“Um pouco de compaixão”. Júri delibera sentença da morte de George Floyd

As autoridades norte-americanas estão a preparar-se para vários dias de eventuais manifestações por todo o país quando for conhecida a sentença do antigo polícia que está a ser julgado pelo homicídio de George Floyd, em 2020.

A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, confirmou que as autoridades federais e locais estão em articulação para enfrentar possíveis protestos. O objetivo, prosseguiu Psaki, é garantir que as manifestações decorram pacificamente.

“Este país atravessou um largo período, sobretudo a comunidade afro-americano, de dor e sofrimento”, não só por causa do julgamento de Derek Chauvin – o antigo polícia acusado do homicídio do cidadão afro-americano George Floyd, em maio de 2020 — mas também pela “violência adicional” registada nas últimas semanas.

As alegações finais do julgamento de Derek Chauvin começaram esta segunda-feira. Cada uma das três acusações de homicídios vai ser avaliada separadamente. O antigo polícia de Minneapolis é acusado de homicídio em segundo grau, homicídio em terceiro grau e homicídio por negligência.

As três acusações exigem que os jurados concluam que as ações de Chauvin foram “um fator causal substancial” na morte de Floyd e que o uso de força por parte do agente não foi “razoável e proporcional”.

A acusação de homicídio em segundo grau exige ainda que os procuradores façam prova de que Chauvin quis deliberadamente prejudicar Floyd, mas que não pretendia matá-lo.

A acusação de homicídio em terceiro grau exige prova de que as ações de Chauvin foram “eminentemente perigosas” e sem olhar ao risco de perda de vida.

A acusação de homicídio por negligência exige que os jurados acreditem que o agente causou a morte de Floyd sem ser de forma consciente, explica a TSF.

Cada uma das acusações pode levar a uma pena máxima diferente: 40 anos para homicídio em segundo grau, 25 anos para homicídio em terceiro grau, 10 anos para homicídio por negligência.

De acordo com a TSF, nas alegações finais do julgamento, o procurador responsável pelo julgamento, Steve Schleicher, reforçou, perante o júri de um tribunal de Minneapolis, que “George Floyd implorou até não conseguir falar mais” e exortou os jurados a condenarem o acusado porque Chauvin não demonstrou qualquer tipo de compaixão.

Tudo o que era necessário era um pouco de compaixão e nenhuma foi mostrada nesse dia. Ele [Floyd] pediu ajuda no seu último suspiro, mas o agente não ajudou”, disse Schleicher.

O procurador defendeu também que o agente “não seguiu o treino, não seguiu as regras de uso de força do departamento e não fez reanimação cardiorrespiratória”.

“George Floyd não era uma ameaça para ninguém”, acrescentou Schleicher. “Não estava a tentar fazer mal a ninguém.”

Esta segunda-feira, o juiz começou o dia das alegações finais instruindo os jurados sobre a revisão de diferentes tipos de provas e explicando a forma como deveriam avaliar cada tipo de acusação criminal.

Os membros do júri vão deliberar à porta fechada sobre a responsabilidade do antigo agente na morte de George Floyd, num tribunal cercado por barreiras de cimento armado e arame farpado, numa cidade cuja segurança foi reforçada com um forte dispositivo da Guarda Nacional.

“Devem ser absolutamente justos”, disse-lhes o juiz Peter Cahill, pedindo que “avaliem, considerem as provas e apliquem a lei”.

Chauvin asfixiou George Floyd até à morte, colocando um joelho sobre o pescoço do cidadão afro-americano durante quase nove minutos, durante uma detenção, em Minneapolis, no Minnesota (Estados Unidos).

O homicídio despoletou uma ‘onda’ de protestos em várias cidades norte-americanas contra o racismo e a impunidade da polícia. As manifestações acabaram por estender-se a cidades de outros países, como, por exemplo, Lisboa.

As manifestações ocorreram ainda durante o mandato do republicano Donald Trump, que, na altura, ameaçou enviar militares para demover os manifestantes.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. O que ali se passou é de má intenção, mau ínitmo e mau caracter. Não há atenuantes. Nem uma!..
    Estes bófias merecem apodrecer na prisa. De preferência em alas pejadas de negros, com imenso apetite sexual.

    • Uma mulher de raça negra, foi assaltada por este mártir em conjunto com 2 “colegas”. Por isso ele esteve “dentro”, até sair e arranjar um SUV mercedes, onde ia acompanhado por mais 2 criaturas, nomeadamente a que fez o “filme” de sucesso na internet. Não invalida nada, claro, ou será que se fosse consigo, ou alguém dos seus…fiava mais fino?
      Só um pensamentozito.

    • Uma mulher de raça negra, grávida, foi assaltada em casa por este mártir em conjunto com 2 “colegas”. Por isso ele esteve “dentro”, até sair e arranjar um SUV mercedes, onde ia acompanhado por mais 2 criaturas, nomeadamente a que fez o “filme” de sucesso na internet. Não invalida nada, claro, ou será que se fosse consigo, ou alguém dos seus…fiava mais fino?
      Só um pensamentozito.

  2. Vamos comparar a pena que este policia vai ter nos Estados Unidos por ter sofucado até à morte um negro na rua, e ver a penas que os três inspectores do SEF vão apanhar em Portugal por terem matado nas instalações do Aeroporto de Lisboa um ucraniano à pancada depois de amarrado de pés e mãos.

    • Como sabe que o espancaram depois de amarrarem pés e mãos. E porque não pôde ser tal como se vê nas filmagens um ucraniano exaltado que não admite ser preso que certamente levou alguma agressão para ser neutralisado e depois foi amarrado para de certa forma o manterem imobilizado, e infelizmente morreu…. Mais uma vez ouve excessos de parte a parte, logo não me parece justo ficarmos com a sensação de que os policias do SEF pegou num turista ao acaso e lembraram-se de o espancar até a morte porque não gostam de ucranianos.

      • Muitas testemunhas disseram que estava amarrado de pés e mãos, 3, 4, 5 ou mais pessoas dominam facilmente uma por muito exaltada que esteja, não precisam de bastões de aço. Nas imagens não se vê o cidadão ucraniano exaltado, mas sabemos que alguns dos acusados se vieram gabar que ja não precisavam de ir ao ginasio naquele dia . Porque seria ? Tentaram esconder tudo, porquê ? Quanto a haver excessos de parte a parte, é uma coisa sem sentido para dizer, de um lada estava uma pessoa manietada e do outro um conjunto de inspectores e seguranças, que raio de execesso pode haver ? Dz que não podemos ficar com a sensação que os policias do SEF pegaram um turista ao acaso e espancaram até à morte, este é talvez o unico ponto que concordo consigo, os policias do SEF nada têm a ver com o que se passou, o SEF nada tem a ver com o que se passou, foram 3 assassinos que fizeram isso, assassinaram uma pessoa com mais ou menos atenuantes mas foi o que se passou. O SEF acabou por causa deles ( uma decisão estupida e tomada a quente ) ja tivemos GNR que mataram pessoas e a GNR não acabou por isso , lembro-me de uma caso de um comandante que matou uma pessoa com um tio na cabeça num posto e depois cortou a cabeça para não verem a bala e mais uma seria de coisas hedionadas, mas a GNR não acabou e bem, há pessoas de bem nas nossas forças de segurança. Mas depois temos como na sociedade, racistas lá infiltradados e que aproveitam estas oportunidades para dar uso aos seus piores instintos. O Governo reconheceu a gravidade do que se passou e pagou uma indeminização antes do processo, coisa que não faz nem faria se fosse um cidadão português, vejam o que se passa com os comandos mortos na recruta, tentam por todos os meios branquear o que se passa.. aqui pagaram bem e depressa. E espero que haja justiça e todos os assassinos cumpram o tempo de cadeia que merecem, os que matam um vizinho por causa de um terreno, ou os que matam um estrangeiro porque lhes apeteceu e porque acham que podem fazer tudo

        • Na realidade, no primeiro dia do ciclo de noticias, à hora de almoço, houve um canal que, talvez por engano, mostrou a CCTV de toda a cena, depois a narrativa passou por acusar o SEF e sendo eles culpados até prova do contrario (algumas pessoas entendem assim a nossa constituição) os medias passaram a mostrar um ucraniano perdido e inocente repetindo vezes sem conta os mesmo 15 segundos de imagens em que ele é abordado e ainda esta calmo.

          De seguida entraram na fase de mostrar culpabilidade, esquecendo que quem amarrou o indivíduo foi a segurança para o conter porque ele estava agressivo e rematam com WhatsApps de pura especulação de indivíduos que nem estavam presentes, alguns diziam que “acho” outros “O fulano dice” etc…

          Em tribunal, a constituição muda de sentido e eles são inocentes até que se prove o oposto ou eles se declarem culpados.
          Cabe à acusação provar culpa e intenção, ja se sabe que ele morreu ao cuidado do SEF, portanto agora o que vai decidir a pena é se foi acidente, homicídio involuntário ou se houve intenção.
          No tribunal os WhatsApps de acho e ouvi, etc … não servem de nada, as pessoas tem de la ir explicar e ser confrontadas com perguntas e eventualmente mostrar provas…

          Os tribunais seriam mais simples se funcionassem com o apoio dos medias, voce seria culpado se a TV assim o quisesse, mas se tem duvidas aconselho a pesquisar no ZAP por “veritas” + “CNN” e ler o poder que a CNN teve (assumidamente pelo director) nas eleições e na difusão de informação da pandemia.

          • Em Portugal há atenuantes para tudo e para todos desde que sejam alguém na vida ou consigam bons advogados, os restantes cidadãos pagam pelos crimes que fazem. Veremos o que acontece neste caso. Por mim deixei de acreditar na justiça de há uns tempos para cá, desde que foi publico que um Juiz vendia as sentenças a pedido, desde que diferentes juizes têm opiniões opostas sobre mesmos factos, fazendo muitas vezes intrepertações pessoais da Lei, e de batalhas que têm com colegas. A justiça é feita por juizes que representam o povo, aliás nos EUA muitos processos são ” people vs F…. ” Em Portugal é tudo menos isso, não me revejo na justiça, a justiça não representa o povo, a justiça representa interesses, a justiça vende-se a quem mais paga, sendo com bons advogados ou por outros motivos … sempre se ouviu falar de justiça de ricos, com os media todos vemos que afinal é verdade.

            • Não se trata de atenuantes para tudo, apenas de bons advogados.

              Qualquer cidadão em tribunal parte da presunção de inocência (tanto em Portugal como nos E.U.A.) e cabe à acusação provar culpabilidade. (Por isso se chama de acusação)

              Infelizmente os advogados de ofício (pagos pelo estado) estão cheios de casos e mal conseguem decorar o nome dos 4 ou 5 indivíduos que vão defender nesse dia quanto mais investigar e até refutar as provas da acusação, estas muitas vezes são circunstancias, por exemplo, você comprou um carro novo com o dinheiro que economizou, a acusação usa essa informação como prova e acusa-o de branqueamento de capital, um bom advogado refuta essa prova com 60 minutos de investigação e documentação, um advogado de oficio tem pouco mais de 10 minutos para fazer o mesmo trabalho.

              É uma infelicidade não ter dinheiro para pagar uma justiça, mas ninguém trabalha de borla (você trabalharia), e o cidadão comum não tem dinheiro para pagar um bom advogado, e finalmente o governo não pode pagar muito mais na defesa de um possível criminoso (nós como contribuintes não o aceitaríamos)

              Em todo o lado existem ervas daninhas seja no seu lugar de trabalho, no hospital ou na justiça. Ela é feita por humanos e como tal tem falhas, mas não pense que os Estados Unidos ficaria melhor.
              Tem exactamente o mesmo problema mas numa seria de crimes em que a acusação é feita pelo Ministério Publico (os tais “people vs …”) o veredicto é dado por pares do acusado … ou seja outros civis, neste caso o sucesso está dependente de pessoas sem treino e altamente influenciáveis, são centenas de veredictos ao longo da historia que provaram ser erróneos alguns inclusive com pena de morte e que depois se soube que era inocente.

              Pessoalmente acho que a justiça portuguesa tem falhas que podem e devem ser corrigidas, juizes que deveriam ser investigados e uma profissão que deve ser respeitada mas que não deve de ser temida ou ter o estatuto de intocável, se crucificamos cristo não deveríamos ter medo de acusar juizes.
              Mas confesso que prefiro a justiça portuguesa à espanhola ou americana.
              Posso lhe assegurar que não é como vê nos filmes e que todas sofrem do mesmo mal, quem tem dinheiro para pagar um bom advogado tem mais chances de ser ilibado … mesmo que seja realmente culpado, porque provar alegações é muito mais complicado do que acreditar na palavra de A ou B.

            • Gostei da resposta/contestação que fez ao meu post, foi educado, explicou, algumas coisas concordo outras não tanto, mas agradeço, poderia entrar em discussão sobre alguns pontos, mas acabamos depois a entrar em opiniões pessoais sobre se o sistema como está funciona ou não, você disse tudo, quando disse que existem falhas que podem e devem ser corrigidas, e juizes que deviam ser investigados. Obrigado pelo post e pela educação.

RESPONDER

Cientistas criam hologramas que se movem pelo ar

Uma equipa de cientistas da Universidade Brigham Young, nos Estados Unidos, conseguiu desenvolver um holograma que projeta imagens em movimento. Se é fã de Star Treck, ficará impressionado com a mais recente inovação. Um grupo de …

Gangue detido por falsificar a especiaria mais cara do mundo

As autoridades espanholas detiveram um gangue que fazia milhões de euros por ano a falsificar a especiaria mais cara do mundo: o açafrão. Os 17 membros da quadrilha foram detidos na região de Castela-Mancha. Os criminosos …

Santuário medieval recebe escultura em pedra que usa máscara contra a covid-19

Uma catedral histórica do Reino Unido renovou um santuário do século XIV, acrescentando um detalhe que coloca em evidência o momento pandémico que o mundo vive. Agora, a nova escultura está a usar uma máscara …

Aos 10 anos, Adewumi chegou à elite mundial do xadrez (e fugiu ao Boko Haram)

Tanitoluwa Adewumi foi perseguido pelo Boko Haram, fugiu da Nigéria e foi sem-abrigo nos Estados Unidos. Agora, com apenas 10 anos, chegou à elite mundial do xadrez. Grande Mestre é um dos títulos vitalícios concedidos pela …

Hegemonia económica da China cada vez mais longe. Queda demográfica coloca Pequim sob pressão

O objetivo do país é tornar-se na maior potência económica do mundo nos próximos anos, mas a corrida pela hegemonia - disputada com os EUA - pode não ser uma meta fácil de alcançar. O …

Miss Universo 2021. Concorrente da Singapura usa roupa com o slogan "Stop Asian Hate"

Bernadette Belle Ong, uma concorrente do Miss Universo 2021, vestiu uma roupa com as cores de Singapura que continha as palavras Stop Asian Hate ("parem com o ódio contra os asiáticos"). Bernadette Belle Ong aproveitou o …

A Índia está a tornar quase impossível a vacinação dos sem-abrigo

A Índia está a dificultar o processo de vacinação dos sem-abrigo, uma vez que o programa requer um número de telemóvel e uma morada residencial. Muitas pessoas não têm nem um, nem outro.  Na Índia, quase …

Violência contra as mulheres é "uma pandemia", alerta ONU

Uma década após a criação da Convenção de Istambul, o marco dos tratados de direitos humanos para acabar com a violência de género, as mulheres enfrentam um ataque global aos seus direitos e segurança, alertaram …

Já se sabe qual a ocasião mais perdida do ano devido à pandemia (e há uma campanha para compensar)

Tomar um café com um amigo ou um familiar é o momento mais perdido do último ano devido à pandemia de covid-19. Nos últimos 12 meses, e em todas as cidades europeias, estima-se ter havido …

Reino Unido quer reconhecer animais como seres com sentimentos

O Governo britânico anunciou um amplo plano de defesa dos animais que inclui medidas como o reconhecimento dos animais como seres com sentimentos, a proibição da exportação de animais vivos e da importação de troféus …