“McDonald’s Trump”. Dieta do presidente dos EUA pode influenciar pessoas a comer fast food

Joyce N. Boghosian / White House

Investigadores sugerem que uma maior exposição mediática dos norte-americanos à dieta de Donald Trump pode fazer com que comam fast food mais regularmente.

Um novo estudo averiguou a associação entre a cobertura mediática da saúde de celebridades e as alterações no comportamento das massas. A investigação concluiu que o particular gosto por fast food do presidente norte-americano, Donald Trump, pode estar a levar mais pessoas a comerem esse tipo de comida.

Muitas pessoas são facilmente influenciáveis e os hábitos das celebridades podem ser significativas nas suas escolhas no dia-a-dia, nomeadamente na sua dieta. Um estudo a ser publicado em abril na revista científica Appetite explora esta associação e oferece resultados bastante sugestivos.

“Eu reparei que havia uma quantidade decente de cobertura mediática sobre o amor do presidente Trump por fast food, e isso contrastava fortemente com a maior parte da cobertura mediática relacionada com a alimentação da presidência de Obama, que se concentrava mais no jardim de Michelle e a pressão que ela colocou sobre o presidente Obama para comer de forma saudável”, explicou a autora do estudo, Jessica Gall Myrick, citada pelo PsyPost.

A investigadora foi então testar a sua teoria de que a cobertura mediática sobre os hábitos alimentares de Trump poderia, de facto, estar a influenciar os norte-americanos nas suas próprias escolhas. Os Estados Unidos são um país fortemente afetado pela obesidade e pelas doenças que derivam do excesso de peso, nomeadamente a nível cardiovascular.

Para verificar as suas suspeitas, Myrick fez um questionário com mais de mil cidadãos norte-americanos, procurando perceber com que frequência estavam atentos à dieta de Donald Trump nos media, entre outras coisas. O questionário procurou incluir voluntários de vários sexos, idades, educações, raças, vencimentos e regiões geográficas.

A equipa de investigadores concluiu que quanto mais as pessoas prestavam atenção à dieta pouco saudável de Trump, mais propensas eram a comer fast food regularmente nas quatro semanas seguintes. O efeito era também mais acentuado em Republicanos do que em Democratas. Além disso, surpreendentemente, naqueles que se consideravam Independentes não se verificava a associação vista nas outras pessoas.

“Estudos futuros podem acompanhar as pessoas ao longo do tempo para ver como, à medida que a sua atenção a diferentes tipos de media se acumula e muda, as suas escolhas alimentares também podem mudar”, acrescentou Myrick.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Propinas serão ajustadas se as instituições não garantirem ensino à distância

O pagamento de propinas no ensino superior será ajustado caso as instituições não consigam garantir o ensino à distância durante o período de contenção de covid-19, segundo um projeto-lei do PAN aprovado no Parlamento. “O valor …

Operação "Páscoa em Casa" já arrancou. Até segunda-feira, não pode sair do seu concelho de residência

Circulação proibida fora do concelho de residência e aeroportos encerrados. Arrancou à meia-noite desta quinta-feira a aplicação das medidas decretadas pelo Governo para o período pascal - 9 a 13 de abril -, visando reduzir …

Encontrado no fundo do mar um organismo "sobrenatural" tão grande como um prédio de 11 andares

Uma equipa de investigadores capturaram imagens de um organismo "sobrenatural" nas águas da costa da Austrália Ocidental. Uma equipa a bordo de RV Falkor, o navio de investigação principal do Schmidt Ocean Institute, localizou o organismo, …

Há 1.400 anos, uma estranha luz vermelha apareceu no Japão (e já sabemos o que era)

O registo mais antigo de um fenómeno astronómico observado no Japão deixou uma marca importante na história japonesa e na literatura clássica. O fenómeno data de 30 de dezembro de 620 e há séculos que …

Cientistas convertem água em combustível solar

Uma equipa de investigadores britânicos usou uma metodologia única que permite transformar água em combustível solar, que pode ser uma solução para energia renovável. Esta metodologia única utilizada por uma equipa de cientistas da Universidade de …

"Em Casa d’Amália": RTP comemora cententário da fadista

A Fundação Amália Rodrigues junta-se à RTP para assinalar o centenário da fadista. O programa Em Casa d’Amália tem estreia marcada para a próxima sexta-feira (10) e reúne várias figuras da música portuguesa da atualidade. O …

Desapareceram 21 milhões de números de telefone na China. Mas o mistério foi resolvido

O porta-voz de uma das três maiores operadoras chinesas confirmou o desaparecimento dos utilizadores, mas deu uma explicação para este mistério. Nos últimos dias, surgiram vários relatos de notícias que davam conta de que, entre janeiro …

Mercadona doa 20 mil quilos de chocolate aos profissionais de saúde e aos mais carenciados

A Mercadona anunciou, esta quarta-feira, a doação de 20 mil quilos de chocolate ao Banco Alimentar Contra a Fome do Porto. O objetivo é proporcionar uma Páscoa mais doce aos mais carenciados e aos que …

"Paciente 1" em Itália recupera (e dá as boas-vindas a Giulia, a sua filha recém-nascida)

Giulia, a filha recém-nascida do "paciente 1" de Itália, veio para trazer alguma esperança ao país, em plena pandemia de covid-19. Mattia, de 38 anos, foi internado no dia 20 de fevereiro no hospital de Codogno, …

Investigadores transformaram o coronavírus em música (e já o podemos ouvir)

Uma equipa de investigadores do Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT) conseguiu transformar em som a estrutura da proteína spike, que permite que o novo coronavírus adira às células para infetá-las. Até agora, já pudemos ver …