Cientistas descobrem como desapareceu o primeiro Império Mesopotâmico

O Império Acádio, primeiro Estado mesopotâmico semita, desintegrou-se bruscamente e desapareceu há 4.200 anos. A culpa foi das secas e de uma tempestade de areia, que privaram a cidade de todas as reservas de água.

As civilizações surgem e desaparecem por diversas razões, mas as causas do desaparecimento do Império Acádio parecem controversas. A coincidência de tempo de grandes transformações com civilizações do Egito e do Vale do Indo, que são da mesma época, têm levado os historiadores a proporem a causa climática.

Sedimentos do mar Vermelho e do golfo de Omã, entre outros, foram usados anteriormente para sugerir que a Ásia ocidental foi alvo de, pelo menos, um grande período de seca nessa época, mas os dados eram imprecisos para garantir a causa do colapso acadiano.

A Suméria, o Antigo Egito e a civilização do Vale do Indo são as três civilizações mais antigas do planeta. Em meados do terceiro milénio antes de Cristo, o rei Sargão, o Grande, conquistou todas as cidades-estado, unindo-as no Império Acádio com leis, regras comerciais e outros traços da civilização moderna. Apesar de ser considerada uma das potências mais fortes da época, desapareceu 200 anos depois de ser criada.

Os motivos do seu desaparecimento permaneceram um mistério para muitos historiadores que procuraram respostas para esta questão. Desde a insatisfação da população com as autoridades e a luta contra Sargão e os seus descendentes até à invasão de nómadas que teriam devastado o país, não faltam teorias para explicar o desaparecimento.

Recentemente, uma equipa de investigadores começou a estudar a questão e sugeriu uma catástrofe climática como causa do colapso. Escavações na Síria mostram que o Oriente Médio, em 2200 a.C., enfrentou um período de seca fortíssimo que destruiu todas as grandes cidades da região.

Stacy Carolin e a sua equipa encontraram as primeiras provas sólidas desta teoria, examinando estalactites, que se formaram durante últimos cinco mil anos numa gruta no norte do Iraque. O artigo científico foi recentemente publicado na Proceedings of the National Academy of Sciences.

Estas formações rochosas consistem em “anéis anuais” cuja espessura, composição química e isótopo refletem a quantidade de água na gruta em tempos diferentes de formação. Assim, estas formações podem ser usadas como uma “crónica” climática que mostra as mudanças de temperatura e do nível de precipitações atmosféricas durante os tempos.

A gruta visitada pelos cientistas estava perto das regiões do norte do Império Acádio e tinha aproximadamente o mesmo nível de precipitações da Suméria, o que permitiu reconstruir o clima da época do colapso.

Os cientistas descobriram que a primeira superpotência da Mesopotâmia foi destruída por razões climáticas. Há 4,26 mil anos, o crescimento de estalactites diminuiu bruscamente, ou seja, houve uma diminuição brusca de precipitações atmosféricas. A seca durou mais de três séculos, o que coincide com o tempo do renascimento da Mesopotâmia e com o aparecimento da Babilónia.

Além disso, os investigadores registaram um crescimento de magnésio e cálcio nos “anéis anuais”, o que bate certo com o início de tempestades de areia. Os cataclismos deveriam ter acelerado o colapso da Acádia, privando os agricultores de cultivar, mesmo havendo muita água.

Contudo, esta não foi a primeira vez que as secas e as tempestades de areia sacudiram a Mesopotâmia. Há 4,5 mil anos, os abalos não foram tão prologados, mas podem ter sido fundamentais para o enfraquecimento das cidades-estado.

PARTILHAR

RESPONDER

Rara cobra de duas cabeças e dois cérebros independentes encontrada na Florida

Uma rara cobra com duas cabeças e dois cérebros independentes foi resgatada no estado norte-americano da Florida por uma equipa de especialistas do organização Florida Fish and Wildlife Conservation Commission. Na rede social Facebook, a organização, …

Benfica 2-0 Belenenses SAD | Darwinismo rende arranque histórico

O Benfica cumpriu e venceu o Belenenses SAD por 2-0, no Estádio da Luz, na partida que encerrou a quinta jornada da Liga NOS. Foi o quinto triunfo benfiquista no campeonato em cinco partidas, o …

Uma tarefa doméstica está a poluir sorrateiramente o ambiente

O que vestimos e como lavamos as nossas roupas influencia o número de microfibras sintéticas que libertamos no meio ambiente. Há uma tarefa doméstica a poluir sorrateiramente o ambiente. Um novo artigo científico, publicado na PLOS …

A companhia aérea que faliu devido à covid-19 está de volta

A pandemia de covid-19 foi traiçoeira para muitas empresas. A Flybe, uma das primeiras vítimas, está agora a ressuscitar - e pode voltar a rasgar os céus já no próximo ano. A economia mundial foi muito …

Dormir bem antes de tomar a vacina da gripe pode ajudar a aumentar a sua eficácia

Segundo os especialistas, uma boa noite de sono pode mesmo ajudar a aumentar a eficácia da vacina da gripe, que neste ano ganha particular relevância em plena pandemia de covid-19. De acordo com Matthew Walker, autor …

Há um petroleiro abandonado há mais de uma década nas Caraíbas (e é uma "bomba-relógio")

Um navio de armazenamento de petróleo venezuelano está ancorado no Golfo de Paria, um trecho de mar fechado entre a Venezuela e a ilha de Trinidad, há mais de uma década. Antes de os Estados Unidos …

Portugal deve bater recorde de doentes em cuidados intensivos ainda esta semana

Portugal deverá ultrapassar, esta quarta-feira, o recorde de doentes em unidades de cuidados intensivos, alertou a ministra da Saúde, Marta Temido, em conferência de imprensa sobre a capacidade do Serviço Nacional de Saúde para combater …

A Budapest Eye foi restaurante por um dia (e com estrela Michelin)

Um restaurante com estrela Michelin em Budapeste, na Hungria, ofereceu aos clientes uma experiência gastronómica na famosa roda gigante Budapest Eye. Atraiçoado pela queda de faturação após o desaparecimento de turistas estrangeiros, o restaurante Costes, premiado …

Antigo ministro da Saúde Leal da Costa admite novo estado de emergência

O antigo ministro da Saúde Fernando Leal da Costa defendeu hoje que em algum momento deve ser decretado de novo o estado de emergência, para que o Governo possa tomar medidas na luta contra a …

Marcelo promulga uso obrigatório de máscara na rua por 70 dias

O Presidente da República promulgou esta segunda-feira o decreto da Assembleia da República que determina o uso obrigatório de máscara na rua, por um período de 70 dias, sempre que não seja possível cumprir o …