“Depravação”, brutalidade e estado psicológico de Putin. John Kirby teve de conter as lágrimas

8

Chairman of the Joint Chiefs of Staff

O porta-voz do Pentágono, John Kirby

O porta-voz do Pentágono, equivalente ao Ministério da Defesa nos países europeus, acusou esta sexta-feira o Presidente da Rússia de “depravação” e “brutalidade” pela maneira como as tropas russas estão a comportar-se na Ucrânia.

Questionado durante uma conferência de imprensa sobre o comportamento do líder russo, John Kirby afirmou que “é difícil olhar para algumas das imagens e imaginar um líder sério a fazer isso”, referindo-se às atrocidades de que as tropas russas têm sido acusadas de cometer na invasão à Ucrânia.

“É difícil olhar para o que ele está a fazer, para o que as suas tropas estão a fazer, e pensar que qualquer indivíduo ético, moral, pode justificar isso; é difícil olhar para as imagens… e imaginar que qualquer líder pensante, sério, maturo, faria isso”, acrescentou o porta-voz do Pentágono.

Kirby teve de interromper a frase para segurar as lágrimas. “Não posso falar sobre o seu estado psicológico, mas penso que todos percebemos a sua depravação“.

Kirby chamou “lixo” aos argumentos “bizarros” do líder do Kremlin, segundo os quais a guerra está a ser travada para proteger a minoria russa na Ucrânia do nazismo ucraniano.

O porta-voz do Kremlin argumentou que é “difícil conciliar essa retórica com o que ele está a fazer na Ucrânia a pessoas inocentes alvejadas na nuca, com as mãos atadas atrás das costas, a mulheres, mulheres grávidas mortas, hospitais bombardeados”.

“É simplesmente inconcebível”, concluiu Kirby, que se tornou uma das principais figuras do Governo dos EUA desde que a invasão começou, e que faz parte de uma lista de personalidades dos EUA sancionadas por Moscovo.

Rússia pede à NATO que pare de armar Kiev

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, pediu à NATO e aos Estados Unidos que parem de entregar armas à Ucrânia, se “estiverem realmente interessados em resolver a crise ucraniana”.

Numa entrevista publicada hoje pela agência de notícias oficial chinesa Xinhua, Lavrov lembrou que “um fluxo contínuo de armas de todos os tipos tem entrado na Ucrânia através da Polónia e de outros países da NATO”.

“Se os Estados Unidos e a NATO estiverem realmente interessados em resolver a crise ucraniana, então, acima de tudo, devem acordar e parar de entregar armas e munições ao regime de Kiev”, acrescentou o chefe da diplomacia russa.

Na terça-feira, líderes militares de cerca de 40 países reuniram-se em Ramstein, na Alemanha, tendo decidido passar a encontrar-se mensalmente para discutir o fortalecimento das capacidades militares da Ucrânia contra a Rússia.

Na entrevista à Xinhua, Lavrov assegurou que “a invasão que começou em 24 de fevereiro está a seguir de acordo com o planeado”.

United Nations / Flickr

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o ministro dos Negócios Estrangeiros, Serguei Lavrov

“Todos os objetivos da operação militar especial serão alcançados, apesar da obstrução dos nossos adversários”, acrescentou o ministro dos Negócios Estrangeiros russo.

O Presidente ucraniano Volodymyr Zelensky reconheceu, na noite de sexta-feira, que a situação na região nordeste do país, onde as forças russas concentram a sua ofensiva, é “difícil”. “Mas os nossos militares estão a obter sucessos táticos”, acrescentou.

O Ministério da Defesa ucraniano deu como exemplo Rouska Lozova, uma localidade situada a norte de Kharkiv, que as forças russas estavam a usar para atacar a segunda maior cidade da Ucrânia.

Rouska Lozova foi recuperada pelos ucranianos após intensos combates e mais de 600 moradores foram retirados, avançou o ministério.

A 22 de abril, a União Europeia e os Estados Unidos manifestaram “preocupação com a repetida manipulação de informação por parte da China, inclusive através da difusão da desinformação de Moscovo”, sobre a guerra na Ucrânia.

Pequim tem-se recusado a condenar a invasão da Ucrânia e defende a sua amizade com Moscovo.

  ZAP // Lusa

8 Comments

  1. Que tragédia! Face ao massacre de Ucranianos, os nostálgicos do Partido Comunista ainda se posicionam pró-russo, não têm empatia com o sofrimento dos Ucranianos.

    • Eu não gosto do CDU mas a vossa atitude é nojenta.

      CDU é anti guerra, tal como você seria se o caso se trata-se de ser os seus filhos, mas como são “os outros” já é tudo muito giro, seria bem feito portugal se envolver na guerra e voce ou os seus filhos serem forçados a ir.

      • Porque é que estes comunistas têm todos um problema de escrita?!?
        “Trata-se…’ ?!?!
        Ah… é por conviverem muito com os russos… Já percebi.
        Quanto ao resto do comentário não tem nada a ver com o que foi referido pelo FM. É um disparate total. O amigo está alcoolizado?!

  2. Os Ucranianos, os Americanos e alguns lideres Europeus estão a fazer tudo para a Russia lhes lançar bombas nucleares. Tenham juízo! Será um sofrimento milhoes de vezes superior ao dos Ucranianos.

    • Nós, ocidentais não temos de aceitar as paranóias de um doido a todo o custo. E se tiver de haver uma terceira guerra mundial (e estou convencido que haverá, nem que seja daqui a 10 ou 20 anos, e até mais por causa dos chineses) então que haja. Todos vamos desta para melhor. Mais cedo ou mais tarde. Nesta próxima guerra, não fica cá ninguém. Nem o Putin. Acaba-se a espécie. Também os dinossauros já mandaram nisto tudo e já há muito que ninguém vê nenhum…vivo.

  3. Como alguém disse… Que raio de sanções à Rússia são estas em que o euro apenas em 2022 já perdeu mais de 13% em relação ao rublo e também em relação ao dollar ? Aliás o euro perde para todas as principais moedas enquanto curiosamente o dollar ganha a todas. O valor dos 13% que o rublo ganha ao euro é superior ao valor dos prejuízos causados pelas sanções. Acordem portugueses, as sanções não são contra a economia russa mas sim contra a economia europeia. É a agenda 2030 a todo o vapor. O caminho do colapso da nossa moeda para a criação de uma nova moeda digital está mais perto do que muitos imaginam.
    Dizem que metem sanções à Rússia mas quem se prejudica mais é a Europa, já repararam? É isso que tem estado a acontecer com o custo de vida das pessoas a aumentar como não se via há muitos anos. No entanto os grandes oligarcas do mundo enriquecem cada vez mais como por exemplo a Repsol a duplicar os lucros logo no primeiro trimestre do ano.

  4. Este John Kirby deve ter andado a treinar em Holyhood, e são é lágrimas de crocodilo. Os democratas dos EUA ficaram tão ressabiados com a vitória do Trump que farão tudo o que for preciso para tentar destruir a Rússia, a Ucrânia foi um óptimo pretexto e para isso pouco se importam que milhares de ucranianos percam a vida e os seus bens, e milhões (já mais de 10) tenham de deixar a sua casa ou o seu país. E quem vai pagar tudo isto? Os tótós dos europeus, claro. Cheira-me até que o secretário geral da ONU António Guterres tem sido impedido de exercer um papel mais ativo na busca de soluções para este conflito e apenas lhe permitiram ao fim de 60 dias que desse sinal de vida, mas apenas para resgatar umas centenas de civis de Mariupol, parece-me pouco para o papel que a ONU devia ter…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.