Descobertos livros venenosos na biblioteca de Universidade dinamarquesa

Cientistas dinamarqueses descobriram níveis elevados de arsénio em três livros dos Séculos XVI e XVII que estavam nas estantes da Biblioteca de uma Universidade. Uma descoberta surpreendente e que poderia ser letal para quem consultasse os livros.

Especialistas da Universidade do Sul da Dinamarca fizeram a surpreendente descoberta quando estavam a estudar fragmentos de manuscritos medievais que foram reutilizados para fazer as capas de outros livros.

Os investigadores tentavam identificar o tipo de textos latinos usados para o efeito, quando se depararam com um pigmento verde na capa dos livros.

Com o recurso a tecnologia de fluorescência de micro-Raios-X, que é habitualmente utilizada para analisar as propriedades químicas de cerâmicas e pinturas, conseguiram detectar que o pigmento era, na verdade, arsénio, revelam os investigadores dinamarqueses Kaare Lund Rasmussen e Jakob Povl Holck no The Conversation.

As capas dos livros tinham “grandes concentrações de arsénio”. Acredita-se que o pigmento contendo este elemento químico altamente tóxico tenha sido usado no Século XIX, para proteger os volumes dos insectos e dos vermes.

“Estávamos à procura de escrita que mostrasse como a tinta pode conter cobre ou ferro ou cálcio. Contudo, no momento em que colocamos o feixe de Raios-X na superfície verde, vimos as fantásticas quantidades elevadas de arsénio”, sustentam os investigadores.

O arsénio está entre “as substâncias mais tóxicas do mundo”. O elemento químico pode causar “vários sintomas de envenenamento”, levar ao desenvolvimento de cancro e até à morte, acrescentam os investigadores.

Os livros que contêm arsénio são o “Anglica Historia” de Polydorus Vergilius (1570), o “Historia boiemica” de Johannes Dubravius (1575), e o “Vitæ Patrum Das ist: Das Leben der Altväter, Zu nutz Den Predigern Göttliches Worts” de Georg Maior (1604).

A Biblioteca da Universidade está, agora, a armazenar os livros venenosos em caixas separadas, com etiquetas de segurança, num gabinete ventilado.

“A razão para a última recomendação é que o arsénio tem uma tendência para se transformar em arsina que é transportada pelo ar (AsH3), dadas as condições adequadas de humidade e de luz”, explica Kaare Lund Rasmussen à Fox News.

A arsina ou hidreto de arsénio forma-se quando este elemento químico entra em contacto com um ácido. Trata-se de um gás incolor extremamente tóxico, que pode romper os glóbulos vermelhos e causar a morte através de falência renal.

“O próximo passo é avisar os bibliotecários e os leitores de livros antigos para usarem luvas protectoras, e avisar as bibliotecas para armazenarem qualquer livro antigo pintado de verde num ambiente seco e escuro, longe do risco de pessoas que inalem o ar acima dos livros”, salienta ainda Rasmussen na Fox News.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Livros que ninguém lê, felizmente a Dinamarca ainda tem bibliotecas, por aqui até as bibliotecárias acham que os livros são só um monte de papel velho.

RESPONDER

Benfica - Aves | Triunfo de águia exuberante e perdulária

O Benfica respondeu ao triunfo do FC Porto no sábado com uma vitória caseira sobre o Desportivo das Aves, por 2-0. O resultado pode indicar algumas dificuldades por parte da formação “encarnada”, mas pode-se dizer, sem …

Aquecimento global no Pleistoceno elevou nível do mar até 13 metros

O aquecimento global no final do período do Pleistoceno, com temperaturas similares às previstas para este século, reduziu a camada de gelo da Antártida oriental e elevou o nível do mar até 13 metros acima …

Autor dos mais famosos estudos sobre comida viu 13 artigos retirados

O famoso investigador norte-americano está envolvido numa polémica, depois de 13 dos seus estudos científicos terem sido retirados de algumas publicações. É provável que nunca tenha ouvido falar de Brian Wansink mas, tal como recorda o …

NASA observa movimentos tectónicos recentes em Marte

A sonda Mars Express da NASA observou fissuras proeminentes em Marte causadas devido à ação de falhas tectónicas que atingiram a superfície do planeta há menos de dez milhões de anos. As imagens foram capturadas …

Mulher que acusa de abuso juiz nomeado por Trump para o Supremo aceita depor

Christine Blasey Ford, a mulher que acusou de agressão sexual o juiz Brett Kavanaugh, nomeado por Donald Trump para o Supremo Tribunal dos Estados Unidos, aceitou testemunhar perante o Senado, na próxima semana, disse neste …

Hubble deteta radiação nunca antes vista numa estrela de neutrões

Uma invulgar emissão de radiação infravermelha, de uma estrela de neutrões próxima, detetada pelo Telescópio Espacial Hubble da NASA, pode indicar novas características nunca antes vistas. Uma possibilidade é que exista um disco poeirento em redor …

Sócrates acusa direita de estar "empenhada" no processo Marquês

O antigo primeiro-ministro José Sócrates acusou este sábado a direita política portuguesa de estar "empenhada no processo Marquês através da manutenção da procuradora-geral da República". O ex-governante, que esteve neste sábado em Vila do Conde, distrito …

André Ventura vai lançar movimento para destituir Rui Rio

O vereador do PSD em Loures André Ventura vai lançar na próxima semana o movimento Chega, para substituir Rui Rio na liderança e colocar o partido no “espetro ideológico do centro-direita português”. Em comunicado, André Ventura …

Universidade brasileira cria gelado que reduz efeitos colaterais da quimioterapia

Foi criado no Brasil um gelado que ajuda a diminuir os efeitos colaterais da quimioterapia em pacientes com cancro. Desenvolvido por investigadores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), o gelado tem três sabores: morango, …

Irmãos portugueses que combatiam pelo Daesh dados como mortos na Síria

Os irmãos Celso e Edgar foram dados como mortos na Síria, revela o jornal Expresso neste sábado. Os dois portugueses eram jiadistas que combatiam pelo autodenominado Estado Islâmico (Daesh). Em Raqqa eram conhecidos pelo seu nome …