Manifestantes criticam escolha de Macron para o Ministério do Interior. Ministro é acusado de violação

oecdtax / Flickr

Gerald Darmanin

Ativistas dos direitos das mulheres protestaram, em França e no estrangeiro, contra a nomeação do novo ministro do Interior, acusado de violação, e do ministro da Justiça, que ridicularizou o movimento #MeToo.

Ativistas dos direitos das mulheres manifestaram-se, na sexta-feira, em várias cidades francesas, contra a nomeação de Gerald Darmanin para o Ministério do Interior. O novo ministro é acusado de violação.

O Tribunal de Apelação de Paris pediu a reabertura da investigação que acusa Darmanin de ter violado e assediado sexualmente uma mulher em 2009. Sophie Patterson denunciou o abuso em 2017 e o caso foi julgado no início de 2018, mas foi encerrado depois de os procuradores afirmarem que não podiam estabelecer “ausência de consentimento”.

O caso vai voltar às mãos de um juiz de instrução, que irá decidir se deve ser reaberta uma investigação formal. Patterson alega que Darmanin abusou da sua então posição como membro do comité judicial em 2009 para forçá-la a fazer sexo com ele. Darmanin diz que as relações sexuais foram consensuais e os seus advogados alegaram difamação.

Na sexta-feira, vários manifestantes ergueram cartazes exigindo a demissão de Darmanin e denunciando “a cultura de violação“, revela o Raw Story.

O grupo feminista Nous Toutes (Todas Nós) anunciou manifestações em Paris e outras cidades francesas, assim como junto a embaixadas e consulados franceses em Londres, Sydney, Montreal, Berlim, Bruxelas, Barcelona e Telavive.

Cerca de 300 manifestantes protestaram em Toulouse, no sul de França, com cartazes onde se lia “Bem-vindo ao ministério da violação”, “Um violador no Interior, um cúmplice na Justiça” ou “Violadores na prisão, não no governo”. Os ativistas também se insurgiram contra o novo ministro da Justiça, que ridicularizou o movimento #MeToo.

Eric Dupond-Moretti, advogado, defendeu um membro do executivo acusado de violação e agressão sexual, ridicularizando as mulheres que denunciaram agressões sexuais no âmbito do movimento #MeToo. Agora, foi nomeado para o Ministério da Justiça de Macron.

O Governo francês assegurou que mantém o compromisso com a igualdade de género e defendeu os novos ministros, frisando a presunção de inocência.

A multidão exigiu a demissão de Darmanin e mostrou descontentamento por Emmanuel Macron, que prometeu fazer da luta contra a violência sexual uma grande causa do seu mandato.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Chinesa morre após salvar a filha de deslizamento de terra. Bebé esteve 24 horas nos escombros

Uma mulher morreu após salvar o seu bebé quando um deslizamento de terra e uma forte inundação atingiram a sua casa na China, revelam as equipas de resgate. Como noticia a BBC, a bebé foi resgatada …

Caso Ihor. IGAI pede expulsão do ex-diretor de fronteiras do SEF

A Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) já entregou ao ministro Eduardo Cabrita o relatório final do processo disciplinar contra o inspetor coordenador do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) António Sérgio Henriques, que propõe a …

Chuvas torrenciais fazem mais de uma centena de mortos na Índia

Pelo menos 136 pessoas morreram na Índia, em consequência de chuvas torrenciais que assolaram o país e causaram fortes enchentes e deslizamentos de terra, enterrando casas e submergindo ruas. Numa altura em que as alterações climáticas …

China inaugurou o comboio mais rápido do mundo

O comboio-bala maglev, que pode atingir uma velocidade de 600 quilómetros por hora, fez a sua estreia em Qingdao, na China, esta semana. Tal como conta a cadeia televisiva CNN, este comboio-bala maglev foi desenvolvido pela …

Quatro portugueses detidos em Espanha por alegada violação de duas mulheres

A polícia espanhola anunciou, este sábado, ter detido quatro cidadãos portugueses por suposta violação múltipla e abusos sexuais a duas mulheres de 22 e 23 anos, numa pensão em Gijón, no norte do país. Segundo a …

Stonehenge pode perder estatuto de património mundial da UNESCO

Depois de Liverpool, também Stonehenge pode perder o estatuto de património mundial da UNESCO. O aviso surge após o secretário dos transportes, Grant Shapps, ter dado luz verde aos planos de construção de um túnel …

Mais 20 mortes e 3396 casos de covid-19. Não havia tantos óbitos desde março

Portugal registou, este sábado, mais 20 mortes e 3396 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 3396 novos …

"Integral confiança". Chega segura militantes acusados de agredir homossexual

O Chega anunciou, esta sexta-feira, que mantém "integral confiança" nos candidatos e estruturas local e distrital de Viseu, referindo que só se pronunciará sobre alegadas agressões de motivação homofóbica naquela cidade depois de apurados os …

Há dezenas de autarcas envolvidos em processos sem fim à vista

Dezenas de autarcas foram neste mandato acusados por corrupção, negócios imobiliários duvidosos e abuso de poder, entre outros, em processos judiciais que se arrastam, na maioria, sem desfecho à vista a dois meses de novas …

Milhares de pessoas manifestam-se na Austrália contra o confinamento

Milhares de australianos manifestaram-se, este sábado, em várias cidades do país contra as restrições impostas pelo Governo para controlar o aumento de casos de covid-19. Em Sidney, cerca de mil manifestantes protestaram contra o confinamento decretado …