Cristiano Ronaldo: alegada agressão, polícia e demissão

1

EPA/Tim Keeton

Cristiano Ronaldo durante o Everton-Manchester United

Futebolista português atirou para o chão o telemóvel de um jovem adepto, depois da derrota do Manchester United em Liverpool.

“Pensa que é Deus e que pode fazer tudo o que quer”.

Esta foi uma das muitas reacções ao incidente que marcou o fim-de-semana na Premier League: Cristiano Ronaldo tirou o telemóvel a um jovem adepto e atirou o objecto para o chão.

O momento aconteceu logo após o Everton-Manchester United, que terminou com mais uma derrota (1-0) da equipa de Cristiano, Bruno Fernandes e Diogo Dalot.

Quase a entrar no túnel de acesso aos balneários, o internacional português viu o telemóvel, tirou-o da mão do adepto e atirou-o para o chão, com raiva.

Mais tarde, Cristiano pediu desculpa pelo que fez: “Nunca é fácil lidar com as emoções em momentos difíceis como o que estamos a enfrentar. No entanto, temos sempre de ser respeitosos, pacientes e dar o exemplo a todos os jovens que amam este desporto tão bonito”.

“Gostaria de pedir desculpa pela minha explosão e, se possível, gostaria de convidar este adepto a assistir a um jogo em Old Trafford como sinal de fair-play e desportivismo”, escreveu o capitão da selecção portuguesa.

Descrição da mãe

O jovem chama-se Jake Harding e nem é adepto do Everton: é adepto de Cristiano Ronaldo – que é o seu ídolo – e é autista.

A mãe de Jake contou o que aconteceu: “Os jogadores do Manchester United estavam a sair. O meu filho estava a filmá-los. A dada altura ele baixou o telemóvel, porque o Ronaldo puxou a meia para baixo e tinha a perna a sangrar. Baixou o telemóvel para ver o que era. Nem falou”.

“O Ronaldo passou e, com muito, muito mau humor, tirou o telemóvel da mão do meu filho e continuou a andar. Dá para ver o hematoma na mão do meu filho, onde ele lhe tocou”, descreveu Sarah Kelly, que revelou que o seu filho ficou ferido naquele momento.

“Eu estava a chorar. Ainda estou abalada. O meu filho estava em choque total. Ele é autista e também tem dispraxia, por isso, não digeriu bem o que estava a acontecer até voltar para casa. Ele está muito incomodado e isto desmotivou-o por completo de voltar a ver um jogo. Este foi o primeiro jogo a que ele foi e aconteceu isto… Aquilo arruinou completamente o dia”, continuou.

A polícia local anunciou que está a investigar o incidente e que vai falar com todas as partes envolvidas, como é habitual.

Entretanto, a organização Save the Children, que procura proteger as crianças, indicou ao jornal The Sun que afastou Cristiano Ronaldo do cargo de embaixador, que ocupava desde 2013 – no entanto o português não colabora com a instituição há quase quatro anos.

“Sempre disse que não gosto dele. Ele pensa que é Deus e que pode fazer tudo o que quer. Não significa que não seja um dos melhores jogadores da história do futebol, mas não gosto dele como pessoa”, escreveu no Twitter um ex-jogador do Liverpool, José Enrique.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

1 Comment

  1. Eu bem tenho dito que insistir na teimosia de ir longe demais poderá dar mais algum benefício monetário, mas, em contrapartida, poderá dar num mau final de carreira o que será muito mau para quem foi o melhor do mundo! Tudo isto surge devido a um desgaste físico pessoal e má prestação de toda uma equipa demasiado cara para o que tem feito! Está na hora de dar a vez aos mais jovens e procurar outra forma de vida antes que saia pela porta pequena!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.