/

Descoberta a causa das 39 mortes após uso de cigarros eletrónicos nos EUA

O acetato de vitamina E foi identificado como a causa provável das 39 mortes devido à utilização de cigarros eletrónicos nos EUA, na passada sexta-feira.

O uso deste substituto do tabaco também já fez mais de dois mil doentes e, de acordo com o Deutsche Welle, será a mesma substância a estar na origem destes problemas de saúde.

Num estudo do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) o óleo foi encontrado em todas as 29 amostras de fluido pulmonar de pessoas que adoeceram no surto de lesões pulmonares perigosas relacionadas com o vaping.

“Esta foi a primeira vez que detetámos um potencial produto químico preocupante em amostras biológicas de pacientes com essas lesões pulmonares”, afirmou o CDC em comunicado, citado pelo Observador. “Estas descobertas fornecem evidências diretas de acetato de vitamina E no local primário da lesão nos pulmões.”

Por outro lado, de acordo com o The Washington Post, esta descoberta não descarta outros possíveis compostos ou ingredientes que estar na origem das lesões nos pulmões. O CDC testou uma ampla gama de substâncias que poderiam ser encontradas nos fluidos pulmonares dos pacientes, incluindo óleos vegetais e destilados de petróleo, como o óleo mineral, mas nenhum foi detetado.

Alguns pacientes relataram ter usado apenas vapores de nicotina, o que foi contrariado pelos testes de urina, que mostraram a presença de THC.

A autoridade reguladora da segurança alimentar e dos fármacos (Food and Drug Administration — FDA) divulgou que lançou uma investigação criminal, a par da investigação do CDC sobre a causa das doenças, para determinar se “alguém está a fabricar ou a distribuir produtos ilícitos e a dulterados que tenham causado doenças e morte para lucro pessoal”. “Consideraríamos isso um ato criminoso”, disse o então comissário da FDA Norman “Ned” Sharpless.

O acetato de vitamina E também foi encontrado em amostras recolhidas em todo o país (EUA) e testadas pela FDA. Os testes encontraram THC em cerca de 70% das amostras. Cerca de metade também continha óleo de vitamina E.

Foram registados 450 casos de doença pulmonar causada potencialmente pelo uso de cigarros eletrónicos em 33 estados norte-americanos. As vítimas começaram por apresentar sintomas como tosse, dor no peito e dificuldade em respirar, e num curto período do tempo a sua saúde deteriorou-se ao ponto de terem de ser hospitalizados. Outros pacientes apresentaram náuseas, vómitos, diarreia, fadiga e perda de peso.

Segundo uma análise preliminar realizada pelo Centro de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA, a maioria dos consumidores recorreu a produtos que continham compostos da canábis, incluindo THC (tetraidrocanabinol), substância psicoactiva encontrada na canábis.

Os cigarros eletrónicos retirados do mercados são cigarros com sabor, que tem que ver com o número crescente de jovens norte-americanos que utilizam estes cigarros. O estado norte-americano de Massachusetts suspendeu, por um período de cerca de quatro meses, a venda de cigarros eletrónicos. Já os estados do Michigan, Nova Iorque e Rhode Island pretendem restringir a venda de tabaco com sabores para vaporizadores. A cidade de São Francisco anunciou em junho que ia proibir a venda de cigarros eletrónicos em 2020.

A polémica também levou o Governo indiano a decretar a proibição de cigarros eletrónicos no país, seja através da produção, importação ou exportação, transporte, armazenamento e venda. Uma primeira infração é punível com um ano de prisão e/ou multa de 100.000 rupias (1.270 euros), até três anos e/ou 500.000 rúpias (6.300 euros) em caso de reincidência.

  ZAP //

 

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.