Quer saber quais os descontos da Black Friday que realmente valem a pena? Uma ferramenta da DECO ajuda-o

(dr) Envato Elements

O comparador de preços da DECO permite-lhe saber se os preços dos produtos subiram antes da Black Friday e se a poupança realmente se verifica.

É um truque antigo e que pode enganar muitos consumidores. Alguns dias antes de  promoções que prometem ser imperdíveis, como as que agora se anunciam para a Black Friday, as lojas sobem os preços para darem a entender que a poupança em relação ao preço normal é muito maior do que aquilo que realmente é.

Então, como podemos saber quais os produtos que realmente valem a pena comprar? Foi para responder a este problema que a DECO lançou já há alguns anos um comparador de preços.

Basta introduzir o link do produto em que está interessado e a ferramenta mostra a evolução do preço nos últimos sete dias, um mês e três meses. Caso tenha havido uma grande subida nos dias antes da promoção, o comparador alerta-o de que o desconto não é assim tão apetecível como parece.

As classificações dos descontos são como um semáforo: verde para os bons negócios, amarelo para aqueles em que não há grande diferença face ao preço normal e vermelho nos casos em que o preço já esteve mais baixo do que está agora.

Para além do comparador de preços, a Defesa do Consumidor deixa também mais dicas sobre como evitar estas “fraudes” e fazer compras inteligentes.

A associação aconselha a preparar as compras com antecedência e tentar saber logo quais os produtos que vão estar em promoção, assim como adiantar o registo nos sites, que têm uma grande afluência nestes dias e ficam mais lentos.

“Procure obter este tipo de informação assinando as newsletters das lojas que mais lhe interessam, ou seguindo-os com mais atenção nas redes sociais”, aconselha.

A DECO lembra que alguns vendedores igualam os preços mais baixos do mercado se os consumidores provarem que eles existem nos mesmos produtos, o que pode permitir poupar logo em muitas compras num só lugar.

O horário das lojas também é importante, já que “as melhores ofertas são, por norma, as que se esgotam mais cedo”. “Se pretende comprar numa loja física, averigue o horário de abertura e a sua disponibilidade para a visitar nas primeiras horas do dia. Se for comprar online, bastará esperar que chegue a meia-noite”, lembra.

Caso não tenha muita disponibilidade na sexta-feira, há lojas que permitem comprar online e levantar os produtos pessoalmente, o que pode ser uma opção se também quiser evitar a confusão nas lojas — especialmente agora com a pandemia — e se não quiser pagar portes de envio.

Os produtos tecnológicos e os electrodomésticos são dos investimentos que mais valem a pena fazer quando há promoções como a Black Friday. A DECO aconselha-o também sobre a qualidade destes produtos, incluindo telemóveis, televisões, máquinas de café ou aspiradores.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Lembre-se também que quando a esmola é muito grande, o pobre deve mesmo desconfiar. É fácil serem criadas contas nas redes sociais que se fazem passar por grandes marcas ou lojas fictícias que prometem descontos bombásticos e que na verdade, são esquemas financeiros ou vendem produtos contrafeitos.

A DECO criou também todo o dossier online com dicas para a Black Friday, incluindo quais as lojas online mais confiáveis, os direitos sobre as garantias, ou como se proteger de esquemas de phishing com as compras online.

  Adriana Peixoto, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE