Costa escreve a Alegre: “Não me receie como mata-toureiros”

António José / Lusa

O primeiro-ministro, António Costa

O primeiro-ministro António Costa escreveu uma carta aberta a Manuel Alegre, na qual defende a liberdade de cada um. E sublinha ao histórico socialista: “não me receie como mata-toureiros”.

O primeiro-ministro António Costa admite, numa carta aberta dirigida a Manuel Alegre, que “o choca” a televisão pública transmitir touradas, mas que não lhe “ocorre proibir” essa transmissão, defendendo a liberdade de cada um.

O histórico socialista Manuel Alegre escreveu na passada semana uma carta aberta, publicada também no Público, a António Costa em defesa da tourada, pedindo-lhe que “intervenha a favor de valores essenciais do PS: o pluralismo, a tolerância, o respeito pela opinião do outro” e que interceda pela descida de 6% do IVA para todos os espetáculos sem discriminar a tauromaquia.

Esta questão foi suscitada pela ministra da Cultura, Graça Fonseca, que admitiu na terça-feira, em sede de especialidade do Orçamento do Estado para 2019, um eventual alargamento dos espetáculos abrangidos pela redução do IVA de 13% para 6%, mas excluiu a tauromaquia por ser uma questão de civilização.

Numa analogia com o consumo do sal ou do açúcar, António Costa escreve que o Estado não o proíbe, “mas deve informar os cidadãos dos riscos que o seu consumo comporta para a saúde e tem o dever de promover a educação para uma alimentação saudável. E quando o faz não atenta contra a liberdade de escolha alimentar de cada um”.

Apesar de admitir que o choca que “o serviço público de televisão transmita touradas”, António Costa reclama a sua “própria liberdade” e defende a “liberdade de quem milita contra a permissão das touradas”.

“Como homem da Liberdade [Manuel Alegre] tem também de respeitar os cidadãos que, como eu, rejeitam a tourada como manifestação pública de uma cultura de violência ou de desfrute do sofrimento animal”, diz o primeiro-ministro na carta.

Na missiva, o também secretário-geral do PS explica que “por respeito pelo pluralismo e amor à liberdade”, não subscreve a frase habitualmente atribuída a Mahatma Ghandi que “o grau de civilização de determinada sociedade pode ser medido pela forma como tratam os animais”.

“O diálogo de civilizações exige respeito mútuo, tolerância e liberdade”, afirma António Costa, dizendo a Manuel Alegre para não o recear “como ‘mata-toureiros’, qual versão contemporânea de ‘mata-frades’.

O primeiro-ministro diz ainda que prefere “conceder a cada município a liberdade de permitir ou não a realização de touradas no seu território à sua pura e simples proibição legal”, considerando “extemporâneo um referendo sobre a matéria”.

A terminar a carta, Costa afirma: “bem sei que o novo politicamente correto é ser politicamente ‘incorreto’… mas então prefiro manter a tradição e defender o que acho certo, no respeito pela liberdade dos outros defenderem e praticarem o contrário”.

Na sua carta, Manuel Alegre diz apoiar esta solução governativa, mas confessa que por vezes sente a sua “liberdade pessoal ameaçada”.

“Não por causa do que se passa no mundo. Mas porque o diabo se esconde nos detalhes. Está no fundamentalismo do politicamente correto, na tentação de interferir nos gostos e comportamentos das pessoas, no protagonismo de alguns deputados e governantes que ninguém mandatou para reordenarem ou desordenarem a nossa civilização”, afirma.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

As pessoas que comem mais gordura láctea têm menor risco de doença cardíaca

As pessoas que fazem uma dieta com maior teor de gordura láctea têm um menor risco de desenvolver doenças cardiovasculares, revela um novo estudo. Uma equipa internacional de cientistas estudou o consumo de gordura láctea de …

Alaphilippe revalida título de campeão mundial de fundo

O francês Julian Alaphilippe revalidou neste domingo o título de campeão mundial de fundo, ao cortar isolado a meta no final da “prova rainha” dos Mundiais de ciclismo de estrada, que decorreram na região belga …

Do céu ao inferno. Adeptos do Palmeiras chamam "arrogante" a Abel Ferreira

O Palmeiras perdeu e está cada vez mais longe da liderança do Brasileirão. Os adeptos estão insatisfeitos com as exibições e chamaram "arrogante" a Abel Ferreira. O Palmeiras, treinado pelo português Abel Ferreira, perdeu na deslocação …

Mesmo depois da morte de Ihor, centro do aeroporto ainda tem videovigilância "muito limitada"

Um ano e meio após a morte de Ihor Homeniuk, o centro de instalação temporária do aeroporto de Lisboa (CIT) continua sem cobertura total de câmaras de videovigilância em zonas comuns. A situação atual distancia-se daquilo …

Liveblog Autárquicas. Afluência de 42,34% até às 16h

Realizam-se este domingo Eleições Autárquicas em Portugal, nas quais está em jogo a eleição de 308 presidentes de câmaras municipais, os seus vereadores e assembleias municipais, bem como 3091 assembleias de freguesia. Acompanhe tudo no …

Arqueólogos desenterram (acidentalmente) ossadas com 800 anos no Peru

Os restos mortais de oito pessoas, com aproximadamente 800 anos de idade e enterrados com alimentos e instrumentos musicais na mesma câmara funerária, foram encontrados ao sul de Lima, no Peru, durante a instalação de …

Marcelo apela ao voto "por memória deste ano e meio que não esqueceremos"

O Presidente da República considerou que votar nas eleições autárquicas é mais importante do que nunca para o país recomeçar a viver e a sair das crises sanitária, económica e social. Este apelo ao voto foi …

Onde e como? Um guia para votar nas eleições autárquicas

As mesas de voto das eleições autárquicas abriram hoje às 08:00 no continente e na Madeira para a escolha dos dirigentes dos municípios e das freguesias para os próximos quatro anos. Nos Açores, as urnas abrem …

Ensino Superior: 33% dos candidatos ficaram de fora. Veja se ficou entre os colocados

Mais de 49 mil novos estudantes entraram agora para o ensino superior, tendo ficado sem colocação 33% dos candidatos à primeira fase do concurso nacional de acesso, revelam dados divulgados hoje pelo Ministério do Ensino …

Pessoas mais pobres são vistas como menos suscetíveis à dor

Um novo estudo indica que os indivíduos de classe baixa são estereotipados como insensíveis à dor física, o que pode impactar os seus cuidados médicos. “As estatísticas de saúde indicam que as pessoas ricas recebem um …