COP21 começa hoje para tentar (mais uma vez) um acordo global para salvar o planeta

Pete Souza / White House

Barack Obama e François Hollande

Barack Obama e François Hollande

A luta contra as alterações climáticas junta a partir desta segunda-feira, em Paris, quase 150 líderes mundiais na abertura da conferência das Nações Unidas, que vão tentar obter um acordo vinculativo para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa.

A decorrer sob fortes medidas de segurança, decididas depois dos atentados de 13 de novembro na capital francesa, que provocaram 130 mortos, a cimeira tem confirmadas as presenças dos presidentes dos EUA e da Rússia.

Os atos terroristas levaram também o Governo francês a cancelar as marchas pelo clima, organizadas por associações representativas da sociedade civil, como as ambientalistas, tanto para a véspera da abertura oficial, como para 12 de dezembro, o dia seguinte ao encerramento da Conferência das Partes das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP21).

As organizações desmarcaram a marcha, mas pediram a quem pretendia participar para enviar um par de sapatos “em sua representação” e foram milhares as botas e ténis a ficar na praça La République, no domingo, e convidaram à realização de um cordão humano que passou por vários pontos da cidade.

No final, registaram-se confrontos entre a polícia e manifestantes, alguns dos quais lançaram objetos aos agentes, que responderam com gás lacrimogéneo.

Portugal estará representado na abertura da COP21 pelo novo primeiro-ministro, António Costa, que se faz acompanhar do ministro do Ambiente, João Matos Fernandes.

Do Protocolo de Quioto ao Acordo de Paris

Serão 196 os países a estar representados em Paris até 11 de dezembro para negociar reduções de emissões, a sua distribuição por nações desenvolvidas e em desenvolvimento, formas de adaptação às mudanças, e as ajudas aos países mais afetados, mas com menos capacidades económicas.

Parece ser consensual a posição da Comissão Europeia, transmitida esta semana, de que é “uma oportunidade histórica” para evitar as consequências das alterações climáticas e obter um acordo mundial sobre o clima para 2020 justo, ambicioso e juridicamente vinculativo.

O objetivo é abranger toda a sociedade e a delegação portuguesa, como aquelas de outros países, integra técnicos das entidades oficiais, mas também representantes de organizações não governamentais, de ambiente, como a Quercus, e de desenvolvimento, e de entidades empresariais, como o Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável (BCSD), e investigadores de universidades.

Nos últimos anos, realizaram-se várias conferências das partes da Convenção das Nações Unidas sobre clima, denominadas COP, para encontrar alternativas ao protocolo de Quioto, aprovado em 1997 mas que não teve o compromisso de vários dos países com mais emissões.

Agora, após negociações em Genebra e Bona levaram a uma primeira versão do que será o “Acordo de Paris“, um texto já analisado por vários ministros e depois publicado, a 10 de novembro, com 54 páginas e muitos parêntesis, refletindo outras tantas opções possíveis de decisão.

Entre os assuntos pendentes estão a aceitação de um mecanismo de revisão periódica das contribuições nacionais e a existência de um só sistema, sem divisões entre países desenvolvidos e em desenvolvimento, mas com flexibilidade no tratamento, tema que, juntamente com a responsabilização dos países maiores emissores, serão aspetos mais difíceis de resolver.

O financiamento das ações relacionadas com o clima, nomeadamente a adaptação, com a possibilidade de ser aumentado o Fundo Verde do Clima de 100 mil milhões de dólares (94 ml milhões de euros) por ano.

Até agora, mais de 170 países já apresentaram os seus contributos para a redução de emissões, mas ainda insuficientes para alcançar a meta de menos dois graus.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Evento raro". Nasceu uma baleia-branca no maior aquário do mundo (e o momento foi gravado)

Whisper, uma baleia-branca de 20 anos, deu à luz uma cria saudável em 17 de maio após uma gravidez de 15 meses, marcando a chegada do mais novo cetáceo do Georgia Aquarium, numa altura em …

Telemóveis são uma ferramenta poderosa contra a desigualdade de género em África

Ao dar às mulheres acesso a informação que, de outra forma, era quase impossível de obter, os telemóveis estão a salvar e a transformar vidas. De acordo com o site IFLScience, o estudo responsável por esta …

Desde março, morreram mais de 100 elefantes no Botsuana. Ninguém sabe porquê

As autoridades do Botsuana estão a investigar a morte de 110 elefantes na região do Delta do Okavango desde março, anunciou esta semana o Ministério do Meio Ambiente, Conservação de Recursos Naturais e Turismo daquele …

Um robô aprendeu a fazer uma omelete. E ficou melhor do que o esperado

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, treinou um robô a preparar uma omelete. Para os investigadores, avaliar se um robô cozinhou uma refeição com sucesso é uma fonte interessante de …

Covid-19 já matou mais no Reino Unido do que os bombardeamentos alemães da II Guerra

A pandemia de covid-19 já matou mais pessoas no Reino Unido do que os bombardeamentos alemães durante a II Guerra Mundial. O novo coronavírus oriundo da China já matou cerca de 50.000 pessoas em território …

Estudo mostra que os cães querem mesmo resgatar os seus donos do perigo

Um novo estudo mostra que os nossos amigos de quatro patas querem realmente salvar-nos em momentos de aflição, mas desde que saibam como o fazer. De acordo com o site Science Alert, os investigadores reuniram 60 cães …

Derek Chauvin foi detido, mas os precedentes mostram que o polícia pode sair impune

Derek Chauvin, o polícia responsável pela morte de George Floyd, foi detido e aguarda a sua primeira audiência. No entanto, há precedentes que sugerem que o agente pode sair impune. Derek Chauvin tem a sua primeira …

Cientistas encontram dois fragmentos do meteorito de Barcelona

Cientistas espanhóis encontraram dois pequenos fragmentos do chamado meteorito de Barcelona, que caiu, há mais de 300 anos, no dia de Natal. No dia 25 de dezembro de 1704, um meteorito rasgou os céus e caiu …

"Pressionaram-me para o denunciar". Higuita recorda amizade com Escobar

A relação de amizade entre René Higuita e Pablo Escobar levou a que o ex-futebolista fosse seguido pelas autoridades. A polícia chegou a pressioná-lo para denunciar Escobar. O antigo internacional colombiano René Higuita é provavelmente uma …

George Floyd. Portugal junta-se às manifestações mundiais contra o racismo

Cinco cidades portuguesas juntam-se hoje à campanha de solidariedade mundial contra o racismo, associando-se à luta pela dignidade humana na sequência da morte, a 25 de maio, do afro-americano George Floyd, sob custódia da polícia …