Construção da Sagrada Familia pode desalojar 15 mil moradores em Barcelona

1

Passados 139 anos, La Sagrada Familia, em Barcelona, ainda permanece inacabada e os planos para finalizar a obra são um grande desafio.

De acordo com o Jornal i, a finalização da obra daquele que é Património Mundial da UNESCO pode não só revelar-se um grande desafio, como também colocar em perigo alguns moradores da cidade.

Com prazo até 2026, e usando os planos arquitetónicos originalmente elaborados pelo seu criador, Antoni Gaudí, a construção pode envolver o despejo de até 15 mil moradores que vivem na área.

A verdade é que, durante a última década, a construção da basílica atingiu uma velocidade sem precedentes e o intuito seria terminar a obra-prima “art nouveau” até 2026, de maneira a comemorar o centenário da morte de Gaudí.

Com o fim da pandemia da covid-19 à vista, a data exata de conclusão permanece, contudo, incerta.

A nova torre, que foi a primeira a ser concluída desde 1977, é também a primeira das seis torres principais da gigantesca basílica.

Os responsáveis pela construção estabeleceram para este ano um calendário de obras que, se correr como o previsto, terminará as duas torres dos evangelistas Lucas e Marcos e acrescentará três novos níveis superiores à torre principal de Jesus Cristo.

Contudo, a retomada da construção da fachada da Glória, dedicada à ressurreição e ascensão de Jesus Cristo, já tem causado contestação, pois entra em conflito direto com centenas de moradores que moram do outro lado da estreita rua Mallorca.

Construir a escada planeada pode significar a demolição de inúmeros prédios, levando a que milhares de pessoas sejam deslocadas e forçadas a mudar-se para outro lugar. Além disso, no planeamento urbanístico da cidade, os quarteirões em questão estão designados como “áreas verdes”.

Em declarações à Euronews, Salvador Barroso, o presidente da associação “Pessoas Afetadas pela Construção da Sagrada Família”, alertou que dois quarteirões inteiros — que abrigam mais de 3 mil casas — podem ser demolidos e 15 mil moradores despejados.

Já o arquiteto-chefe da Sagrada Família, Jordi Fauli, garantiu que o trabalho de construção “é baseado nos modelos de gesso do arquiteto e nas fotos e publicações de seus desenhos originais”, que foram destruídos num incêndio na década de 1930.

Não há soluções mágicas aqui. Não achamos que para terminar a basílica todos os edifícios envolvidos devam ser demolidos, mas também achamos que não é provável que todos os edifícios sejam salvos”, adiantou Janet Sanz, diretora da câmara de Barcelona para ecologia, urbanismo, infraestrutura e mobilidade.

  ZAP //

1 Comment

  1. “SAGRADA FAMÍLIA” – bastante consagrada e inacabada e parece ultrajada, então, tem que ser acabada. Acabar uma obra de arte do consagrado arquiiteto catalão Antoni Gaudi – Temple Expiatori de la Sagrada Familia , É certo que o acabamento sera feito às expensas de organizações privadas, porém, custará milhões de euros. Se, atualmente, não passa de um simples cartão postal para visitas turísticas , quando acabada, certamente, continuará sendo. Não, se acredita-se como templo voltado às cerimônias religiosas / católicas, pois Roma segue a descida para a extinção, obviamente, a SAGRADA FAMÍLIA será como as Pirâmides do Egito, visitada por arqueólogos a procura de tesouros. Afinal, muitas peças em prata e ouro ficarão soterradas no rico subsolo. É de se esperar . Resta a agora ressurgir o Velho Raimundo Berenguer IV para cortar a fita da reinauguração. ´`É possivel ?!!! É o que pensa , joaoluizgondimaguiargondim – [email protected]

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.