Desertou Kimia Alizadeh, a única atleta a conquistar uma medalha olímpica pelo Irão

IOC Young Reporters / Flickr

A atleta Kimia Alizadeh, à esquerda

A iraniana Kimia Alizadeh desertou da República Islâmica, de acordo com uma carta publicada este sábado no Instagram. Escrita em persa, a carta é acompanhada de uma imagem a preto e branco da atleta nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, Brasil.

Na publicação, Kimia Alizadeh referiu que a decisão de sair foi difícil mas, como “uma das milhões de mulheres oprimidas no Irão”, esta saída era necessária, noticiou no domingo a NPR. “É mais difícil vencer essa decisão do que o ouro olímpico, mas continuo a ser filha do Irão, onde quer que esteja”, escreveu.

Kimia Alizadeh tinha 18 anos quando ganhou uma medalha de bronze em taekwondo, nos Jogos Olímpicos de Verão, de 2016. É a única mulher a ganhar uma medalha olímpica para o Irão. Na sua carta, acusou funcionários do Irão de sexismo e maus-tratos e criticou o uso obrigatório de véu em público.

“Eles levaram-me para onde quiseram. Eu vestia o que diziam. Todas as frases que eles me mandaram dizer, repeti”, escreveu a atleta, que não divulgou o local para onde foi nem a data em que saiu do país. Deixou claro, contudo, que não foi convidada para a Europa e que a sua decisão não foi resultado de qualquer oferta de asilo.

https://www.instagram.com/p/B7LtxeOnZZU/

A ISNA, agência de notícias semi-oficial do Irão, informou que a jovem havia fugido para a Holanda, mas não houve reação imediata por parte das autoridades iranianas.

De acordo com a NPR, não se sabe se Kimia Alizadeh competirá nos Jogos Olímpicos de Tóquio este verão sob a bandeira de outra nação. A sua deserção ocorreu num momento de alta tensão entre o Irão e os Estados Unidos (EUA).

No sábado, os iranianos tomaram as ruas de Teerão e de outras cidades, com cartazes onde pediam que o líder supremo do país, Ali Khamenei, deixasse o cargo. Estes protestos surgiram depois de o governo ter admitido que abateu acidentalmente um avião de passageiros ucraniano, vitimando as 176 pessoas que iam a bordo.

Nos últimos meses, várias figuras importantes do desporto deixaram de representar o país. Alireza Firouzja, campeã de xadrez, deixou de jogar pelo Irão em dezembro devido à proibição informal do país de competir contra jogadores israelistas.

Em setembro, Saeid Mollaei, atleta que pratica judo, mudou-se para a Alemanha. Também Alireza Faghani, um árbitro internacional de futebol iraniano, deixou o país e mudou-se para a Austrália, em 2019.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

O Bosão de Higgs foi apanhado a fazer algo inesperado

Uma equipa de cientistas do Laboratório Europeu de Física de Partículas (CERN) observou o Bosão de Higgs, a fazer algo inesperado: à medida que caía, esta parecia decompor-se numa combinação inesperada de partículas. De acordo com …

Feitos de estrelas. Os nossos ossos são compostos por estrelas que explodiram

Uma nova investigação concluiu que metade do cálcio do nosso Universo é oriundo de uma supernova rica em cálcio, que explodiu há milhões de anos. O novo estudo, cujos resultados foram esta semana publicados na revista …

"Monarquia criminosa". Parlamento declara Catalunha republicana e não reconhece o rei

O Parlamento catalão aprovou esta sexta-feira uma resolução na qual declara que “a Catalunha é republicana e, portanto, não reconhece nem quer ter um rei”, rotulando a monarquia de “criminosa”. A resolução foi aprovada em sessão …

Novo método deteta metais tóxicos em alimentos e água em apenas algumas horas

Uma equipa de cientistas da Universidade de Joanesburgo, na África do Sul, desenvolveu um método sensível para detetar níveis perigosos de metais pesados em alguns alimentos e água. Os vestígios de metais como chumbo (Pb), arsénico …

Meghan Markle vence primeira batalha judicial contra jornal britânico

A Duquesa de Sussex conseguiu que o Tribunal Superior de Londres optasse por manter anónima a identidade das suas cinco amigas, como parte da ação legal que está a ser levada a cabo. O 39º aniversário …

Cientistas obrigados a rebatizar dezenas de genes humanos. A culpa é do Excel

Só no ano passado, os cientistas viram-se obrigados a mudar os nomes de 27 genes humanos por causa de um erro de leitura do Microsoft Excel. Tal como explica o portal The Verge, que avança …

"Vai continuar a queimar". Covid-19 é mais parecida com um fogo florestal do que com ondas e picos

Com o surgimento do novo coronavírus no mundo, vários especialistas previam que este iria surgir em ondas e picos. Agora a visão de futuro é outra e os especialistas dizem que a pandemia se compara …

Mudanças climáticas podem vir a causar mais mortes do que a covid-19, alerta Bill Gates

  As mudanças climáticas podem custar muito mais vidas nas próximas décadas do que a pandemia do novo coronavírus (covid-19). O alerta é do co-fundador da Microsoft, Bill Gates, que, através de uma reflexão no seu …

Descoberta a primeira disrupção gigante nas nuvens de Vénus

Uma equipa internacional de cientistas, que incluiu um investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA), descobriu a "primeira disrupção gigante" nas nuvens de Vénus que tem fustigado as zonas profundas da atmosfera …

TVI aposta em estúdio a Norte. Nuno Santos quer Informação mais ao estilo da SIC Notícias do que da CMTV

O diretor-geral da TVI, Nuno Santos, afirmou, em entrevista ao jornal Público, que a estação de Queluz de Baixo vai apostar num estúdio no Norte, revelando ainda que pretende mudar a Informação do canal mais …