/

Crédito para comprar casa nunca foi tão barato. Bancos bateram recorde de empréstimos

1

Há 12 anos que os Bancos que actuam em Portugal não emprestavam tanto dinheiro para a compra de casa. Em ano de crise pandémica, as condições para os empréstimos também atingiram os valores mais baixos de sempre, reflectindo a guerra de spreads e a Euribor em negativos.

Os Bancos concederam 11,4 mil milhões de euros em Crédito à Habitação em 2020, de acordo com dados do Banco de Portugal (BdP). Este valor atingiu o máximo dos últimos 12 anos.

Em 2019, a Banca tinha emprestado um total de 10,630 mil milhões de euros para a compra de casa, o que já era um valor recorde relativamente a 2008. O ano passado registou uma nova subida no valor dos empréstimos, com um aumento de 7,14%.

Só em Dezembro passado, a Banca concedeu 1,2 mil milhões de euros em créditos à habitação, o que constitui o valor mensal mais elevado desde Julho de 2008, ano da crise global que explodiu nos EUA.

Os dados do BdP refletem ainda uma descida histórica nas taxas de juro médias aplicadas aos novos empréstimos para compra de casa. Em Dezembro, essa taxa foi de apenas 0,80%, o que constitui o valor mais baixo desde que há registos.

Em Novembro, essa taxa tinha sido de 0,84%, o que já era um mínimo histórico. Em comparação, em 2019, nesse mesmo mês, a taxa era de 1,1%.

Esta descida nos custos de financiamento do crédito à habitação está relacionada com a guerra de spreads entre Bancos, com o intuito de atrair novos clientes, mas também com a descida dos juros no mercado.

A Euribor está em mínimos históricos há vários meses, com os valores bem abaixo de zero – a taxa Euribor a 12 meses está nos 0,507% negativos. E esta tendência será para manter, uma vez que o Banco Central Europeu tem garantido que a taxa de referência vai continuar em 0%.

Num tempo em que o Governo implementou um regime de moratórias de crédito para responder às dificuldades das famílias e empresas em tempos de crise pandémica, por causa da covid-19, muitas pessoas aproveitaram oportunidades de mercado para comprar casa. As condições favoráveis do mercado também ajudaram a essa decisão.

Entretanto, verificou-se, em 2020, uma quebra no financiamento ao consumo. Este tipo de créditos somou 4,330 mil milhões de euros no ano passado, o que constitui menos 17,45% relativamente aos 5,245 mil milhões de euros de 2019, ainda de acordo com dados do BdP.

Os juros nos créditos ao consumo também estão em queda, tendo-se fixado, para as novas operações, em 6,09% em Dezembro, depois de em Novembro terem estado nos 6,24%.

De notar ainda que houve um aumento no crédito às empresas para máximos que só se tinham registado em 2015, o que será um reflexo da crise. Em 2020, as novas operações nesta área movimentaram 33,563 mil milhões de euros de empréstimos, o que constitui uma subida de 2,3% face a 2019.

 

  Susana Valente, ZAP //

1 Comment

  1. Se acham que é barato então esperem pq os próximos anos vao ser uma loucura! O valor das casas, dos créditos vai cair a Pique pq a matemática o prevê!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.