Quatro anos depois, Danny recuperou a sua prancha. Estava a 2700 quilómetros

Danny Griffiths / Instagram

O surfista Danny Griffiths

Um surfista australiano recuperou a sua prancha quatro anos depois de a ter perdido. Estava a 2700 quilómetros do sítio onde a tinha visto pela última vez.

Danny Griffiths, um surfista habituado a ondas grandes, perdeu a sua prancha na ilha de Pedra Branca, na Tasmânia, em março de 2017, depois de ter caído numa onda. Em declarações à cadeia televisiva CNN, o australiano disse que, apesar de muito ter procurado, teve de a dar como perdida e nunca pensou “vê-la novamente”.

Agora, quatro anos depois, a prancha verde voltou a aparecer a mais de 2700 quilómetros, mais precisamente no norte de Queensland. Quando viu uma fotografia, o surfista não teve dúvidas.

“Assim que a vi, soube que era a minha prancha. Mesmo com os crustáceos à volta dela, consegui logo dizer que era minha”, conta Griffiths.

Pelos vistos, conta a cadeia norte-americana, a prancha foi encontrada, há dois anos, por dois irmãos que estavam a pescar na Ilha Magnetic, no norte de Queensland. A dupla decidiu levá-la para casa, limpá-la e ficar com ela como recordação.

Depois, por coincidência, numas férias na Tasmânia, os pais dos jovens contaram a história a uns locais de como os filhos tinham encontrado uma prancha de surf enquanto estavam a pescar. A palavra começou a espalhar-se e acabou por chegar à comunidade desta modalidade. Griffiths acabou por entrar em contacto com os dois irmãos, que acabaram por concordar em devolvê-la ao seu dono.

O surfista até falou com um cientista marinho para tentar perceber como é que a prancha se afastou tantos quilómetros. O especialista explicou-lhe que a direção das correntes oceânicas provavelmente fez com que esta tivesse andado pela Nova Zelândia até chegar a Queensland.

A prancha terá andado à deriva cerca de 16 meses e só terá sobrevivido graças à sua robustez, típica das pranchas feitas para surfar ondas grandes. “Estas pranchas são construídas para suportar muita pressão da água”, disse Griffiths, acrescentando que provavelmente poderia ser atropelada por um carro sem que nada lhe acontecesse.

O surfista disse que tinha feito a prancha especificamente para surfar na ilha de Pedra Branca, na qual só o consegue fazer quando as condições meteorológicas o permitem, isto é, a cada dois ou quatro anos.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Não precisa de esperar tanto tempo para encontrar ondas grandes! Venha à praia do norte, na Nazaré, em Portugal! De preferência em Novembro, quando são ultrapassados muitos records do guiness, neste local único no mundo!

RESPONDER

Vulcão, La Palma

O Cumbre Vieja também tem negacionistas. "É tudo orquestrado"

Nos últimos dias, as redes sociais têm-se tornado o palco dos "negacionistas dos vulcões" que defendem que, por trás da erupção do Cumbre Vieja, há mão humana. Nas redes sociais já há negacionistas do vulcão Cumbre …

Selecção da Lituânia falhou os Mundiais porque...chegou atrasada

Per Strand venceu, António Morgado ficou em sexto, mas os ciclistas da Lituânia acabaram por marcar a prova de estrada de juniores, nos Mundiais em Flandres. Per Strand Hagenes é o novo campeão mundial júnior de …

Gil Vicente 1-2 Porto | Dragão canta de galo com dois golaços

Foi sofrer até ao fim. Sérgio Conceição tinha alertado que não seria fácil bater o Gil Vicente e foi isso que ocorreu na noite desta sexta-feira em Barcelos. O FC Porto apenas a um minuto dos …

Na II Guerra Mundial, um erro "humilhante" destruiu dois imponentes navios de guerra da Marinha Real

No dia 10 de dezembro de 1941, os japoneses afundaram os imponentes Prince of Wales e Repulse. A culpa foi do almirante Thomas Phillips que, na sequência de um "erro humilhante", acabou também por falecer. Winston …

O robô Atlas, da Boston Dynamics, faz parkour (e até dá um mortal para trás)

O Atlas é, sobretudo, um projeto de investigação: um robô que ajuda os engenheiros da Boston Dynamics a trabalhar em melhores sistemas de controlo e perceção. O parkour é um verdadeiro desafio para os seres humanos, …

Na Tailândia, um "cemitério" de táxis foi transformado numa horta sobre rodas

Desde pimentos a pepinos, beringelas e até mangericão. Num parque de estacionamento ao ar livre em Banguecoque, os táxis abandonados transformam-se em hortas para alimentar os trabalhadores. A pandemia de covid-19 obrigou os táxis de Banguecoque …

Morreu o "último nazi" canadiano, aos 97 anos

Um ucraniano que serviu como tradutor no regime nazi morreu na quinta-feira na sua casa, em Ontário, no Canadá, encerrando uma luta de décadas para deportá-lo e acusá-lo de cúmplice no assassinato de dezenas de …

No Sri Lanka, elefantes traficados foram resgatados. Mas voltaram às pessoas que os compraram ilegalmente

Um tribunal do Sri Lanka devolveu elefantes resgatados a pessoas influentes que foram acusadas de os terem comprado ilegalmente. Durante alguns anos, elefantes selvagens permaneceram na corda bamba de uma intensa batalha de custódia judicial entre …

Sporting 1-0 Marítimo | Porro volta a decidir de penálti

Que sofrimento! É normal ver os “grandes” dominarem por completo os seus adversários, mas nesta partida entre Sporting e Marítimo, em Alvalade, praticamente só houve uma equipa a atacar e a procurar o golo. Ainda assim, …

A falhar pagamentos e com 260 mil milhões de dívida - como é que a Evergrande chegou até aqui?

A situação da imobiliária chinesa Evergrande, que tem uma dívida maior do que a economia portuguesa, está a deixar o mundo ansioso sobre uma eventual repetição da história da crise de 2008, que começou com …