“O vírus não vai desaparecer.” Depois da bonança, voltará um novo ciclo de quarentena antes do fim do ano

Manuel de Almeida / Lusa

Há um longo caminho pela frente no combate à Covid-19. Após o actual estado de quarentena que deve durar, pelo menos, até Junho, esperando-se que adormeça os casos de infecção, é previsível que o coronavírus volte em força para um novo ciclo de contágio, antes do final do ano.

O cenário é traçado por vários especialistas em declarações ao Expresso, sublinhando que o vírus “só vai parar de se propagar quando a maioria das pessoas tiver sido infectada, demore o tempo que demorar”. A única forma de travar o vírus é desenvolvendo uma vacina ou ganhando “imunidade de grupo”, com larga parte da população infectada.

“O vírus é endémico, está em todo o lado, e é praticamente impossível erradicá-lo. Mesmo com as medidas actuais, o vírus não vai desaparecer”, alerta o virologista do Instituto de Medicina Molecular (IMM), da Faculdade de Medicina de Lisboa, Pedro Simas.

“O vírus não se torna mais fraco, as pessoas é que vão ganhando defesas. Mas não se consegue um nível elevado de imunidade com a contenção em vigor, pelo que vão surgir mais vagas da infecção“, avisa Pedro Simas.

“O que agora estamos a fazer é protelar a infecção, aplanando a curva [de contágio], nada mais. E ao actuarmos cedo, não significa que tudo acabe mais depressa. É precisamente o contrário: vamos manter o vírus e o medo da doença, e não sabemos por quanto tempo”, acrescenta ao Expresso um dos peritos do Conselho Nacional de Saúde que não quis ser identificado.

Pedro Simas nota que a quarentena e o isolamento de populações “serve para mitigar a procura de serviços de saúde, evitando o colapso, e serenar a opinião pública”. “Mas, cientificamente, o que faria sentido era garantir a imunidade de grupo”, nota o virologista, realçando que num cenário de pandemia seria “a melhor opção possível: propaga-se rapidamente, permitindo criar imunidade populacional, em 94% dos infectados provoca apenas uma constipação, nem sequer uma gripe, e só afecta gravemente um grupo populacional”.

Essa foi, precisamente, a estratégia anunciada por Boris Johnson no Reino Unido. Mas o primeiro-ministro britânico viu-se obrigado a tomar algumas medidas para contenção do vírus. Porém, Reino Unido e Suécia são os países que estão a aplicar medidas mais próximas da ideia da “imunidade de grupo” como principal forma de contenção do vírus.

“Essa opção baseia-se em informação científica, mas também em estudos sobre o que estes países estão dispostos a pagar em termos sociais, económicos e até de vidas humanas. Os cientistas daqueles países são muito bons e acredito que já ponderaram muito este balanço e o efeito sobre a população que têm (idade, literacia, comorbilidades, etc.). Já fizeram muito bem as ‘continhas’. São mais pragmáticos e com decisões de difícil compreensão para a maioria das sociedades”, analisa a responsável pela estratégia da Direção-Geral da Saúde para o VIH/SIDA e a tuberculose, Isabel Aldir, também no Expresso.

O semanário cita um estudo feito pelo Imperial College London que concluiu que, após a implementação de medidas de contenção, pode haver um primeiro cenário de diminuição da cadeia de contágio e de redução da procura dos serviços de saúde, mas não acabará a transmissão do vírus; ou pode ocorrer um segundo cenário em que se interrompa a transmissão, mas logo que haja “um relaxamento” das medidas, “os casos deverão aumentar”. “É possível diminuir o número de casos, mas existe o risco de haver uma nova vaga nos meses de Inverno“, alertam os autores do estudo.

O bio-matemático Ruy Ribeiro aponta ao Expresso que é preciso encarar o vírus como “um incêndio”. “Se não ficar bem extinto, vai haver um reacendimento“, alerta, prevendo que possa haver “medidas de contenção durante meses”. “É preciso começar a trabalhar em medidas intermitentes para os cenários das próximas vagas”, considera Ruy Ribeiro, frisando que “a alternativa será fazer o isolamento agora em prática durante muitos mais meses além de Maio”.

O professor de saúde internacional no Instituto de Higiene e Medicina Tropical Paulo Ferrinho considera ao Expresso que “daqui a oito semanas já teremos uma ideia muito precisa de como será a segunda onda“.

O primeiro-ministro já referiu que temos pela frente “três meses muito duros”, considerando que a normalidade só deverá voltar a partir de Junho.

Mas os efeitos na economia vão estender-se muito para lá disso. “Vamos ter, no mínimo, seis meses de uma situação económica catastrófica“, antevê o presidente da Confederação Empresarial de Portugal, António Saraiva, em declarações à Rádio Observador.

ZAP //

PARTILHAR

31 COMENTÁRIOS

  1. …potenciar a imunidade de grupo parece fazer sentido, mas tem um custo em vidas humanas brutal.
    Apesar de improvável, se surgir uma vacina em tempo útil e distribuída gratuitamente este cenário já se altera e salvam-se milhões de vidas.
    Decisões pragmáticas destas nunca são fáceis e não queria estar no lugar de quem as toma.
    Mas também estar a apostar tudo num tratamento/vacina em tempo útil parece-me muito ingénuo.

    • Vai aparecer uma vacina e tratamento. Não tenho qualquer dúvida. Mas também não tenho qualquer dúvida que antes do final do ano não chegará à maioria dos países. Há testes, ensaios, produção em massa, distribuição… tudo isso leva tempo. Este ano não teremos qualquer normalidade.

    • Você vai aceitar de bom grado que lhe injectem substâncias estranhas no seu corpo, sob a forma de vacina?

      Certamente sabe que a vacina contra a gripe é absolutamente ineficaz contra as novas estirpes de gripe que surgem todos os anos.

      Acredita mesmo que uma vacina é solução, sabendo que este vírus também é mutante? Ou é avençado de algum laboratório?

      Eu não aceitarei vacina alguma. Nem contra a gripe, nem contra CV, nem contra porra nenhuma.

      Esta estória da vacina deveria dar muito que pensar a quem tem olhos e cérebro. Fico-me por aqui. Quem quiser que pense.

      • A ideia da vacina é só proteger contra algumas das estripes do covid19. Naturalmente, como diz bem, vai continuar a haver vítimas do covid19, tal como há vítimas para a gripe. A vacina é só para ajudar a mitigar os futuros ciclos do covid19.

      • Completament d’acord, les vacunes, que les paga el sistema o les persones, són un gran negoci per la indústria farmacéutica.
        També la bomba al sistema inmunològic, al injectar substàncies extranyes al cos humà fa que pensar mal de les vacunes,

      • Olhos e cérebro é coisa que o amigo decididamente não tem. Todos os anos há uma vacina para a gripe. Os meus pais têm mais de 80 anos, tomam-na anualmente e não têm nunca gripe! Antes de se vacinarem todos os anos tinham.
        Procure falar do que sabe e deixe a ciência para os entendidos.

      • Se não sabes mais, não devias fazer considerações!…
        Decididamente, ter olhos e cérebro não é suficiente para pensar…
        Acreditar é para as religiões – na ciência comprova-se e, as vacinas já estão mais de que comprovadas – sem elas, provavelmente, tu nem existirias!…

      • Pensar?!
        A carneirada não sabe o que isso é!…
        Pensar dá trabalho, filtrar os pensamentos ainda mais, discernir o trigo do joio ainda muito mais, – a carneirada não tem opinião, apenas papagueia o que o MSM fala!…
        Se a carneirada soubesse ler a bula das drogas, como as vacinas, conseguisse interpretar mas isso seria exigir demasiado dela!…

      • Boa sorte, então. Já agora, deite fora a roupa e os óculos, abandone a sua casa, carro e TV, esqueça o telemóvel e procure uma gruta. Isso sim, é que é natural e funciona.

  2. Camaradas, certamente as vacinas vão ter um grupo alvo em mente, tal como a vacina da gripe. Aguardemos por isto com calma, tentando proteger os nossos idosos e pessoas sensíveis como pudermos.
    Cumprimentos e saúde para todos

    • O grupo alvo em mente chama-se “humanidade”.

      Em caso de dúvida é favor contactar o Bill Gates que ele explica qual o plano.

      • Verdade, verdadinha!
        Eu sugiro que deixem de ir comprar pão à padaria da esquina. Assim, o padeiro lixa-se porque deixa de ganhar dinheiro à vossa custa…
        Garanto que o negócio dele vai afundar!

    • Esses bandidos das farmacêuticas…
      Quem precisa deles quando tem deuses, astrólogos, reiki, homeopatas, acupunctura, videntes, etc, etc para salvar a humanidade?
      Quando estiveres mesmo doente, não recorras aos tratamentos da farmacêuticas; recorre aos dos charlatães, perdão, dos curandeiros e depois anda cá contar como correu!…

      • Há charlatões em todas as áreas. Verdade seja dita, a industria farmaceutica tem uma enorme influência no sector da saúde, em que o objectivo é aumentar os lucros todos os anos. Resta a moral (ou falta dela) dos intervenientes dentro dessa estrutura

        • Sim, claro mas, a diferença é que a ciência é comprovável!
          Pode haver (e houve, há e haverá) charlatães na industria farmacêutica, mas, mais cedo ou mais tarde, a ciência desmascara-os.
          Já a homeopatia, astrologia, videntes, etc, continuam aí – a encher os bolsos com o dinheiro dos menos informados/mais limitados!…

    • Esses bandidos das farmacêuticas…
      Com amigos como a seita das farmacêuticas, políticos, religiôes e ciência da treta, quem é que ainda necessita de inimigos!…

  3.  “ Se num mundo infestado de doença fosse possível comprar a cura, só existiam os ricos, o que seria então deles, ou seja, quem produzia riqueza nesse mundo só de ricos?? “ 15/05/2012

  4. imunidade de grupo”, nota o virologista, realçando que num cenário de pandemia seria “a melhor opção possível: propaga-se rapidamente, permitindo criar imunidade populacional, em 94% dos infectados provoca apenas uma constipação, nem sequer uma gripe, e só afecta gravemente um grupo populacional”essa seria a solução do imediatismo humano. Com todo avanço da ciência ,mas todavia nos mostramos totalmente vulneráveis isso tudo nos mostra que afinal de contas a Deus não somos nada

    • O que nos mostra é que esse teu Deus se está pouco cagxndo para a humanidade!…
      Quando estiveres mesmo doente, não recorras à ciência – vai ter o o teu Deus e pode ser que aprendas do pior modo que a realidade é bem diferente dessas estorinhas medievais!…

      • Bem respondido. Vai haver um conjunto de imbecis que vai apanhar um susto do maior, mas infelizmente 94% deles vai-se safar e achar que foi milagre e que Deus os ama. Entretanto, 6% das pessoas sensatas e inteligentes que estas bestas contaminam vai morrer. 🙁

RESPONDER

Covid-19 já matou mais pessoas em Nova Iorque do que o 11 de setembro

O Estado de Nova Iorque recenseou esta segunda-feira 731 mortos num só dia, elevando o total de vítimas mortais para 5.489 desde o início da pandemia de Covid-19 nos Estados Unidos, indicou o governador Andrew …

Cofundador do Twitter doa 28% da riqueza para causas solidárias. Incluindo combate à Covid-19

O cofundador do Twitter, Jack Dorsey, anunciou que vai doar mil milhões de dólares (920 milhões de euros), 28% da sua riqueza pessoal, para causas solidárias, incluindo a luta contra a pandemia da Covid-19. Numa mensagem …

Reclusos libertados e cortes de água, luz, gás e internet suspensos

Esta quarta-feira, no Parlamento, a esquerda viabilizou o projeto do Governo para libertar reclusos. O PS vai ainda viabilizar as propostas do PCP e do BE que suspendem cortes na água, luz, gás e internet. A …

Pandemia deixa passaporte português mais "forte". É o sexto mais poderoso do mundo

A pandemia desencadeada pelo novo coronavírus oriundo da China (covid-19) tornou o passaporte português mais forte. O documento português subiu uma posição no ranking da Henley Passport Index, estando agora o documento na sexta posição dos …

SAD do Leixões avança para lay-off

A SAD do Leixões propôs ao plantel "que nos próximos três meses, abril incluído, pagaria metade do salário em cada mês, valores que seriam repostos ao longo do trimestre que se seguiria". O plantel do Leixões, …

Rui Pinto colocado em prisão domiciliária

O hacker Rui Pinto, criador do Football Leaks e autor das revelações do caso Luanda Leaks, foi colocado em prisão domiciliária esta quarta-feira. Rui Pinto, que estava em prisão preventiva desde 22 de março de 2019, …

Detidas 33 pessoas desde a renovação do estado de emergência

A PSP e a GNR detiveram, até terça-feira, 33 pessoas pelo crime de desobediência desde 3 de abril, totalizando 141 as detenções feitas desde o início do estado de emergência, indicou o Ministério da Administração …

Bruxelas disponibiliza 300 milhões de euros a pequenas e médias empresas para alavancar investimentos

O programa "Escalar" disponibiliza 300 milhões de euros, através do Fundo Europeu de Investimento, para apoiar investimentos de pequenas e médias empresas "promissoras" que queiram crescer. A Comissão Europeia anunciou que vai disponibilizar 300 milhões de …

Maçonaria cancela eleições e proíbe rituais em sessões virtuais

A pandemia de Covid-19 levou o Grão Mestre do Grande Oriente Lusitano, Fernando Lima, a principal obediência maçónica em Portugal, a cancelar as eleições e a proibir os encontros com rituais maçónicos 'online', visto que …

Mourinho quebra regras e assume que errou ao ir treinar com Ndombele

Fotografias e vídeos divulgados nas redes sociais mostram José Mourinho e os jogadores do Tottenham a treinar juntos e a violar as regras de segurança impostas devido ao surto do novo coronavírus. O Tottenham, treinado por …