Dados clínicos dos portugueses vão ser partilhados na Europa a partir de julho

d.r. Espírito Santo Saúde

Luxemburgo, Finlândia, Estónia, República Checa e Croácia são os primeiros países com os quais Portugal vai partilhar dados de saúde dos seus cidadãos. Espanha será no próximo ano e França em 2021.

A primeira fase abrange um resumo de saúde dos portugueses e receitas eletrónicas, mas o objetivo é estender a informação a TAC e a raio-X. Se estiver no Luxemburgo e tiver uma receita médica eletrónica do Serviço Nacional de Saúde para levantar, a partir deste ano é possível fazê-lo numa farmácia deste país.

Médicos de países europeus vão ter acesso ao resumo de saúde pessoal dos portugueses, mediante autorização expressa dos cidadãos, que inclui as vacinas e as alergias que constam no registo de cada utente. Um sistema que vai poder ser usado por turistas e emigrantes portugueses – só no Luxemburgo representam 19% da população.

Os dois serviços vão começar a ser implementados a partir de julho, avançou ao Diário de Notícias o presidente dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), Henrique Martins. Para já, a partilha de informação entre países vai abranger Luxemburgo, Finlândia, Estónia, República Checa e, até ao final do ano, a Croácia. A nova funcionalidade vai ser abordada no Portugal eHealth Summit 2019, cuja terceira edição vai decorrer nos dias 19 e 20 de março no Altice Arena.

“Em 2020 há a expectativa de ter a Suécia e também Espanha para alguns serviços. A Alemanha será só em 2021 ou 2022, uma vez que está muito atrasada nesta área da saúde digital, eHealth. Com a França o compromisso é para ser em 2021″, revela o presidente do organismo do governo responsável pelos sistemas informáticos no Serviço Nacional de Saúde.

Devido à instabilidade criada pelo processo de saída da União Europeia, ainda não há data para a Inglaterra. Isto não significa que não venha a fazer parte deste grupo de países que vão partilhar a informação, mesmo fora da UE. Até porque “há países que não são da UE, como a Noruega, que vão preparar-se para fazer esta partilha”.

A implementação deste sistema “está a ser feita de forma faseada em quatro anos”, porque “nem todos estão preparados” para receber a informação clínica de cidadãos de outros países. “Portugal entrou logo no primeiro grupo”, congratula-se Henrique Martins.

“Parte da nossa informação clínica passa a ser partilhada com hospitais de outros países, desde que a pessoa autorize. Isso vai ser uma mais-valia nos cuidados de saúde de quem precise deles fora de Portugal”, exemplifica.

A partir de julho há dois tipos de informação que se vai partilhar: a receita sem papel, eletrónica, e o chamado Patient Summary. “No fundo, o resumo que tem os diagnósticos principais, as vacinas, as alergias e mais alguma informação administrativa, que permite ao médico de outro pais poder ter acesso a uma informação mínima de um doente na língua dele, porque nós não só enviamos informação como também o sistema traduz para a língua do país de destino”, explica Henrique Martins.

O presidente dos SPMS, entidade tutelada pelo Ministério da Saúde e das Finanças, ressalva, no entanto, que o médico de outro pais “vai ter acesso a uma parte” da informação. Não se trata de todo o processo clínico do doente. “Não é a história completa da vida das pessoas”, concretiza.

Os dados de saúde vão poder ser partilhados com o devido consentimento. Caso o cidadão não tenha autorizado a partilha de dados a informação não é enviada.

No caso dos estudantes portugueses, este serviço também se torna relevante quando vão para fora do país completar os estudos, uma vez que todo o historial de saúde está cá. Entre os beneficiários deste sistema de partilha estão os milhares de turistas que visitam e estudantes que escolhem Portugal no âmbito de programas de intercâmbio.

Portugal vai “adotar o software de urgência” para que possa avisar o profissional de saúde que o doente estrangeiro que está a atender é um cidadão de um país onde há informação clínica que pode ser pedida. A partir deste momento, se o médico entender, escolhe a opção para que possa aceder a esses dados e “isso desencadeia um pedido digital que vai parar ao outro país”.

A partilha do resumo de saúde do cidadão e das receitas eletrónicas é só o início. O objetivo é “ir mais longe”. “A ideia é expandir para partilhas de imagem, de TAC e raio-X, resultados laboratoriais. Tudo isso está agora ser trabalhado e estamos a começar a definir as regras com que vamos partilhar estas coisas mais concretas.”

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Inscrição hebraica com 2.800 anos revela antigo nome bíblico

Uma equipa de arqueólogos encontrou um jarro com 2.8000 anos com a inscrição em hebraico "Benayo" no sítio arqueológico de Abel Beth Maacah, no norte de Israel, local várias vezes mencionado na Bíblia Hebraica.  De …

Braga vence FC Porto e conquista Taça da Liga. Sérgio coloca lugar à disposição

O Sporting de Braga venceu hoje o FC Porto por 1-0 e conquistou a Taça da Liga, com Ricardo Horta a marcar o golo decisivo aos 90+5, garantindo um troféu que os bracarenses já tinham …

Rara moeda de ouro com a cara de Eduardo VIII vendida por preço recorde

Uma rara moeda de ouro com o perfil do rei britânico Edward VIII foi vendida a um comprador particular pelo valor recorde de 1,3 milhões de dólares. A informação é avançada pela Royal British Mint, a …

Depois dos incêndios, Austrália está prestes a experimentar uma "bonança" de aranhas mortais

Depois dos incêndios florestais que assolaram o país, os australianos começaram a implorar por chuva. O bónus de aranhas mortais não estava incluído no pedido, mas os especialistas do Australian Reptile Park acreditam que é …

Governo admite retirar cidadãos nacionais de Wuhan

As autoridades portuguesas estão a cooperar com outros países europeus para reforçar o apoio aos cidadãos nacionais que se encontram em Wuhan, onde ocorreram os primeiros casos do novo coronavírus, admitindo a possibilidade de retirá-los …

Os cogumelos podem ser muito mais antigos do que pensávamos

Os cogumelos podem ser mais antigos do que pensávamos, concluíram cientistas que dataram vestígios de micélio (constituinte dos cogumelos) com 800 milhões de anos, divulgou esta quarta-feira a Universidade Livre de Bruxelas, na Bélgica. Estudos anteriores …

Comer iogurte natural pode ajudar a reduzir o risco de cancro da mama

Uma das causas mais apontadas para o cancro da mama é a inflamação causada por bactérias nocivas. Esta tese ainda não foi provada, mas é apoiada pelas evidências até agora disponíveis de que a inflamação …

Primeiro caso suspeito de infeção por coronavírus detetado em Portugal

Foi detetado o primeiro caso suspeito de infeção infeção pelo novo coronavírus , em Portugal, anunciou este sábado a Direção-Geral de Saúde. “Este doente, regressado hoje [este sábado] da China, onde esteve na cidade de Wuhan …

Slava Semeniuta transforma chuva em atmosfera néon

O artista e fotógrafo russo Slava Semeniuta, também conhecido como Visual Scientist, mistura elementos naturais e faz mágica com eles. Slava Semeniuta, também conhecido como Visual Scientist, retoca fotografias de poças de água para criar composições …

Empresa quer vender dispositivos que extraiem água potável do ar

A empresa israelita Watergen está a planear começar a vender uma versão para o consumidor do seu aparelho que extrai água potável do ar ainda este ano. A tecnologia do gerador atmosférico da empresa está em …