Comemos milhares de partículas de plástico por ano (e nem sabemos)

Estamos cada vez mais conscientes da forma como o plástico está a poluir o meio ambiente. Recentemente, o foco da nossa atenção virou-se para os micro-plásticos – pedaços minúsculos de plástico que variam entre 5 milímetros a 100 nanómetros de diâmetro.

Estes plásticos estão a encher os mares e abrir caminho para os animais que lá vivem. Isto significa que estes resíduos estão a entrar na cadeia alimentar e, em consequência, nos nossos corpos.

No entanto, o peixe e o marisco nãos são as únicas fontes de alimento que podem conter micro-plásticos. Há, de facto, outras fontes não provenientes do mar que podem ser muito mais preocupantes.

Uma porção de mexilhão de um consumidor na Europa pode conter cerca de 90 micro-plásticos. É muito provável que o consumo varie bastante de acordo com os países e as gerações mas, os ávidos consumidores de mexilhão podem estar a ingerir até 11 mil plásticos por ano.

É difícil saber ao certo quantos micro-plástico estamos a consumir a partir do consumo de peixe. A maioria dos estudos realizados até ao momento apenas analisou o conteúdo do estômago e do intestino dos peixes, partes que geralmente são removidos antes do consumo. No entanto, um estudo encontrou micro-plásticos no fígado dos peixes, sugerindo que estas partículas podem migrar do sistema digestivo para outras partes do corpo.

Um outro estudo também detetou micro-plásticos em peixe enlatado. Os números encontrados eram baixos podendo, em média, um consumidor ingerir cinco micro-plásticos numa porção de peixe enlatado. As partículas encontradas podem também ter vindo do processo de enlatamento ou do ar.

Outra fonte de micro-plásticos de origem marinha é o sal proveniente do mar. Um quilograma de sal pode conter mais de 600 micro-plásticos. Se, por dia, ingerirmos 5 gramas de sal, estaríamos a consumir três micro-plásticos por dia – porém, muitas pessoas ingerem muito mais sal do que as quantidades recomendadas.

No entanto, outros estudos descobriram quantidades variáveis de micro-plásticos no sal marinho, possivelmente devido aos diferentes métodos de extração usados. Este é um problema generalizado na pesquisa de micro-plásticos, que torna difícil comparar estudos.

Por exemplo, um estudo parece só ter procurado por micro-fibras – pequenas cadeias de materiais artificias, como é o caso do poliéster. Já um outro estudo adicional, apenas procurava micro-plásticos de tamanho superior a 200 micrómetros.

Os estudos do sal marinho acima mencionados não tentaram remover e contabilizar todos os micro-plásticos encontrados nas amostras de sal recolhidas. Em vez disso, os investigadores fizeram uma estimativa baseada na porção de partículas que recolheram. Ou seja, o estudo mostrou que 1 quilo de sal continha, pelo menos, 600 micro-plástico – mas o número real pode ser bem maior.

Fontes não marinhas

Apesar destas descobertas, outras pesquisas demonstram que é muito mais provável que os micro-plásticos encontrados nos nossos alimentos venham de outras fontes que não o mar. Os animais terrestres também comem plásticos embora – tal como acontece com os peixes – tendemos a não comer os seus sistemas digestivos.

Existem poucos dados sobre esta parte da indústria alimentar mas, um estudo realizado com frangos criados em jardins do México encontrou, em média, 10 micro-plásticos por cada moela de frango – uma iguaria em algumas partes do mundo.

Os investigadores também encontraram micro-plásticos no mel e na cerveja. Podemos estar a engolir dezenas de micro-plásticos em cada garrafa de cerveja.

Talvez a maior fonte conhecida de micro-plásticos que consumimos seja a água engarrafada. Quando os investigadores examinaram um conjunto de águas engarrafadas em vidro e plástico, encontraram micro-plásticos na maioria delas.

As garrafas de água de uso único continham entre 2 a 44 micro-plásticos por litro, enquanto que as garrafas reutilizadas continha entre 28 a 241 micro-plásticos por litro. Os micro-plásticos vieram das embalagens, o que significa que podemos estar a expor-nos a resíduos sempre que reutilizamos uma garrafa para reduzir o desperdício.

Isto também evidencia que os micro-plásticos presentes nos nossos alimentos provêm do pó dentro das nossas casas. Um estudo estimou que, anualmente, podemos obter uma dose de quase 70.000 micro-plásticos só a partir do pó que se instala no nosso jantar – e está é apenas uma das nossas refeições diárias.

Então, sim, estamos a ingerir um pequeno número de micro-plásticos provenientes de produtos marinhos. Mas só o facto de bebermos um litro de água engarrafada por dia pode significar ingerir mais micro-plásticos do que um ávido comedor de marisco.

Outra questão que os cientistas ainda não responderam relativamente à ingestão de micro-plásticos, é o dano que estes realmente provocam.

Os estudos acima referenciados foram publicados entre 2015 e 2017 nas revistas Nature e Science Direct e no Environmental Science & Technology e Polish Journal of Food and Nutrition Sciences.

PARTILHAR

RESPONDER

Burger King prometia hambúrgueres a russas que engravidassem de jogadores do Mundial

Na Rússia, o Burguer King ofereceu 40 mil euros e hambúrgueres grátis para toda a vida às russas que engravidassem de um jogador do Mundial. A promoção já foi cancelada. Uma campanha - entretanto cancelada - …

Mais de 10 mil crimes de femicídio ficaram por resolver em 2017 no Brasil

No final do ano passado, 10.786 processos de femicídio - assassinatos de mulheres em função do género - aguardavam julgamento tribunais estaduais de Justiça do Brasil. Os dados foram publicados na quarta-feira pelo Conselho Nacional …

França vs Peru | Serviços mínimos apuram gauleses

A França garantiu desde já a passagem aos oitavos-de-final do Mundial. Os gauleses marcaram na primeira parte, mas nunca confirmaram em campo o claro favoritismo que lhe era atribuído antes da partida. Na verdade, os peruanos …

Panama Papers investiga Messi por "operações suspeitas"

Messi e o seu pai já tinha sido condenados em 2016 por fraude fiscal. Agora, e segundo novos dados dos Panamá Papers, a sociedade offshore em causa continua ativa - ao contrário do que disse …

Membros de La Manada saem da prisão em liberdade condicional

Os cinco homens do grupo "La Manada" conseguiram, esta quinta-feira, a liberdade condicional, depois de uma nova decisão do Tribunal de Navarra. Segundo o El Confidencial, o Tribunal de Navarra decidiu pôr em liberdade condicional os …

O próximo presidente do Sporting vai precisar de 60 milhões

O banqueiro José Maria Ricciardi considerou na quarta feira, numa entrevista à TVI 24, que qualquer candidato a presidente do Sporting vai precisar duma avultada quantia em dinheiro, que poderá ascender a 60 milhões ou …

Em Portugal, há mais de 160 mil jovens que não estudam nem trabalham

Mais de 160 mil jovens portugueses não estudam nem trabalham, revelou na terça-feira o Garantia Jovem, programa europeu coordenado em Portugal pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP). Os dados foram apresentados no Instituto de …

Descoberto novo campo hidrotermal nos Açores

A expedição científica Oceano Azul descobriu um campo hidrotermal a 60 milhas da ilha do Faial. Dos oito campos conhecidos no arquipélago, este é o que fica a menos profundidade. Uma expedição científica no mar dos …

A Internet (como a conhecemos) está em jogo no Parlamento Europeu

A polémica diretiva europeia dos direitos de autor foi esta quarta feira aprovada na Comissão dos Assuntos Legais do Parlamento Europeu com 15 votos a favor e 10 contra. A Internet, tal como a conhecemos, …

Ministério Público pede penas suspensas para Orlando Figueira e Paulo Blanco

O Ministério Público pediu, esta quinta-feira, a condenação dos arguidos Orlando Figueira e Paulo Amaral Blanco, no âmbito da Operação Fizz, a penas de prisão suspensas na sua execução. No primeiro dia das alegações finais do …