Freddie Mercury levou Princesa Diana a bar homossexual disfarçada de homem

TaylorHerring / Flickr

Diana de Gales, a Princesa do Povo

No mês em que se assinalam 27 anos da morte de Freddie Mercury, o filme biográfico do carismático cantor dos Queen está a desiludir, por não contar toda a verdade sobre o homem complexo que um dia levou a Princesa Diana disfarçada a um bar homossexual.

Apesar da relevância história desse episódio, e da grande amizade que a Princesa Diana tinha com Freddie Mercury, esse episódio não faz parte do filme biográfico sobre o cantor dos Queen, “Bohemian Rhapsody”, que estreou em Portugal, no passado dia 31 de Outubro.

A história é relatada pela actriz Cleo Rocos no livro “The Power of Positive Drinking”, onde refere como, depois de uma noite de copos, em que participou com a Princesa Diana, Freddie Mercury e o comediante britânico Kenny Everett, também já falecido, acabaram todos num bar homossexual de Londres.

Cleo Rocos conta que tudo começou na casa de Kenny Everett, onde beberam várias garrafas de champanhe, enquanto viam a série de televisão “The Golden Girls” [“Sarilhos com elas” na tradução em Portugal] e com cada um deles a dar voz a uma das quatro personagens femininas, improvisando diálogos obscenos.

Corria o ano de 1988 e Diana terá tido a ideia de ir com eles ao famoso bar homossexual Royal Vauxhall Tavern, onde Freddie Mercury e Kenny Everett seriam clientes assíduos.

Então, disfarçaram Diana com um casaco militar, um chapéu e uns óculos de aviador. A Princesa foi completamente ignorada no bar, com todas as atenções concentradas em Freddie Mercury e em Kenny Everett, o que a deixou maravilhada, conta Cleo Rocos no seu livro.

A actriz aponta como a Princesa Diana abriu caminho pelo bar, entre “apertões e através de tangas e tangas de cabedal“, relata o ABC espanhol. “Diana e Freddie não conseguiam aguentar o riso, mas ela ainda foi capaz de pedir um vinho branco e uma cerveja”, conta também.

Freddie Mercury e a Princesa Diana foram amigos durante muitos anos, até que o cantor morreu em 1991, com 45 anos, vítima de uma bronco-pneumonia e como resultado de complicações do VIH-SIDA. Um dia antes tinha assumido a sua condição de seropositivo.

Um filme maldito

Apesar dessa amizade importante, a Princesa Diana não faz parte das memórias da vida de Freddie Mercury que são ilustradas em “Bohemian Rhapsody”, um filme que está a ser muito criticado por se considerar que é pouco autobiográfico.

A obra cinematográfica é encarada como uma versão “higiénica” e “familiar” que toca demasiado ao de leve a sexualidade do cantor, focando-se mais na relação com Mary Austin, a sua melhor amiga, do que no relacionamento que Mercury manteve com o cabeleireiro Jim Hutton (1949-2010), com quem passou os últimos seis anos de vida e que também era seropositivo.

Há quem note que o filme se centra sobretudo nos concertos e na música, esquecendo o homem carismático que catapultou os Queen para a ribalta da música mundial. Foi, aliás, esse o argumento que levou o actor Sacha Baron Cohen, o primeiro escolhido para fazer de Mercury, a abandonar o filme.

Rami Malek, que foi uma terceira escolha, depois de o segundo actor ter também deixado o filme, só recebe aplausos pela sua performance como Freddie Mercury. Mas os elogios ao filme ficam-se quase por aí.

Realizado com a produção executiva de Brian May e Roger Taylor, os dois músicos dos Queen originais que actualmente fazem parte da composição da banda, já há quem fale do filme como uma obra amaldiçoada. Para começar porque levou oito anos a chegar aos cinemas, desde o anúncio do filme feito em 2010.

Além das trocas de actores, também o realizador inicialmente escolhido, Bryan Singer, foi despedido no início do ano, sendo substituído por Dexter Fletcher.

E depois da chegada às salas de cinema, há muitos fãs dos Queen que encontram várias falhas históricas na trama. Mas, o que é certo, é que o filme está a ser um sucesso de bilheteira.

SV, ZAP //

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. “Feito com a produção executiva de Brian May e Roger Taylor, os dois únicos músicos dos Queen ainda vivos”… O John Deacon morreu????…

  2. Uma autobiografia pressupõe que seja o próprio a fazer alguma coisa, caso contrário passa a ser uma mera biografia, e esse erro é cometido vezes sem conta neste artigo.

  3. O Filme não está a desiludir. se querem os dados todos correctos do passado da Freddie (não Freddy) e dos Queen, vejam o documentário “Days of our lives”. Um filme de duas horas não pode englobar tudo sem carga dramática.

Responder a ZAP Cancelar resposta

Rio alerta para "claro divórcio entre a sociedade portuguesa e os partidos políticos"

O presidente do PSD, Rui Rio, disse ontem, em Paredes, no distrito do Porto, haver "um divórcio entre a sociedade e os partidos", defendendo que só uma maior "abertura" das estruturas às "pessoas" pode inverter …

Megaoperação de combate à pedofilia detém mais de 30 pessoas

Mais de 30 pessoas foram detidas em onze países no âmbito de uma megaoperação de combate à pornografia infantil realizada pela Europol e pela polícia nacional de Espanha, país onde foram presos mais de metade …

Grandes hotéis acusados de ignorar tráfico sexual. Queixa em grupo relata casos de 13 mulheres

Uma ação judicial deu entrada segunda-feira em Columbus, Ohio, nos Estados Unidos (EUA), com vários grandes grupos hoteleiros a serem acusados de lucrar com o tráfico sexual, ignorando os crimes e os danos nas vítimas. Segundo …

Líder da Birmânia, Suu Kyi, vai a Haia defender o país de acusação de genocídio

A líder birmanesa Aung San Suu Kyi decidiu comparecer perante o Tribunal Internacional de Justiça (TIJ) para defender o seu país da acusação de genocídio contra a minoria muçulmana rohingya, durante uma audiência de três …

Impeachment. Democratas preparam-se para avançar com duas acusações formais contra Trump

Os democratas estarão a planear apresentar esta terça-feira dois artigos de impeachment que acusam Donald Trump de abuso de poder e obstrução do Congresso. De acordo com o jornal norte-americano The New York Times, o Comité …

Esquema de venda de droga na darkweb. Fortuna em bitcoins fica nas mãos do Estado

Pedro e Rita vendiam droga para todo o mundo na darkweb. Agora, a fortuna em bitcoins acabou por ficar nas mãos do Estado. Pedro, um engenheiro informático, e Rita, uma web designer, montaram um esquema para …

CDS e PAN querem regime protetor do denunciante no combate à corrupção

CDS e PAN vão apresentar propostas no combate à corrupção que tem sido discutido desde segunda-feira. Os partidos querem um regime protetor do denunciante. Numa iniciativa de combate à corrupção, o CDS e o PAN vão …

Morreu Marie Fredriksson, vocalista dos Roxette

A cantora sueca Marie Fredriksson, dos Roxette, morreu segunda-feira aos 61 anos, anunciou esta terça-feira a sua manager em comunicado. Marie Fredriksson, vocalista e co-fundadora da banda Roxette, faleceu esta segunda-feira, aos 61 anos. A morte …

Taxa de sucesso no ensino profissional atinge os 63%. É o valor mais alto de sempre

No ano letivo de 2017/2018, 63% dos alunos inscritos no ensino profissional concluíram os seus cursos no tempo previsto, mais dez pontos percentuais do que quatro anos antes, avança o jornal Público. De acordo com um …

Regra para filhos de pais separados em casas alternadas divide partidos

A lei já prevê que os filhos de pais separados possam ficar em residência alternada se o tribunal assim o decidir. Porém, as regras não são claras e vai ser discutida a melhor forma de …