Comer batata frita duplica o risco de morrer

Quem come batatas fritas mais de duas vezes por semana corre um risco de morrer duas vezes maior do que quem consome menor quantidade deste alimento, de acordo com um novo estudo científico.

Calma. Isto não quer dizer que a batata frita pode matar. Os autores do estudo, publicado no American Journal of Clinical Nutrition apenas demonstraram que o consumo frequente do alimento pode estar relacionado com a má qualidade da alimentação em geral.

No âmbito desta investigação, durante oito anos, a equipa científica rastreou os hábitos alimentares de 4.440 pessoas, com idades entre 45 e 79 anos.

Foi analisada a quantidade de batatas que consumiam, independentemente do modo de preparação, a partir de um questionário sobre a frequência com que ingeriam certos alimentos. A frequência podia variar entre uma vez por mês, duas a três vezes mensais, duas vezes por semana ou mais de três vezes semanais.

De todos os participantes do estudo, 236 morreram durante o levantamento.

Os investigadores não encontraram uma relação directa entre o consumo de batatas fritas e as mortes, mas perceberam que o consumo mais frequente aumenta o risco de morrer.

“A batata frita é um alimento que fornece muitas calorias, sódio e, algumas vezes, gorduras trans e poucos nutrientes”, refere no Yahoo! Beauty a nutricionista norte-americana Jessica Cording, que não participou no estudo.

A especialista explica ainda que outros factores podem ter contribuído para estes resultados, nomeadamente a quantidade de batatas fritas que a pessoa consumia e como era a sua alimentação diária.

Comer algumas batatas acompanhadas de uma salada, por exemplo, tem efeitos diferentes se compararmos a uma refeição composta por grandes porções de batatas fritas acompanhada de um hambúrguer.

“Parece que as pessoas que consumiram batatas fritas pelo menos duas vezes por semana eram mais propensas a ter uma alimentação pouco saudável“, explica por sua vez a especialista em dieta e nutrição Beth Warren, em declarações ao The Daily Mail.

Para Jessica Cording, as pessoas não precisam de evitar as batatas fritas completamente, podendo apreciá-las de vez em quando (uma vez por mês, por exemplo), desde que se siga um estilo de vida saudável, alimentando-se bem e com exercício regular.

Uma boa alternativa é preparar as batatas fritas em casa, assadas no forno. As batatas, mesmo as doces, podem ser feitas cortando-as às rodelas e temperando-as com azeite e um pouco de sal. Depois é só levá-las ao forno até ficarem douradas e crocantes.

3 COMENTÁRIOS

  1. O que definem por “risco de morrer” ? É que a meu ver o risco de morrer é de 100% em qualquer pessoa já que não existe imortalidade, e não estou a ver esse risco passar para 200%. Gostava que esclarecessem melhor este risco de morrer, como probabilidade de morrer de XXXXX (ataque cardíaco, condições provocadas por diabetes, AVC, etc) a uma idade XX anos mais jovem que outra pessoa que não consuma com tanta regularidade. Tornar-se ia mais fácil de entender.

  2. O risco existe sempre – basta estar vivo!
    A probabilidade é que pode mudar em função de factores genéticos, hábitos alimentares e modo de vida.

RESPONDER

NASA mostra como o furacão Ofélia influenciou os incêndios em Portugal

A estação espacial norte-americana NASA divulgou um vídeo que ilustra o impacto dos furacões que atingiram o Oceano Atlântico, nos últimos meses, mostrando em particular como o Ofélia teve influência nos grandes incêndios que abalaram …

Cesarianas e tempos de espera nas urgências vão condicionar financiamento

Os hospitais com taxas de cesariana superiores a 29,5% ou 31,5%, consoante o grau de diferenciação, não vão receber do Estado o pagamento pelos respetivos episódios de internamento, no âmbito do programa para a redução …

Empresas públicas escondem das Finanças os salários dos gestores

Cerca de metade das empresas públicas não comunicaram dados sobre os salários dos membros do conselho de Administração ao Ministério das Finanças, como está estipulado na Lei. O Correio da Manhã apurou que, em 2016, 118 …

"0 tiros disparados". PSP publica (e depois retira) post polémico sobre tiroteio

O post partilhado no Facebook da PSP, que parecia fazer alusão ao tiroteio que, na semana passada, provocou a morte de uma mulher, já foi retirado desta rede social. "0 tiros disparados", podia ler-se. A PSP …

PJ descarta abuso sexual na Queima das Fitas de Porto e Braga. Autores dos vídeos ainda por apurar

A Polícia Judiciária descartou o crime de abuso sexual nos dois casos, mas mantém a investigação aos crimes de de gravação ilícita e devassa da vida privadas. Dois jovens envolvidos numa cena de sexo num autocarro …

Negociações para formar Governo fracassam na Alemanha

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, lamentou no domingo em Berlim o fracasso das negociações da CDU com os liberais do FDP e com Os Verdes para a formação de um novo governo. Desde as eleições …

Armada argentina duvida que chamadas de satélite sejam do submarino desaparecido

No sábado, bases navais da Argentina anunciaram ter recebido contactos por telefone-satélite que poderiam ter sido feitos a partir do submarino militar argentino Ara San Juan. De acordo com o Diário de Notícias, sete chamadas de …

Morreu o infame Charles Manson

Na sequência dos assassínios brutais que levou a cabo com a sua seita, Charles Manson tinha sido condenado à morte em 1971. Um dos criminosos mais famosos dos Estados Unidos, Charles Manson, líder de uma seita …

Portugal prepara-se para o regresso dos seus jihadistas

As autoridades portuguesas estão a preparar-se para o regresso dos jihadistas que partiram de Portugal para combater nas fileiras do Estado Islâmico. Polícia e entidades de apoio social estão a receber formação para prevenir a …

Criminologista espanhol encontrou a "mulher de roxo" do caso Maddie

A polícia inglesa procurava a "mulher de roxo", que tinha saído da Praia da Luz com o marido - um pedófilo condenado que entretanto morreu -  na mesma altura do desaparecimento de Madeleine McCann, em …