/

Pela primeira vez desde a recessão, compra de carros caiu 2% em 2019

O mercado automóvel registou uma quebra de 2% nas vendas de carros no território português. Esta é a primeira descida desde o ano de 2012, marcado pela recessão económica.

A compra de automóveis novos caiu no ano passado, comparativamente a 2018. A quebra foi de 2% nos automóveis ligeiros de passageiros e 2,1% nos ligeiros de mercadorias. Esta é a primeira quebra registada desde 2012, ano da recessão económica em Portugal. Além disso, segundo o jornal Público, pela primeira vez em 15 anos, a compra de automóveis a gasolina superou a dos veículos a diesel.

O mercado automóvel já antecipava esta marca negativa em 2019 e, agora, recebe a confirmação. Para Hélder Lopes, secretário-geral da Associação Automóvel de Portugal (ACP), há várias razões para esta queda.

“É a primeira queda desde 2012, houve muitas notícias sobre restrições ambientais, há questões geopolíticas como o ‘Brexit’ e a guerra EUA-China, que podem ter levado consumidores e empresas a adiar a compra de automóveis ou a renovação de frotas”, disse, em declarações ao Público.

A Renault continua a ser a marca mais vendida em Portugal, tanto em ligeiros de passageiros como em ligeiros de mercadorias. Apesar do crescimento nos veículos de passageiros, a marca francesa apresentou uma queda de 17% nos comerciais ligeiros.

As vendas da Opel, Volkswagen e Ford desceram no ano de 2019. A Nissan registou o maior tombo, com uma queda de 30,5% no mercado nacional. Em sentido contrário, as fabricantes de automóveis de luxo aumentaram as suas vendas em Portugal. Jaguar, Lexus, Porsche, Maserati, Ferrari, Bentley, Alpine, Aston Martin e Lamborghini cresceram 24,9%.

Destaque ainda para a Mercedes, que perdeu o quarto lugar para a Fiat nas marcas mais vendidas em Portugal. Por sua vez, a BMW ascende ao sexto lugar após as quedas da Nissan e da Opel.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.