COP21 começa hoje para tentar (mais uma vez) um acordo global para salvar o planeta

Pete Souza / White House

Barack Obama e François Hollande

Barack Obama e François Hollande

A luta contra as alterações climáticas junta a partir desta segunda-feira, em Paris, quase 150 líderes mundiais na abertura da conferência das Nações Unidas, que vão tentar obter um acordo vinculativo para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa.

A decorrer sob fortes medidas de segurança, decididas depois dos atentados de 13 de novembro na capital francesa, que provocaram 130 mortos, a cimeira tem confirmadas as presenças dos presidentes dos EUA e da Rússia.

Os atos terroristas levaram também o Governo francês a cancelar as marchas pelo clima, organizadas por associações representativas da sociedade civil, como as ambientalistas, tanto para a véspera da abertura oficial, como para 12 de dezembro, o dia seguinte ao encerramento da Conferência das Partes das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP21).

As organizações desmarcaram a marcha, mas pediram a quem pretendia participar para enviar um par de sapatos “em sua representação” e foram milhares as botas e ténis a ficar na praça La République, no domingo, e convidaram à realização de um cordão humano que passou por vários pontos da cidade.

No final, registaram-se confrontos entre a polícia e manifestantes, alguns dos quais lançaram objetos aos agentes, que responderam com gás lacrimogéneo.

Portugal estará representado na abertura da COP21 pelo novo primeiro-ministro, António Costa, que se faz acompanhar do ministro do Ambiente, João Matos Fernandes.

Do Protocolo de Quioto ao Acordo de Paris

Serão 196 os países a estar representados em Paris até 11 de dezembro para negociar reduções de emissões, a sua distribuição por nações desenvolvidas e em desenvolvimento, formas de adaptação às mudanças, e as ajudas aos países mais afetados, mas com menos capacidades económicas.

Parece ser consensual a posição da Comissão Europeia, transmitida esta semana, de que é “uma oportunidade histórica” para evitar as consequências das alterações climáticas e obter um acordo mundial sobre o clima para 2020 justo, ambicioso e juridicamente vinculativo.

O objetivo é abranger toda a sociedade e a delegação portuguesa, como aquelas de outros países, integra técnicos das entidades oficiais, mas também representantes de organizações não governamentais, de ambiente, como a Quercus, e de desenvolvimento, e de entidades empresariais, como o Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável (BCSD), e investigadores de universidades.

Nos últimos anos, realizaram-se várias conferências das partes da Convenção das Nações Unidas sobre clima, denominadas COP, para encontrar alternativas ao protocolo de Quioto, aprovado em 1997 mas que não teve o compromisso de vários dos países com mais emissões.

Agora, após negociações em Genebra e Bona levaram a uma primeira versão do que será o “Acordo de Paris“, um texto já analisado por vários ministros e depois publicado, a 10 de novembro, com 54 páginas e muitos parêntesis, refletindo outras tantas opções possíveis de decisão.

Entre os assuntos pendentes estão a aceitação de um mecanismo de revisão periódica das contribuições nacionais e a existência de um só sistema, sem divisões entre países desenvolvidos e em desenvolvimento, mas com flexibilidade no tratamento, tema que, juntamente com a responsabilização dos países maiores emissores, serão aspetos mais difíceis de resolver.

O financiamento das ações relacionadas com o clima, nomeadamente a adaptação, com a possibilidade de ser aumentado o Fundo Verde do Clima de 100 mil milhões de dólares (94 ml milhões de euros) por ano.

Até agora, mais de 170 países já apresentaram os seus contributos para a redução de emissões, mas ainda insuficientes para alcançar a meta de menos dois graus.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Avanços e ajustamentos em pezinhos de lã. Sem certezas, Governo tenta aproximar-se à esquerda

A tensão entre o PS e a esquerda já dura há duas semanas. O Governo já fez algumas cedências em troca do "sim" dos parceiros, mas falta a análise que tarda em chegar. Fonte do Governo …

"Bazuca" dá mais mil milhões para "revolução" nos transportes de Lisboa e Porto

O ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, diz que estamos perante uma "revolução" que vai mudar muito a circulação das pessoas em Lisboa e no Porto. O dinheiro vindo da União …

"Médicos pela Verdade". Ordem abre processo contra movimento que desvaloriza gravidade da covid-19

A Ordem dos Médicos abriu processos disciplinares a 7 médicos do movimento Médicos pela Verdade, grupo que desvaloriza a gravidade da covid-19 e se mostra contra o uso generalizado de máscaras e de testes de …

"Esta é a crise das nossas vidas". Vieira da Silva diz que chumbo do OE seria "dificilmente compreensível"

O ex-ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José António Vieira da Silva, elogiou, em entrevista ao jornal ECO, a proposta para Orçamento de Estado para 2021 (OE2021) e disse que seria "estranho" que não …

Podemos acusado de financiamento irregular, crime eleitoral e falsificação de documentos

O partido espanhol Podemos é acusado de financiamento irregular, crime eleitoral e falsificação de documentos comerciais. A acusação consta num despacho do juiz de instrução Juan José Escalonilla, datado de 10 de setembro, ao qual a …

Shakhtar derrota Real Madrid. Em Espanha, comparam Zidane a Lopetegui

O Shakhtar Donetsk, treinado pelo português Luís Castro, surpreendeu e venceu o Real Madrid, por 2-3, no arranque da fase de grupos da Liga dos Campeões. Os ucranianos chegaram a estar a vencer por três …

Se OE for chumbado, portugueses acreditam que a culpa é da esquerda

Se o Orçamento do Estado para 2021 for chumbado, os portugueses acreditam que a esquerda terá responsabilidades, segundo uma sondagem da Intercampus. De acordo com a sondagem da Intercampus para o Jornal de Negócios, CM e …

Em Itália, a pandemia volta a estar "fora de controlo". Recolher obrigatório começa hoje

Itália teve ontem o maior número diário de novos casos de infeção registado no país desde o início da pandemia do novo coronavírus, totalizando 15.199, além de 127 mortes nas últimas 24 horas, valor que …

FC Porto arrasa arbitragem e Conceição explica desaguisado com Guardiola

O FC Porto perdeu 3-1 com o Manchester City, com a atuação da arbitragem a estar no centro das atenções. Conceição e Guardiola desentenderam-se durante o encontro e o técnico portista explicou porquê. Através da sua …

Novas linhas ferroviárias de alta velocidade. Porto-Lisboa vai fazer-se em 1h15 (e Porto-Vigo em apenas 1h)

O Governo anunciou, esta quinta-feira, o Programa Nacional de Investimentos (PNI) 2030, que tem como um dos principais focos uma nova linha ferroviária de alta velocidade para ligar Lisboa-Porto num hora e 15 minutos. O jornal …