Conselho da Europa teme que polícia de Malta tenha “recusado provas” no caso da jornalista assassinada

(dr) Times of Malta

A jornalista maltesa Daphne Caruana Galizia

Daphne Galizia era jornalista, acompanhava casos de corrupção no país e foi assassinada há dois anos. Pieter Omtzigt, relator do Conselho da Europa responsável pelo caso, diz que a abordagem da polícia e dos políticos malteses não bate certo com a promessa de investigação.

A morte da jornalista Daphne Caruana Galizia ainda não foi explicada e Pieter Omtzigt, relator do Conselho da Europa que tem acompanhado o caso, suspeita que não estejam a ser feitos todos os esforços para que isso aconteça.

No segundo aniversário do assassinato de Daphne, o holandês partilhou algumas das suas preocupações relativamente à investigação que tem sido feita em Malta. “As autoridades individualmente até podem estar a fazer o melhor possível, mas a abordagem da força policial como um todo, e dos políticos responsáveis por ela, não corresponde à promessa do primeiro-ministro de não deixar pedra sobre pedra”, disse, em entrevista ao britânico The Guardian, citado pelo Expresso.

Entre as críticas do relator Pieter Omtzigt estão a demora no afastamento de um dos investigadores do caso, no qual teria um conflito de interesses, a recusa de uma cópia do computador de Daphne disponibilizada pela polícia alemã e uma denúncia de um ex-chefe da Europol sobre a fraca cooperação da polícia maltesa.

Para Omtzigt, é grave o falhanço em chegar a um acordo com um dos presumíveis assassinos, Vincent Muscat, que terá falado com a polícia sobre um intermediário. Muscat e advogados de defesa não chegaram, no entanto, a qualquer acordo com as autoridades, o que inviabilizou a possibilidade de Muscat denunciar outros envolvidos.

Esta foi uma oportunidade perdida de chegar aos responsáveis morais pelo crime. “Estou preocupado que as autoridades tenham recusado provas que podiam levar a quem ordenou o assassinato”, afirma. “E também estou preocupado que nem Muscat, nem o seu advogado, nem outros que possam estar preocupados com a situação — incluindo o suposto intermediário — tenham recebido proteção adequada”.

Vincent Muscat é um dos três homens detidos por suspeitas de ter plantado o explosivo no carro. Agora na prisão, teme pela sua segurança.

Em outubro de 2017, a jornalista Daphne Caruana Galizia, de 53 anos, foi morta após ter sido colocado um explosivo no Peugeot 108 em que seguia, e que rebentou com Daphne lá dentro. Responsável pela investigação Panama Papers em Malta, a jornalista mantinha um blogue onde denunciava casos de corrupção, sobretudo de políticos. Entre eles, o primeiro-ministro maltês, Joseph Muscat, e dois dos seus assessores. Daphne denunciara também, dias antes, estar a ser vítima de ameaças de morte.

No último texto que a jornalista publicou no seu blogue, uma hora antes do assassinato, Caruana Galizia repetiu as suas acusações contra Keith Schembri, qualificando-o de um “escroque” que usa a sua influência no governo para enriquecer. “Há escroques para onde quer que se olhe. A situação é desesperada”, concluiu.

A revista Politico incluiu Caruana Galizia entre as “28 personalidades que fazem mexer a Europa”, descrevendo-a como “um WikiLeaks inteiro numa só mulher, em cruzada contra a falta de transparência e a corrupção em Malta”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Recurso de Rui Rangel foi distribuído sem sorteio. Procedimento é ilegal

O recurso que opunha o juiz Rui Rangel ao Correio da Manhã foi distribuído diretamente a Orlando Nascimento, atual presidente da Relação de Lisboa, sem que tivesse sido feito o sorteio eletrónico obrigatório por lei, …

"Não pôr o dedo no nariz". Livro medieval ensinava as regras de etiqueta às crianças do século XV

Um livro de boas maneiras do século XV, digitalizado recentemente pela Biblioteca Britânica, está cheio de regras de etiqueta que não são muito diferentes das de hoje. O manuscrito chama-se "The Lytille Childrenes Lytil Boke", as …

Abanca pagou menos de 250 milhões pelo EuroBic

O Abanca ofereceu menos de 250 milhões de euros por 95% do EuroBic, segundo avança o Jornal Económico, o que significa que o banco espanhol avaliou o EuroBic ligeiramente abaixo do múltiplo a que transaciona …

Alegado escritor-fantasma confessa que recebeu pagamentos de Sócrates

Domingos Farinho, alegado escritor-fantasma do livro de José Sócrates "A Confiança no Mundo", confessou que recebeu pagamentos do ex-primeiro-ministro através da RMF Consulting. No requerimento de abertura de instrução que apresentou em janeiro de 2020, o …

Os cavalos perdem quatro dedos no útero

Os cavalos têm apenas um dedo em cada pata, sendo os cascos o equivalente à falange dos nossos dedos médios. No entanto, os seus ancestrais tinham mais dedos em cada pata, variando entre três e …

"Década perdida". Novo Banco com prejuízos de 1.058,8 milhões em 2019

O presidente executivo do Novo Banco disse esta sexta-feira que os últimos dez anos foram uma "década perdida" para a empresa que começou por ser BES e passou em 2014 a Novo Banco, mas …

Estados Unidos assinam acordo de paz com os talibãs no Afeganistão

O presidente norte-americano, Donald Trump, pediu esta sexta-feira aos afegãos para "aproveitar a oportunidade de paz", ao abrigo do acordo de paz que os Estados Unidos vão assinar no sábado com os rebeldes talibãs. A …

Portugal poderá ter um milhão de infetados (e ser decretada quarentena obrigatória)

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, admite que poderá haver um milhão de portugueses infetados pelo Covid-19, 21.000 na semana mais crítica, assegurando que as autoridades de saúde estão a preparar-se para esta possibilidade. “Estamos a …

Descobertos na Sibéria vestígios do Evento de Tunguska, um dos maiores impactos na Terra

Um grupo de investigadores russos que investigam o fenómeno de Tunguska de 1908, o maior impacto terrestre registado na história moderna, descobriu camadas em sedimentos locais que podem conter substâncias de origem extraterrestre. A 30 de …

Exoplaneta gigante pode ter as condições ideais para abrigar vida

Uma equipa de cientistas da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, descobriu que o enorme exoplaneta K2-18b - tem duas vezes o tamanho da Terra - pode reunir as condições ideais para abrigar vida. Depois de …