A culpa de as baleias darem à costa é das tempestades solares

Antonio / Wikimedia

Cachalotes deram à costa por causa de tempestades solares

Tempestades solares, responsáveis pelo fenómeno conhecido como aurora boreal, podem ter sido responsáveis por 29 cachalotes terem dado à costa em em praias do Atlântico Norte no ano passado.

Um estudo de cientistas da Univerisdade de Kiel, na Alemanha, alerta que perturbações magnéticas podem ter interferido no sentido de orientação das baleias e desviado o grupo para águas rasas, segundo a BBC.

Todas as baleias morreram. Na autópsia, os cientistas ficaram intrigados com o facto de que, na maioria, o organismo dos animais não exibia sinais de desnutrição ou doenças. E todos os cachalotes eram jovens.

Por isso, houve, no meio científico, muitas teorias sobre as possíveis causas do encalhe. Houve quem falasse em envenenamento ou mesmo num acidente durante a procura por alimento.

Os cachalotes vivem em águas profundas e de temperatura quente a moderada. Muitos grupos vivem perto do arquipélago português de Açores. Quando atingem idade entre os 10 e os 15 anos, porém, os jovens machos migram para o norte, em direção à região polar, atraídos pela grande quantidade de lulas em águas mais frias.

A viagem normalmente passa pelas costas de países europeus. No entanto, no espaço de apenas um mês, os animais começaram a aparecer em praias alemãs, holandesas, britânicas e francesas.

Os cientistas da Universidade de Kiel dizem que a chave para entender o mistério é a possibilidade de os cachalotes navegarem com auxílio do campo magnético da Terra. O campo não é uniforme e varia de intensidade em diferentes regiões, algo que as baleias aprenderam a “ler” da mesma forma que os humanos veem contornos em mapas.

No entanto, a perceção pode ter sido alterada por grandes tempestades solares. Essas explosões de massa do sol emitem radiação e partículas que, ao atingir a atmosfera da Terra, produzem o fenómeno conhecido como aurora boreal.

Tempestades mais intensas podem até causar danos em satélites. E alguns cientistas dizem ter provas de que a atividade solar pode ter impactos no sentido de orientação de pássaros e abelhas.

A equipa orientada por Klaus Vanselow estudou a conexão entre baleias que deram à costa e duas grandes tempestades solares ocorridas em dezembro de 2015. As tempestades produziram espetáculos de luzes vistos não apenas em países no norte, como a Noruega, mas também na Escócia.

No entanto, também causaram distúrbios temporários de até 460 km no campo magnético de uma área entre as Ilhas de Shetland, no extremo norte do Reino Unido, e a Noruega, afirma Vanselow.

Esse facto pode ter estado na origem da confusão das baleias que viajavam pela zona, até porque a equipa de cientistas de Kiel suspeita que os cachalotes usem o campo magnético da costa da Noruega como orientação. “A região da aurora boreal é a que mais tem distúrbios geomagnéticos na superfície da Terra”, explica Vanselow.

“Os cachalotes são animais enormes e podem nadar durante dias na direção errada por causa desse efeito e só depois corrigem o curso. No entanto, se isso ocorrer na área entre a Noruega e a Escócia, elas podem ficar presas (em águas mais rasas)”.

O cientista alemão acredita que, por terem crescido perto dos Açores, uma área com pouco impacto de tempestades solares, os cachalotes têm pouca experiência com o tipo de evento que ocorre nos polos. Apesar de a teoria ser difícil de provar, outros cientistas dizem ser plausível.

“É difícil dizermos que foi a causa definitiva (para darem à costa), mas pode ter sido uma das razões”, diz Abbo Van Neer, biólogo da Universidade da Alemanha que fez a autópsia das 16 baleias que apareceram na costa alemã.

A NASA também tem conduzido estudos sobre o impacto das tempestades solares em cetáceos por todo o mundo, e um grupo de cientistas ligados ao projeto publicará, nas próximas semanas, um estudo sobre encalhes na região de Cape Cod, na costa leste americana, e tempestades geomagnéticas.

“A teoria tem credibilidade, já que estamos a falar de um potencial mecanismo que pode confundir os animais. Mas acho que o estudo não prova tudo. A nossa análise sugere que não há um único fator que contribua para os encalhes”, afirma Antti Pulkkinen, chefe do projeto da NASA.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

A Lua pintou-se de vermelho na Argentina (e a causa não é propriamente boa)

Uma estranha lua com tons avermelhados pintou o céu da Argentina. O fenómeno misterioso encheu as redes sociais de fotografias e teorias. Em diferentes regiões da Argentina, várias pessoas puderam apreciar, nas últimas noites, a Lua …

Aeronave autónoma é uma alternativa acessível aos satélites (e já fez o seu primeiro voo)

A empresa Swift Engineering, em parceria com o Ames Research Center, da NASA, desenvolveu uma alternativa acessível aos satélites: uma aeronave autónoma de alta altitude e longa resistência. Já nasceu a alternativa acessível aos satélites: chama-se …

Reservas naturais chinesas salvaram os pandas da extinção (mas "esqueceram-se" dos leopardos)

Uma nova investigação revela que os esforços da China para salvar os pandas gigantes foram bem sucedidos, mas os mesmos falharam na proteção de outros animais que partilham o mesmo habitat, como é o caso …

Comunidade científica critica Trump por dizer que NASA estava "morta"

Na quarta-feira, o Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, afirmou no Twitter que "a NASA estava fechada e morta" até que o próprio fez com que voltasse a funcionar, afirmação que gerou consternação na …

É "bastante provável" que chegue à Europa uma Cybertruck de menores dimensões

É "bastante provável" que uma Cybertruck de menores dimensões venha a ser produzida e chegue depois ao mercado europeu, revelou Elon Musk, CEO da Tesla, empresa que produz estas pickups elétricas. Questionado na rede social …

Mais seis mortos e 131 novos casos em Portugal nas últimas 24 horas

Portugal regista hoje mais seis mortos e 131 novos casos de infeção por covid-19 em relação a sábado, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde. O número de pessoas internadas é de 366, mais nove …

"Erro" do Instagram favoreceu conteúdo de Trump face ao de Biden

Um "erro" da rede social Instagram favoreceu durante dois meses o conteúdo gerado pela campanha de reeleição do atual Presidente norte-americano, Donald Trump, quando comparado com as publicações de Joe Biden, candidato democrata que está …

Fotografia partilhada nas redes sociais levou à suspensão de alunos nos Estados Unidos

Pelo menos dois alunos da North Paulding High School, no estado da Georgia, dizem ter sido suspensos depois de terem partilhado nas redes sociais uma fotografia na qual é possível ver um corredor da escola repleto …

Estado de Nova Iorque com mais mortes por Covid-19 do que França ou Espanha

Os Estados Unidos registaram 1.252 mortos e 63.913 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo uma contagem independente da Universidade Johns Hopkins. Os últimos números de casos e óbitos registados devido a Covid-19 …

Turistas voltam a viajar, mas optam pelo low-cost

Mesmo num contexto de pandemia mundial o desejo de ir de férias continua vivo. Os turistas voltaram a procurar voos, contudo as opções recaem em percursos de curta distância e mais económicos. Ao longo dos últimos …