/

O consumo de cogumelos pode diminuir o risco de depressão

Além de reduzirem o risco de cancro e morte prematura, os cogumelos podem beneficiar a saúde mental de uma pessoa.

Uma equipa de investigadores da Faculdade de Medicina de Penn State, nos Estados Unidos, analisou dados sobre dieta e saúde mental de mais de 24 mil adultos, entre 2005 e 2016, e descobriu que as pessoas que comiam cogumelos tinham menos probabilidade de ter depressão.

Os cogumelos têm ergotioneína, um antioxidante que pode proteger contra danos celulares e tecidulares no corpo. Estudos anteriores também demonstraram que os antioxidantes ajudam a prevenir várias doenças mentais, como esquizofrenia, distúrbios bipolares e depressão.

Os cogumelos brancos são a variedade mais consumida nos Estados Unidos e contêm potássio, uma substância que reduz a ansiedade.

Outras espécies de cogumelos comestíveis, especialmente o Hericium erinaceus, podem estimular a expressão de fatores neurotróficos como a síntese do fator de crescimento nervoso, que poderia ter um impacto na prevenção de distúrbios neuropsiquiátricos, incluindo a depressão.

De acordo com o portal, a equipa observou uma associação significativa entre o consumo de cogumelos e uma menor probabilidade de depressão, depois de os cientistas terem em conta fatores sócio-demográficos, os principais fatores de risco, as doenças, os medicamentos e outros fatores alimentares.

O estudo concluiu, no entanto, que não havia benefícios adicionais claros associados a um consumo relativamente elevado de cogumelos.

Os cientistas realizaram uma análise secundária para ver se o risco de depressão poderia ser reduzido através da substituição de uma dose de carne vermelha ou processada por uma dose de cogumelos por dia. No entanto, os resultados mostraram que esta substituição não estava associada a uma menor probabilidade de depressão.

O artigo científico foi recentemente publicado no Journal of Affective Disorders.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.