Plano 2020/2030: “Há uma grande desconexão entre vontade política e execução”, diz Costa Silva

José Sena Goulão / Lusa

O economista António Costa e Silva

O gestor António Costa Silva disse hoje, no parlamento, que o plano que traçou a pedido do Governo com a visão estratégia para o país “não é de ação”, admitindo existir “uma grande desconexão entre vontade política e execução”.

Costa Silva respondia assim a críticas do PSD sobre a capacidade de executar o plano, durante uma audição na comissão parlamentar de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação sobre o documento “Visão Estratégica para o Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020/2030”, realizada a pedido do PS.

“[O PSD] suscita um problema que faz parte da minha perplexidade: à medida que fui desenvolvendo o plano e o contacto com os vários organismos, com os vários polos da administração, vi que há uma grande vontade a nível político de fazer coisas, mas quando se desce no sistema há de facto uma grande incapacidade de converter os planos em realidade”, afirmou Costa Silva.

Para o professor universitário, “há uma desconexão muito grande entre a vontade política e a capacidade de execução”, pelo que defende o rejuvenescimento e a qualificação da administração pública.

Costa Silva disse que o documento que desenhou para o executivo “não é um plano de ação” e que não pode “entrar em questões que são da governação”.

O deputado do PCP Bruno Dias disse que o facto de a administração pública estar “desnatada” não se deve “ao azar” nem é uma questão de “feitio”, mas sim a opções políticas tomadas no passado e acusou Costa Silva de tratar no documento os trabalhadores do Estado “como objeto e não como sujeito”.

Já questionado sobre a deputada Isabel Pires, do Bloco de Esquerda, sobre “omissões importantes” no plano relacionadas com salários, lei laboral e precariedade, Costa Silva disse igualmente que essa é uma questão para os decisores políticos, sublinhando que no documento defende que o país não pode estar assente num modelo de baixos salários.

O deputado socialista Hugo Costa defendeu que o plano traçado pelo professor universitário para implementar nos próximos dez anos requer consensos, tal como disse na terça-feira o primeiro-ministro, António Costa, e questionou Costa Silva sobre o financiamento das medidas e a aplicação dos fundos europeus.

Costa Silva respondeu que no documento propõe que no portal do Governo seja feito um reporte sobre a aplicação dos fundos e quais os critérios usados “com o máximo de transparência e de prestação de contas”.

O deputado André Silva, do PAN, disse concordar com o investimento na ferrovia e na eficiência energética, previsto no plano de Costa Silva, mas disse estar contra o facto de as ideias assentarem “num modelo económico tradicional” de exploração de recursos limitados e questionou o gestor sobre a sua posição quanto à exploração de lítio.

“Eu não recomendo exploração do lítio nas áreas classificadas do país, penso que isso é claro”, afirmou Costa Silva.

Já sobre a opção do Governo pelo novo aeroporto do Montijo, Costa Silva reafirmou que “deve haver um grande aeroporto para a zona de Lisboa”, sublinhando que estudou “todas as soluções” mas que desde o início optou por não fazer recomendações por esta ser também uma “decisão política”, sendo “fundamental um consenso”.

O documento inicial de Costa Silva, intitulado “Visão Estratégica para o Plano de Recuperação 2020/2030”, foi apresentado no dia 21 de julho e esteve em consulta pública no mês de agosto, recebendo 1.153 contributos de cidadãos, associações, confederações, autarquias, sindicatos, entre outros.

Os contributos resultaram numa adenda ao documento inicial que passou a integrar áreas como o ‘cluster’ da petroquímica, química industrial e refinação, a eficiência energética, a mineração do mar profundo, o comércio e serviços, o turismo e as centrais de biomassa.

O Governo deverá aprovar na quinta-feira, em Conselho de Ministros, a primeira versão do Plano de Recuperação e Resiliência, que já terá tradução na proposta de Orçamento do Estado para 2021, que será entregue em 12 de outubro na Assembleia da República.

O Programa de Recuperação e Resiliência será em seguida apresentado em 14 de outubro, na véspera de o documento ser entregue à Comissão Europeia.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Em portugal tudo vai ter a politica. Os politicos mal formados e sem experiencia nao sabem planear, so querem poder e dinheiro.

    O pais precisa que protogonistas sejam as pessoas, deem oportunidades aos jovem para podem em praticas as suas ideias, so assim ‘e que pais podera crescer….

RESPONDER

Detetado fator climático determinante para a propagação do coronavírus

Altas temperaturas combinadas com baixa humidade propiciam que as gotículas contaminadas com o novo coronavírus evaporem mais rapidamente, reduzindo a sua capacidade de infetar pessoas. De acordo com os cientistas, citados pelo canal estatal russo RT, …

Bayern Munique vence Sevilha e conquista a Supertaça Europeia

O Bayern Munique conquistou, esta quinta-feira, a Supertaça Europeia, ao derrotar o Sevilha por 2-1, em Budapeste, na Hungria. Os alemães do Bayern Munique conquistaram a Supertaça Europeia pela segunda vez ao derrotarem os espanhóis do …

Sporting 1-0 Aberdeen | "Leão" eficaz segue para o play-off

O Sporting foi eficaz e assegurou uma vaga no “play-off” de acesso à fase de grupos da Liga Europa. Na noite desta quinta-feira, num embate relativo à 3ª pré-eliminatória da competição, os “leões” bateram o Aberdeen …

A NASA descobriu uma nova forma de aterrar em segurança na Lua

A NASA construiu um sistema totalmente novo que pode tornar a aterragem na Lua e em Marte muito menos arriscada - e já tem planos de testá-lo numa missão futura. De acordo com o TechCrunch, o …

Rio Ave elimina Besiktas e está no play-off da Liga Europa

O Rio Ave venceu os turcos do Besiktas, esta quinta-feira, no desempate por grandes penalidades (4-2), após o 1-1 no tempo regulamentar, em jogo da terceira pré-eliminatória da Liga Europa, seguindo em frente na competição. Em …

Dois dinossauros morreram como as vítimas de Pompeia. Foi há 125 milhões de anos, na China

Um grupo de arqueólogos na China acabou de descobrir dois fósseis de uma nova espécie de dinossauro, que estiveram presos no subsolo por 125 milhões de anos devido a uma erupção vulcânica pré-histórica. Os investigadores …

Batalhas de feiticeiros e círculos de demónios. Revelados textos cristãos que não foram incluídos na Bíblia

Os textos da Bíblia como a conhecemos hoje foram "canonizados" pela primeira vez pela Igreja no final do século IV. No entanto, antes disso, centenas de outros textos religiosos circularam por toda a Cristandade. Há mais …

Autoeuropa confirma que não irá renovar contrato a 120 trabalhadores

A administração da fábrica de automóveis Volkswagen Autoeuropa, em Palmela, confirmou, esta quinta-feira, que não vai renovar os contratos a termo de 120 trabalhadores ligados à produção dos veículos MPV (Multi-Purpose Vehicle). "A Autoeuropa reafirmou a …

Glaciar na Islândia "escondia" bombardeiro norte-americano da 2ª Guerra Mundial

Os destroços de um bombardeiro norte-americano B-17 Flying Fortress que colidiu com o glaciar Eyjafjallajökull durante a II Guerra Mundial estão gradualmente a aparecer à medida que a geleira recua devido às alterações climáticas. De acordo …

40 anos depois, assassino de John Lennon pede desculpa pelo crime "desprezível"

Mark David Chapman, o homem que assassinou John Lennon, diz que matou o ex-Beatle por "raiva e ciúmes" e pediu desculpa a Yoko Ono, 40 anos depois. Em 1980, Chapman atingiu John Lennon com quatro tiros …