeno estudo nos EUA, a substância ganhou força como um potencial tratamento para o stress pós-traumático.

Desde então, os cientistas têm feito pressão para que sejam feitos novos testes, mas o estigma do ecstasy como uma droga prejudicial impediu o seu progresso. Esta nova designação da FDA pode mudar isso.

“Este não é um grande passo científico”, explica David Nutt, neuropsicofarmacologista da Imperial College London. “Tem sido óbvio por 40 anos que estas drogas são medicamentos. Mas é um grande passo no que toca à sua aceitação”, acrescenta.

Estudos anteriores que exploraram a eficácia do MDMA para tratar este problema de saúde produziram resultados favoráveis, que contribuíram para a decisão da FDA. Nos testes da Fase 2, 107 pessoas que tiveram PSPT numa média de 17,8 anos foram tratadas com a psicoterapia assistida por MDMA.

Dois meses depois, 61% dos participantes já não sofriam de stress pós-traumático. Um ano depois, esse número aumentou para 68%, de acordo com o comunicado da MAPS.

O PSPT só precisa de um pequeno gatilho como, por exemplo, um som, um cheiro ou um objeto para fazer com que uma memória traumática regresse. Quase oito milhões de adultos experimentam este distúrbio anualmente e as crianças também podem sofrer.

Se a MDMA se revelar um tratamento eficaz e seguro, poderia ajudar milhões de pessoas a viver vidas normais e saudáveis, sem medo do próximo episódio debilitante de PSPT.

PARTILHAR

RESPONDER

PCP anuncia voto contra no Orçamento Suplementar

Apesar da abstenção na votação inicial, o PCP anunciou que vai votar contra o Orçamento Suplementar na votação final marcada para esta sexta-feira. "Concluída a votação na especialidade verifica-se que os aspetos negativos da proposta do …

Figura em pedra com mais de dois mil anos descoberta em Miranda do Douro

O acaso colocou a descoberto em Duas Igrejas, no concelho de Miranda do Douro, uma figura zoomórfica que representa um berrão (porco) e que os arqueólogos datam entre os séculos IV e I a.C., foi …

FBI prende Ghislaine Maxwell, ex-namorada de Jeffrey Epstein

A ex-namorada de Jeffrey Epstein, Ghislaine Maxwell, foi esta quinta-feira detida pelo FBI. A mulher de 58 anos é acusada de ajudar a montar uma rede de tráfico de mulheres. O FBI deteve, esta quinta-feira, Ghislaine …

Polícia italiana apreendeu 14 toneladas de anfetaminas. Droga foi produzida pelo Estado Islâmico

As autoridades italianas apreenderam na quarta-feira 14 toneladas de anfetaminas produzidas na Síria por membros do Estado Islâmico, cujos lucros serviriam para reativar as suas operações. "É um facto que o Daesh [Estado Islâmico] utiliza a …

Câmara de Lisboa defende fim do financiamento público às touradas

A Câmara de Lisboa defendeu hoje a criação de legislação que impeça o financiamento público de espetáculos que "causem sofrimento animal", salientando que as touradas incluem "atos de violência". Numa moção “pelo fim de espetáculos com …

Acordo entre Neeleman e Governo já só depende da confirmação da Azul

O acordo entre David Neeleman e o Governo está prestes a concretizar-se, escreve o Expresso. Aparentemente já só falta a confirmação da Azul para garantir o acordo. Depois de a nacionalização da companhia ter sido dada …

Medina recua e diz que "há convergência total" com Governo no combate à pandemia

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, disse hoje que “há convergência total” com o Governo no combate à pandemia de covid-19, recusando que as críticas que fez à atuação das autoridades de saúde …

Parlamento vai debater o teletrabalho por iniciativa do PAN

O PAN considera que "o teletrabalho é uma ferramenta que pode ajudar a conciliar a vida profissional e a vida familiar", ainda que apresente fragilidades como a "invasão da vida pessoal". O PAN agendou para sexta-feira …

PSP também queria prémio semelhante ao dos profissionais de saúde

O Sindicato dos Profissionais de Polícia (SPP) manifestou-se esta quinta-feira “desiludido” com “a falta de respeito” que o Governo demonstra em relação à PSP e a outras forças de segurança que estão na “linha da …

Líderes catalães vão poder sair da prisão aos fins de semana

Uma decisão dos estabelecimentos prisionais faz com que os líderes independentistas catalães possam sair da prisão aos fins de semana, passando para um dos regimes de detenção menos restritivos. Em outubro do ano passado, nove líderes …