Comer batata frita duplica o risco de morrer

Quem come batatas fritas mais de duas vezes por semana corre um risco de morrer duas vezes maior do que quem consome menor quantidade deste alimento, de acordo com um novo estudo científico.

Calma. Isto não quer dizer que a batata frita pode matar. Os autores do estudo, publicado no American Journal of Clinical Nutrition apenas demonstraram que o consumo frequente do alimento pode estar relacionado com a má qualidade da alimentação em geral.

No âmbito desta investigação, durante oito anos, a equipa científica rastreou os hábitos alimentares de 4.440 pessoas, com idades entre 45 e 79 anos.

Foi analisada a quantidade de batatas que consumiam, independentemente do modo de preparação, a partir de um questionário sobre a frequência com que ingeriam certos alimentos. A frequência podia variar entre uma vez por mês, duas a três vezes mensais, duas vezes por semana ou mais de três vezes semanais.

De todos os participantes do estudo, 236 morreram durante o levantamento.

Os investigadores não encontraram uma relação directa entre o consumo de batatas fritas e as mortes, mas perceberam que o consumo mais frequente aumenta o risco de morrer.

“A batata frita é um alimento que fornece muitas calorias, sódio e, algumas vezes, gorduras trans e poucos nutrientes”, refere no Yahoo! Beauty a nutricionista norte-americana Jessica Cording, que não participou no estudo.

A especialista explica ainda que outros factores podem ter contribuído para estes resultados, nomeadamente a quantidade de batatas fritas que a pessoa consumia e como era a sua alimentação diária.

Comer algumas batatas acompanhadas de uma salada, por exemplo, tem efeitos diferentes se compararmos a uma refeição composta por grandes porções de batatas fritas acompanhada de um hambúrguer.

“Parece que as pessoas que consumiram batatas fritas pelo menos duas vezes por semana eram mais propensas a ter uma alimentação pouco saudável“, explica por sua vez a especialista em dieta e nutrição Beth Warren, em declarações ao The Daily Mail.

Para Jessica Cording, as pessoas não precisam de evitar as batatas fritas completamente, podendo apreciá-las de vez em quando (uma vez por mês, por exemplo), desde que se siga um estilo de vida saudável, alimentando-se bem e com exercício regular.

Uma boa alternativa é preparar as batatas fritas em casa, assadas no forno. As batatas, mesmo as doces, podem ser feitas cortando-as às rodelas e temperando-as com azeite e um pouco de sal. Depois é só levá-las ao forno até ficarem douradas e crocantes.

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. O que definem por “risco de morrer” ? É que a meu ver o risco de morrer é de 100% em qualquer pessoa já que não existe imortalidade, e não estou a ver esse risco passar para 200%. Gostava que esclarecessem melhor este risco de morrer, como probabilidade de morrer de XXXXX (ataque cardíaco, condições provocadas por diabetes, AVC, etc) a uma idade XX anos mais jovem que outra pessoa que não consuma com tanta regularidade. Tornar-se ia mais fácil de entender.

  2. O risco existe sempre – basta estar vivo!
    A probabilidade é que pode mudar em função de factores genéticos, hábitos alimentares e modo de vida.

RESPONDER

Duterte quer ser morto a tiro caso se torne um ditador

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, pediu para os militares o matarem a tiro caso tencione violar a Constituição e resolva permanecer no cargo mais do que o seu mandato lhe permite. "Caso permaneça no poder …

Queda de helicóptero da TV Globo faz duas vítimas mortais

Um helicóptero da Rede Globo caiu, esta terça-feira, na Praia do Pina, no Recife, provocando duas vítimas mortais. Um helicóptero da TV Globo caiu esta terça-feira na praia do Pina, em Boa Viagem, na zona sul …

Tribunal de Beja pediu exame psiquiátrico a um morto

A Directora de Psiquiatria do Hospital de Beja nem queria acreditar quando recebeu do tribunal da cidade uma solicitação para realizar uma perícia médico-legal psiquiátrica a um morto. "Obviamente, não é possível", foi a resposta. Ana …

Erupção violenta no vulcão Mayon pode estar iminente. 40 mil pessoas procuram abrigo

O monte Mayon, o vulcão mais ativo das Filipinas, continuou esta terça-feira a emitir lava e cinzas, obrigando cerca de 40 mil habitantes a procurar abrigo em centros de evacuação. A lava foi projetada até 700 …

Polícia quer enviar cães pisteiros à Casa dos Horrores para procurar cadáveres

A polícia norte-americana quer enviar cães pisteiros nas novas buscas à casa do casal Turpin, acusado de ter mantido em cativeiro durante vários anos os seus 13 filhos, em Perris, na Califórnia, para procurar eventuais …

Portugueses fogem da Venezuela e refazem a vida em Madrid

Madrid é uma cidade de refúgio de muitos luso-venezuelanos, principalmente jovens da segunda e terceira geração de emigrantes portugueses, que falam melhor castelhano e que tiveram de sair da Venezuela. "Viemos para Madrid devido à situação …

Corrida para evitar a nova lei já esgotou os eucaliptos nos viveiros

A semente de eucalipto mais recomendada pelas celuloses, por crescer mais depressa, está esgotada nos viveiros devido à corrida dos proprietários que tentam fazer novas plantações antes da entrada em vigor da nova lei que …

"Tinham que meter Manuel Vicente no processo"

Orlando Figueira, o ex-procurador do Ministério Público (MP) acusado de ter recebido subornos de Manuel Vicente, o ex-vice-presidente de Angola, negou todas as acusações de que é alvo. Em tribunal, Figueira ilibou Manuel Vicente e …

Nem escondido num porta-bagagens Puigdemont vai poder regressar a Espanha

Espanha montou um sistema de vigilância para assegurar a prisão do líder independentista Carles Puigdemont no caso de este tentar regressar à Catalunha, mesmo que tente voltar escondido num porta-bagagens. O ministro da Administração Interna espanhol, …

Papa Francisco pede desculpa por ter "magoado" vítimas de abusos sexuais

Esta segunda-feira, Papa Francisco pediu desculpa às vítimas por ter usado uma expressão menos feliz ao exigir que apresentem provas de que o bispo chileno Juan Barros encobriu um sacerdote condenado por abusos sexuais. Durante a …