Costa diz que Dijsselbloem está de passagem e apoia ministro de direita para o substituir

Ballesteros / EPA

O primeiro-ministro português, António Costa, com o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy

O primeiro-ministro português, António Costa, com o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy

O primeiro-ministro português, António Costa, afirma esta terça-feira, numa entrevista ao “El País” divulgada esta terça-feira, que o ministro da Economia espanhol, Luís De Guindos seria o candidato de Portugal à presidência do Eurogrupo, caso este apresentasse a sua candidatura ao lugar.

O jornal espanhol El País divulga a entrevista na primeira página da sua edição desta terça-feira, com o título: “O chefe do Eurogrupo não está a cumprir a sua função”, diz António Costa, que acrescenta seguidamente que “Jeroen Dijsselbloem está de passagem, Guindos poderia fazê-lo muito bem”.

Na semana passada, o primeiro-ministro português já tinha dito que Jeroen Dijsselbloem não tem condições para continuar à frente do Eurogrupo e que Luis de Guindos teria “boas condições” para substituir o ministro holandês.

António Costa começa a entrevista por responder a uma pergunta sobre a saída do Reino Unido da União Europeia em que sublinha que “o importante” é que no fim do processo a Europa tenha “a melhor relação” com aquele país.

“Temos de ser os melhores aliados, os parceiros mais próximos e os amigos mais próximos”, afirma, defendendo em seguida que “também é uma oportunidade para acolher em Portugal empresas do Reino Unido que queiram ficar na UE”.

António Costa declara que, com a saída do Reino Unido, a relação entre os que ficam deve ter como base “a igualdade dos Estados” e aproveitar para “reconstruir as relações”, mostrando a sua preocupação pela “deriva dos países de Leste sobre os valores democráticos, que são a base da sociedade europeia”.

“Preocupa-me que alguns países do Norte tenham os preconceitos de Dijsselbloem“, acrescentando que “a vida em comum depende da capacidade de nos conhecermos melhor”.

Confrontado com o facto de ter sido o governante europeu mais crítico das palavras do presidente do Eurogrupo e questionado sobre se este se devia demitir, António Costa respondeu que “é uma questão de tempo; o senhor está de passagem“.

O primeiro-ministro defendeu que o presidente do Eurogrupo “tem de ser alguém com capacidade de construir pontes e não um fator de divisão“, acrescentando que o atual ministro da Economia de Espanha seria um bom candidato: “Se Luís De Guindos está disponível, seria o nosso candidato”.

O jornalista quis em seguida saber o que tem a diplomacia portuguesa de especial para ter conseguido colocar um português como secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, depois de ter tido um outro português na presidência da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso.

António Costa explicou que, em primeiro lugar se tratava de “méritos pessoais” e que também tinha ajudado o facto de Portugal ser “um país aberto e que sabe “construir pontes”, fatores valorizados numa altura em que “está na moda construir muros”.

O chefe do Governo esclareceu ainda que uma das chaves para o PS ser um dos escassos partidos socialistas/sociais-democratas no poder na Europa é o facto de no país continuar a haver “duas alternativas claras“: “A nossa e a da direita, e isso é bom para a democracia”, disse.

“Se os cidadãos nos veem discutir grandes tratados e não respondemos aos problemas concretos, criamos frustração e em seguida radicalização”, afirmou Costa, acrescentando que para lutar contra os movimentos populistas é preciso “gerar alternativas entre as famílias políticas do quadro democrático”.

António Costa defendeu a solução governativa encontrada em Portugal, onde o Governo socialista é apoiado por partidos antieuropeístas.

“A novidade em Portugal é que, pela primeira vez, o conjunto de partidos de esquerda compreenderam que podem manter a sua identidade diferenciada, manter posições distintas sobre a Europa, mas também chegar a acordo sobre o que fazer para mudar a política”, afirmou o chefe do Governo.

“É uma experiência interessante e de sucesso”, conclui António Costa que não quis aconselhar a mesma receita para Espanha, porque “cada país é diferente“.

// Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Isto é só fumo e nada de fogo, não tiveram a coragem de enfrentar o homem de cara a cara, o ministro das finanças senhor Centeno até evitou estar em Bruxelas para evitar confronto, quantos aos restantes visados pelos vistos optaram pela mesma forma até os gregos do senhor Stipras imagine-se ficaram calados eles que antes do poleiro cantavam de galo, portanto o senhor Costa vem agora de novo mostrar musculação em Madrid quando está afastado por milhares de quilómetros do holandês.

RESPONDER

Teresa Leal Coelho admite processar ex-vereador Fernando Nunes da Silva

A vereadora da Câmara Municipal de Lisboa Teresa Leal Coelho admitiu que poderá vir a processar o antigo vereador Fernando Nunes da Silva, devido às declarações sobre a reposição dos sentidos de circulação na Avenida …

Linha de Fundo: Benfica reforça liderança, mais recados de Conceição, um jardim de infância especial e João “rosa” Almeida

Era uma vez um Clássico... Deu empate o primeiro clássico da época 2020/21. Em Alvalade, Sporting e FC Porto igualaram-se a duas bolas, num jogo que valeu pelas mudanças de resultado, mas que nem sempre foi …

CDS critica PS por obrigar portugueses a pagar "buraco" da TAP para servir apenas Lisboa

O CDS está "chocado" por a TAP ir abandonar as quatro rotas que opera no Aeroporto Francisco Sá Carneiro e critica o PS por obrigar portugueses a pagar "buraco" da TAP para servir apenas Lisboa. O …

Contratos de associação dos colégios privados. Ministério da Educação vence todos os 55 processos judiciais

Em todos os 55 processos judiciais que os colégios privados moveram contra o Ministério da Educação em 2016, na sequência da polémica dos contratos de associação, todas as 55 decisões foram favoráveis ao Governo. O jornal …

Famílias numerosas podem pedir desconto no IVA da luz a partir de março

As famílias com cinco ou mais elementos só poderão usufruir da redução do IVA da eletricidade a partir de 1 de março e terão de o requerer junto do seu fornecedor, segundo uma portaria esta …

Vacina da gripe disponível para mais grupos. Farmácias temem não ter stock suficiente

A vacina da gripe está, a partir desta segunda-feira, disponível para mais grupos populacionais com o início da segunda fase da campanha, que estende a vacinação a pessoas com 65 ou mais anos e pessoas …

Franceses em protesto para homenagear professor decapitado. Autoridades procuram radicais islâmicos

Milhares de pessoas reuniram-se no domingo no centro de Paris numa demonstração de repúdio pela decapitação do professor que mostrou aos seus alunos desenhos do Profeta Maomé. Os manifestantes da Praça da República ergueram cartazes onde …

Proud Boys acreditam na vitória de Trump: "Vamos Ganhar". Voto antecipado começa hoje na Florida

O líder do grupo Proud Boys disse à Lusa, durante uma manifestação em Miami, que Donald Trump vai vencer as eleições presidenciais norte-americanas, e rejeitou a acusação de que é dirigente de uma organização extremista. …

Projeto desenvolve testes rápidos de baixo custo para detetar imunidade

Um consórcio de universidades e uma empresa querem desenvolver "testes rápidos e de baixo custo" para detetar a resposta imunitária ao vírus SARS-CoV-2. O projecto TecniCov, que "obteve um financiamento de 450 mil euros da Agência …

"Medo constante". Human Rights Watch denuncia tortura na Coreia do Norte

Uma organização não-governamental denunciou esta segunda-feira que o sistema norte-coreano de detenção pré-julgamento e de investigação é cruel e arbitrário, com ex-detidos a descreverem tortura sistemática, corrupção e trabalhos forçados não-remunerado. No relatório de 88 páginas, …