Empresas querem manter teletrabalho. 85% não paga ajudas de custo (e só 8% pensa vir a fazê-lo)

Cerca de dois terços das empresas portugueses querem manter o regime teletrabalho mesmo após o fim da pandemia, concluiu um barómetro do Kaizen Institute, uma consultora especialista em recursos humanos.

De acordo com a Rádio Renascença, que cita os resultados esta terça-feira, a maioria das empresas portuguesas pretendem continuam a operar no pós-pandemia com um regime misto, isto é, mantendo os seus trabalhadores alguns dias em casa e outros na empresa.

Cerca de 70% dos diretores inquiridos consideraram que a eficiência dos seus funcionários em teletrabalho será semelhante ou até superior à registada antes da pandemia, quando o trabalho era realizado nas instalações da empresa.

Participaram 150 diretores neste barómetro.

A mesma pesquisa revela que a grande maioria das empresas (85%) não paga ajudas de custos aos seus trabalhadores e que apenas 8% pensa vir a fazê-lo.

Especialistas ouvidos pelo jornal Público e pelo semanário Expresso frisaram que os trabalhadores têm direito de pedir à sua entidade patronal uma parte das despesas associadas ao teletrabalho, como telecomunicações ou Internet.

No entanto, e apesar do Código do Trabalho prever, desde 2003, que a empresa deve assegurar este tipo de despesas, os trabalhadores não costumam exigir ajudas e custo, e por isso, as entidades empregadoras acabam por não pagar.

“Não deveria ser necessário o trabalhador requerer o pagamento de despesas como eletricidade, Internet ou comunicações, porque a lei já responsabiliza objetivamente a empresa a assegurar estes custos”, disse ao Expresso advogado especialista em Direito laboral, Pedro da Quitéria Faria, em setembro passado.

Mas como os trabalhadores não falam, as empresas não pagam“, admitiu.

A líder da CGTP, Isabel Camarinha, considera que, a longo prazo e já depois da situação de pandemia, o teletrabalho pode ser “apetecível” para muitas empresas.

Poupam muitos custos de contexto, como instalações, energia… O que deve levar os trabalhadores a serem ressarcidos das despesas que têm por trabalhar a partir de casa”, disse, citada pela RR, dando conta que já teve conhecimento de que muitas empresas pretendem manter este regime no pós-pandemia.

Face às dúvidas que o regime de teletrabalho tem gerado, especialmente no que toca às ajudas de custo por parte das empresas, muitos especialistas têm pedido um enquadramento legal claro que possa acabar com todas as dúvidas.

Sara Silva Alves Sara Silva Alves, ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Uns querem manter e outros nem sequer cumprem a lei não permitindo o teletrabalho em concelhos com elevadíssimo risco de infecções!
    Onde é que andam as inspeções???

  2. Empresas a implementar controlo de assiduidade por impressão digital em plena pandemia demonstrando um total desrespeito pela vida humana!
    Onde é que andam as inspeções???

  3. A minha entidade paternal recusa-se a pagar ajudas de custo. Contactei os mesmo a solicitar as ajudas e a resposta foi esta.
    Não houve qualquer alteração relativa à questão que colocas e tudo se mantém como anteriormente te foi indicado pela gestão do teu projeto.
    Os equipamentos e ferramentas: quaisquer equipamentos tecnológicos, assim como quaisquer outras ferramentas necessárias para realizar o Teletrabalho, podem ser fornecidos pela Teleperformance, e quando apropriado, serão em todas as circunstâncias propriedade exclusiva da Teleperformance Portugal e você não deve ceder os materiais fornecidos pela Empresa um uso diferente que não seja para a prestação de trabalho. As despesas inerentes de consumo e utilização dos materiais são da sua responsabilidade.

RESPONDER

Adjunta de Matos Fernandes era sócia de empresa que fez negócios com o ministério

Entre 2016 e 2019, a secretária de Estado do Ambiente, Inês Santos Costa, acumulou funções quando integrou o gabinete de João Pedro Matos Fernandes, na qualidade de adjunta, sendo, na altura, sócia de uma empresa, …

Cavaco acusa Governo de Costa de continuar a alimentar "monstro" da despesa pública

Cavaco Silva volta a criticar o Governo de Costa, desta vez por criar “impostos adicionais” sobre “tudo o que mexe” para alimentar “o monstro” da despesa pública. O ex-primeiro-ministro e antigo Presidente da República Aníbal Cavaco …

Dívidas de Vieira investigadas. Com falência à vista, grupo do líder do Benfica pagou viagens de luxo

Afinal, o Fundo de Resolução nunca aceitou a reestruturação das dívidas do grupo empresarial de Luís Filipe Vieira, ao contrário do que foi dito aos deputados na Comissão Parlamentar de Inquérito aos grandes devedores do …

João Rendeiro condenado a 10 anos de prisão

João Rendeiro, antigo presidente do Banco Privado Português (BPP), foi condenado a 10 anos de prisão efetiva esta sexta-feira. O tribunal condenou o ex-presidente do Banco Privado Português (BPP), João Rendeiro, a 10 anos de prisão …

Bloqueio de migrantes. Salvini não vai a julgamento

Matteo Salvini, líder do Liga, não vai a julgamento na sequência do bloqueio do desembarque de migrantes a bordo do navio da Guarda Costeira italiana "Gregoretti", em julho de 2019. Esta sexta-feira, um tribunal italiano decidiu …

Promulgado diploma sobre acesso às praias (com alerta para novo regime de multas)

O "regime contraordenacional, que está previsto para o não cumprimento de um conjunto de regras que temos na área covid, também é aplicado" às regras relativas às praias. O Presidente da República promulgou, esta sexta-feira, o …

PCP vai votar contra reforma das Forças Armadas

Os comunistas consideram tratar-se de uma "alteração significativa" da estrutura de comando, sem dar resposta "a problemas que persistem há largos anos" na instituição militar". O PCP vai votar contra as propostas do Governo para a …

Biden diz que ataque a oleoduto veio da Rússia. Mas exclui envolvimento do Kremlin

O Presidente dos Estados Unidos (EUA), Joe Biden, afirmou na quinta-feira que o ciberataque que paralisou durante vários dias a maior rede de oleodutos do país foi proveniente da Rússia, mas exclui envolvimento do Governo …

Máscaras vieram para ficar. Mas pode haver exceções

A máscara de proteção individual vai continuar a fazer parte do nosso dia-a-dia. No entanto, pode haver exceções para os já vacinados contra a covid-19. O Governo convidou os especialistas a criarem um novo plano e …

Chega quer que agentes da PSP e GNR usem câmaras de vídeo nas lapelas e nas viaturas

O deputado único do Chega entregou esta quinta-feira um projeto de resolução no Parlamento que recomenda a colocação de câmaras de vídeo nas lapelas das fardas e nas viaturas das forças de segurança, a fim …