Deputados brasileiros aprovam “constituição” da Internet

European Parliament / Flickr

-

Após cinco meses de polémica e intensos debates, a Câmara dos Deputados brasileira aprovou esta terça-feira o projeto do Marco Civil da Internet. O texto, que estava a ser discutido desde 28 de outubro de 2013, foi aprovado por votação simbólica.

O projeto define os direitos e deveres dos utilizadores e provedores de serviços de ligação à rede e aplicações na Internet. A aprovação abre caminho para que os internautas brasileiros possam ter a garantia do direito à privacidade e à não discriminação do tráfego de conteúdos. O texto segue agora para o Senado, onde se espera uma aprovação mais rápida.

“Hoje em dia precisamos de lei para proteger a essência da Internet que está ameaçada por práticas de mercado e, até mesmo, de governo. Precisamos garantir regras para que a liberdade na rede seja garantida”, disse o deputado Alessandro Molon, do Partido dos Trabalhadores, relator do projeto.

Após diversas negociações, o governo conseguiu que os partidos que se opunham ao Marco Civil mudassem de ideias, com apenas um voto contra. Eduardo Cunha, líder da bancada parlamentar do PMDB (oposição), afirma que o partido mudou a sua posição mas continua com “uma parte do receio de que a Internet chegou onde chegou por falta de regulação”.

Privacidade, liberdade, neutralidade

Antes da votação, um grupo de manifestantes entregou ao presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, uma petição com mais de 340 mil assinaturas a favor do Marco Civil da Internet. Na ocasião, Alves disse que o projeto já estava “amadurecido” para ir à votação.

Entre os principais pontos da proposta estão: a garantia do direito à privacidade dos utilizadores, especialmente à inviolabilidade e ao sigilo de suas comunicações pela Internet. Atualmente, as informações são usadas livremente por empresas que vendem esses dados para o setores de marketing ou vendas, mas isso passará a ser feito apenas com o consentimento do utilizador.

De acordo com o texto, as empresas não vão poder limitar o acesso a certos conteúdos ou cobrar preços diferenciados para cada tipo de serviço prestado.

Pontos polémicos

Antes da votação, o governo recuou e aceitou alterar alguns pontos considerados polémicos por deputados da oposição e da base aliada. O principal é o princípio da neutralidade de rede que assegura a não discriminação do tráfego de conteúdos, que será regulamentado pela Anatel, a agência brasileira de telecomunicações, e pelo Comité Gestor da Internet no Brasil (CGI).

Ficou de fora também a obrigatoriedade das empresas provedoras de ligação à rede e aplicações de Internet manterem em território nacional a estrutura de armazenamento de dados, os chamados data centers, um ponto que tinha sido introduzido depois das denúncias de espionagem dos EUA.

Outro ponto do projeto é o que isenta os provedores de ligação à Internet de serem responsabilizados civilmente por danos decorrentes de conteúdos gerados por terceiros, o que só acontecerá se, depois de uma ordem judicial específica, o provedor não tomar as providências para retirar o conteúdo da rede.

ZAP / ABr

PARTILHAR

RESPONDER

Em pânico, os norte-americanos estão a comprar pintainhos para lidar com a pandemia

Todo o mundo está a ser afetado pela pandemia de covid-19, tendo os norte-americanos, inicialmente, corrido aos supermercados para comprar o máximo de papel higiénico possível. Porém, agora, o produto é outro. De acordo com o …

20 anos depois, aldeias no Peru ainda sofrem com derrame de mercúrio

Em junho de 2000, um camião derramou mercúrio, da mina de ouro Yanacocha, a maior da América Latina, em três aldeias do Peru. 20 anos depois, os moradores ainda sofrem as consequências deste acidente. Quando Francisca …

Caso BPP. Ex-banqueiro João Rendeiro acusado de nova burla

O Ministério Público (MP) acusou o ex-presidente e fundador do BPP, João Rendeiro, de mais um crime de burla qualificada no caso BPP, segundo avança o Correio da Manhã. A acusação relaciona-se, de acordo com o …

EUA "confiscam" na Tailândia 200 mil máscaras que iam para a Alemanha

A polícia de Berlim, na Alemanha, encomendou 200 mil máscaras cirúrgicas a uma empresa americana. Porém, foram "confiscadas" em Banguecoque, na Tailândia, e desviadas para os Estados Unidos. O ministro do Interior de Berlim considerou o …

Valência chega a acordo com Diogo Leite. Saída do FC Porto estará quase consumada

O Valência tem 20 milhões de euros para oferecer ao FC Porto em troca do defesa-central Diogo Leite, com quem já terá chegado a acordo. De acordo com o jornal desportivo A Bola, Diogo Leite já …

Jornais espanhóis fazem boicote às "conferências-farsas" do Governo

Os jornais espanhóis, como o Libertad Digital, o El Mundo, o ABC e o Vozpópuli, estão a boicotar as conferências de imprensa do governo de Espanha, acusando-o de filtrar as perguntas dos meios de comunicação. Tudo começou …

Número diário de óbitos desce em Espanha. Mais um campo de refugiados grego em quarentena

Em Espanha, o número diário de óbitos por infeção de covid-19 tem mantido uma tendência de subida. Já na Alemanha, há menos casos, mas mais mortes. Espanha continua a manter a tendência de descida do número …

Trump diz que o pior está para vir (mas admite aliviar restrições para ir à missa na Páscoa)

Este sábado, o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, admitiu que o pior ainda está para vir e que ainda “vai haver muitas mortes". Depois, disse que está a pensar aliviar as restrições para permitir …

Covid-19. Mais 754 casos de infeção e 29 mortes em Portugal

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Deral da Saúde (DGS) este domingo, há 11.278 infetados por covid-19 em Portugal e 295 óbitos. O número de infetados por covid-19 subiu, este domingo, para um total …

Inspetores do SEF suspeitos de assassinar ucraniano foram identificados em carta anónima

Os três inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) suspeitos de assassinar um ucraniano no aeroporto de Lisboa foram identificados numa carta anónima enviada à Polícia Judiciária (PJ). De acordo com o semanário Expresso, a …