Condutor de 19 anos considerado culpado pela morte de 12 portugueses em França

É um relatório arrasador que menciona a “velocidade excessiva”, o estado “deplorável” da carrinha, com pneus com mais de sete anos de uso, e o excesso de passageiros, na análise às circunstâncias da morte de 12 portugueses em França, em 2016. E não há dúvidas de que a causa do acidente fatal foi a imprudência do condutor.

Dois anos após o acidente de viação que matou 12 portugueses, emigrantes na Suíça, que viajavam rumo a Portugal, para passar as férias da Páscoa, foi publicado o relatório técnico que avalia as circunstâncias do acidente.

O documento de 40 páginas do Gabinete de Investigação de Acidentes de Transporte Terrestre francês (BEA na sigla original) não tem dúvidas de que o condutor de 19 anos, também português, foi o culpado pelo acidente, devido a um comportamento imprudente e perigoso. Mas também deixa duras críticas ao proprietário da carrinha, que é tio do condutor.

O jovem de 19 anos foi o único sobrevivente do acidente que ocorreu a 24 de Março de 2016, numa estrada em Montbeugny, em Allier, na região francesa de Auvérnia-Ródano-Alpes.

No relatório, nota-se que “a causa directa do acidente é a decisão do condutor que, sem ter visibilidade suficiente, fez uma ultrapassagem a uma velocidade excessiva, com um veículo num estado deplorável (freios e pneus usados) e em sobrecarga, ao qual foi acoplado um atrelado também ele em estado técnico defeituoso”.

O documento refere que o condutor de 19 anos fez o percurso a uma velocidade média de entre 110 e 133 km/hora.

A carrinha onde seguiam os portugueses “transportava duas vezes a carga máxima autorizada” e os pneus tinham mais de sete anos, já tendo ultrapassado os limites de desgaste, constata ainda o documento.

A análise do BEA destaca que o veículo terá sofrido alterações na própria manhã do acidente, de modo “a aumentar a sua capacidade de seis para doze passageiros”. “Foram adicionados assentos ilegalmente, com fixações para bancos e cintos de segurança defeituosos ou ausentes”, refere o relatório.

A viagem tinha sido organizada “pelo tio do condutor que propunha os seus serviços pelo passa-palavra”, salienta o BEA, frisando que o negócio não estava legalizado, embora promovesse viagens entre a Suíça e Portugal com regularidade.

O documento também nota que o condutor de 19 anos tinha tirado em Portugal a carta de condução que lhe permitia transportar até um máximo de oito passageiros apenas dois dias antes do acidente.

Estes dados não abonam muito em favor do condutor, nem do seu tio, para o julgamento do próximo dia 13 de Junho, onde vão responder por crimes de homicídio involuntário.

SV, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

O nosso cabelo sabe o que comemos, onde moramos e quanto custou o corte

Milímetro a milímetro, o cabelo constrói um registo da nossa dieta. Como os fios de cabelo são construídos a partir de aminoácidos, preservam os traços químicos da proteína da comida que ingerimos. Os fios de cabelo …

Não foram meteoros. Uma forte atividade vulcânica arrefeceu a Terra há 13 mil anos

Porque é que a Terra arrefeceu repentinamente há 13 mil anos? Sedimentos antigos encontrados numa caverna no Texas, nos Estados Unidos, parecem ter resolvido este grande mistério. Alguns cientistas acreditam que o fenómeno que arrefeceu repentinamente …

Novo método prevê erupções solares com algumas horas de antecedência

Um novo método capaz de prever explosões solares poderia ajudar a Humanidade a preparar-se contra possíveis desastres causados por este fenómeno explosivo da nossa estrela. As erupções solares são explosões que ocorrem na superfície do Sol …

Mulan a preço premium estreia na Disney+ em setembro

A adaptação live-action de Mulan tem nova data de estreia. O anúncio foi feito pela Disney nesta terça-feira (4). O filme chega à plataforma de streaming Disney+ no dia 4 de setembro, estando disponível em …

Belgas trocam as voltas à pandemia e passam férias nas árvores

Enquanto uns passam o verão em casa, outros atrevem-se a ter uma experiência diferente. Alguns belgas estão a passar as noites de verão pendurados em árvores, em tendas em forma de lágrima. A pandemia de covid-19 …

Máscara inteligente traduz até oito línguas (mas não protege do coronavírus)

Esta máscara inteligente, criada por uma empresa japonesa, consegue traduzir o discurso do seu utilizador em várias línguas (mas, por si só, não o protege do novo coronavírus). Quando a pandemia de covid-19 transformou as máscaras …

Empresa fica com excedente de 40 mil quilos de frutos secos devido à covid-19

A GNS Foods, a empresa que nos últimos 30 anos forneceu os frutos secos à American Airlines, ficou com um excedente de 40 mil quilos por causa de restrições impostas devido à covid-19. Servir frutos secos …

Astronautas da NASA fizeram partidas por telefone para "matar" tempo durante o regresso à Terra

Os astronautas da NASA Bob Behnken e Doug Hurley fizeram algumas partidas por telefone durante o regresso à Terra a bordo cápsula Dragon, da empresa SpaceX de Elon Musk, num voo que foi duplamente histórico. …

Em plena pandemia, há um venezuelano que assegura os funerais no Peru

Ronald Marín é a última esperança para os habitantes de Comas, em Lima. O venezuelano é o único que realiza funerais católicos num cemitério longe do centro da capital, em plena pandemia. Vestido com uma túnica …

Covid-19 pôs mais de um milhão de portugueses em teletrabalho no 2.º trimestre

Um milhão de pessoas esteve em teletrabalho no segundo trimestre, sobretudo devido à covid-19, o equivalente a 23,1% da população empregada, enquanto mais de 600 mil não trabalharam nem no emprego nem em casa. De acordo …