Deitar tarde e tarde erguer faz mal ao cérebro e aumenta o risco de doenças psiquiátricas

Os indivíduos que preferem adormecer e acordar mais tarde têm um maior risco de estarem isolados socialmente e de desenvolverem depressão.

É daquelas pessoas que prefere deitar-se mais tarde e acordar mais tarde? Temos más notícias — afinal, há alguma verdade na sabedoria popular que diz que deitar cedo e cedo erguer dá saúde e faz crescer.

De acordo com um estudo publicado na Biological Rhythm Research, ser mais dado à noite está associado a uma maior auto-percepção da solidão e a um volume do hipocampo direito menor.

A preferência por se ir dormir e acordar mais tarde também já estava ligada a um maior risco de se desenvolver diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares e também aumenta o risco de depressão, de neuroticismo e de se ter uma regulação emocional mais debilitada.

Uma hipótese que explica estas correlações negativas está relacionada com a solidão quando esta não é uma opção explícita da pessoa em questão. Os contactos sociais estão ligados a uma saúde mais vigorosa e ao bem-estar, enquanto que a sua falta é um dos factores que pode causar depressão, aponta o PsyPost.

Ray Norbury, autor do estudo, partiu em busca da resposta à questão sobre se a solidão varia quem acorda mais tarde ou mais cedo e tentou determinar o seu impacto no volume subcortical na amígdala e no hipocampo.

A amostra foi composta por 4684 adultos entre os 40 e os 70 anos e foram tidos em conta o sexo, a duração do sono e dados socioeconómicos. Para além da pergunta sobre a preferência entre acordar cedo ou tarde, os participantes também responderam sobre o seu historial de saúde mental e sobre a solidão.

Foram também recolhidas imagens dos cérebros que foram depois divididas em três tipos de tecidos, incluindo a matéria cinzenta, a matéria branca e o fluido cérebro-espinhal, para se estimar o volume intracraniano.

Os participantes mais velhos tinham uma maior tendência para preferirem as manhãs, mas não foram notadas diferenças entre os sexos ou na duração do sono entre os dois grupos. As mulheres tinham também uma maior probabilidade de afirmarem que se sentem sozinhas.

Entre os participantes que se confessam solitários, os que preferem acordar cedo tinham um volume do hipocampo maior comparativamente a quem gosta mais de dormir e acordar mais tarde. Os dados apoiam a teoria de que a preferência por ficar acordado pela noite dentro leva a um menor volume no hipocampo direito, mas não no esquerdo ou na amígdala.

O autor aponta ainda algumas limitações do estudo, como o facto de ter sido usada uma única pergunta para determinar a solidão, que pode significar algo diferente dependendo da pessoa a quem se pergunta.

Também não se pode inferir pelos dados se os contactos sociais diminuem entre quem prefere ir dormir mais tarde no fim da adolescência devido à transição para a vida adulta, que leva à perda de proximidade com antigos amigos que adoptem um horário compatível com os trabalhos e isolem quem gosta mais de conviver à noite.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE