Cientistas modificam ADN de bactéria para criar o menor “gravador biológico” do mundo

Ao modificar geneticamente as bactérias, uma equipa de cientistas conseguiu fazer com que os organismos registassem eventos ambientais no próprio ADN, inclusive com uma maneira de “marcá-los”, permitindo que os investigadores não só conseguissem descobrir o quê, mas também quando algo ocorreu.

“As bactérias, engolidas por um paciente, poderiam ser capazes de registar as mudanças que experimentam em todo o processo digestivo, produzindo uma visão sem precedentes de fenómenos previamente inacessíveis”, explicou Harris Wang, do centro médico da Columbia University e autor principal do artigo publicado na Science.

A investigação baseia-se no “rapto” do próprio sistema imunitário das bactérias, especificamente do complexo CRISPR-Cas.

Este é o mesmo sistema que revolucionou a edição genética na última década e, através dele, a bactéria fica disposta a recolher fragmentos de ADN de qualquer vírus que encontre, e insere-os precisamente no seu próprio genoma por ordem cronológica.

Isto significa que, se a bactéria encontrar o mesmo vírus no futuro, possui uma espécie de biblioteca que pode consultar e então dizer ao sistema imunitário qual a melhor maneira de o enfrentar.

“Gravar sinais e mudanças temporárias com aparelhos eletrónicos ou com um gravador de áudio é uma tecnologia muito poderosa, mas como fazer a mesma coisa numa escala para as células vivas?”, questiona o estudante de pós-graduação Ravi Sheth, co-autor do estudo, citado pelo IFLScience.

De acordo com o artigo agora publicado, a equipa foi capaz de modificar pequenos círculos de ADN encontrados na bactéria, conhecidos por plasmídeos, para registar o tempo e eventos que conseguisse detectar.

A equipa editou um destes plasmídeos para fazer cópias de si mesmo quando percebesse certos estímulos externos, como metabolitos particulares produzidos por bactérias específicas, enquanto um plasmídeo separado marcou o tempo, a cada estímulo, adicionando continuamente espaços no genoma da bactéria.

Assim, quando a bactéria era exposta aos estímulos corretos, o sinal interrompia o espaçamento do genoma – que marca o tempo – e registava quando isso acontecia.

Até agora, as experiências mostraram que as bactérias modificadas podem gravar pelo menos três sinais externos diferentes enquanto mantêm o controlo do tempo por dias. A expectativa é que a técnica possa ser aperfeiçoada para funcionar dentro do corpo humano ou até mesmo para gravar poluentes no meio ambiente.

Emerson Machado EM, Ciberia // IFLScience

PARTILHAR

RESPONDER

Nova Iorque quer oferecer vacina aos turistas. Miami vai começar a vacinar no aeroporto

Em Nova Iorque os turistas irão receber a vacina da Johnson & Johnson e em Miami a vacina da Pfizer. Com o objetivo de reativar o turismo na cidade, as autoridades de Nova Iorque querem oferecer …

Carta misteriosa escrita por passageira do Titanic está a intrigar os peritos

Uma equipa de investigadores está a tentar desvendar um mistério que envolve uma carta que terá sido escrita por uma jovem a bordo do Titanic na véspera do naufrágio. Uma família encontrou a carta numa garrafa …

Violência na Colômbia preocupa comunidade internacional

Várias cidades colombianas continuam a ser palco de violentas manifestações contra o Governo do país, mas são reprimidas com força pela polícia e por militares. As manifestações começaram em forma de protesto contra uma reforma tributária …

Veterana de Bletchley Park tem um novo código da 2.ª Guerra para decifrar (mas precisa de ajuda)

Um casal que encontrou mensagens codificadas da II Guerra Mundial sob o assoalho está tentar decifrá-las com a ajuda do seu vizinho, um decifrador de códigos de Bletchley Park. John e Val Campbell encontraram um esconderijo …

"Caixas mistério" com animais de estimação geram indignação na China

Uma nova moda conhecida como "caixa mistério" ganhou popularidade na China. O método consiste em fazer uma encomenda através da internet e é enviada, pelo correio, uma caixa com um animal de estimação. Estas encomendas estão …

Arquivos da polícia do Estado Islâmico revelam como era a vida sob o califado

Arquivos da polícia do Estado Islâmico, conhecida como shurta, revelam como era a vida sob o califado. Os polícias eram tão bem pagos que não podiam ser subornados. Não é sempre que os regimes mirram …

Barco português detido por ancorar ilegalmente em águas da Malásia

Um navio mercante registado em Portugal está retido na Malásia por ter alegadamente ancorado em águas territoriais do país sem autorização, avançou esta sexta-feira a Guarda Costeira malaia. Num comunicado, Nurul Hizam Zakaria, diretor da agência …

”Eficácia e qualidade”. OMS aprova vacina chinesa da Sinopharm

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou, esta sexta-feira, o uso de emergência da vacina chinesa contra a covid-19 da Sinopharm. Trata-se da primeira vacina desenvolvida pela China a ser aprovada pela organização, lembra a agência …

Sem estado de emergência não pode haver confinamento de pessoas saudáveis

O constitucionalista Jorge Reis Novais defendeu hoje que sem estado de emergência que suspenda a garantia do artigo 27.º da Constituição não pode haver confinamento de pessoas saudáveis, até uma eventual revisão constitucional. Por outro lado, …

"Neuro-direitos". O Chile quer proteger os seus cidadãos do controlo da mente

O Chile quer tornar-se o primeiro país a proteger as pessoas do controlo da mente, à medida que a capacidade de mexer com cérebros se aproxima cada vez mais da realidade. O senador Guido Girardi está …