Cientistas chineses vão testar edição genética em pacientes com cancro

Cientistas chineses estão a preparar-se para tratar pacientes com cancro do pulmão com células imunitárias modificadas, utilizando uma técnica de edição genética chamada CRISPR.

A equipa de investigadores espera que as células modificadas ataquem as células cancerígenas, oferecendo uma nova opção de tratamento para os casos em que as terapias convencionais, como a quimioterapia e a radioterapia, falham.

“Esta técnica promete trazer benefícios para os pacientes, especialmente para doentes com cancro que tratamos todos os dias”, disse o oncologista que lidera a investigação, Lu You da Universidade de Sichuan, em Chengdu, citado num artigo publicado na revista Nature.

Para chegar ao objectivo, o médico e a sua equipa planeiam extrair células T dos pacientes e modificar o gene DP-1 através da CRISPR (Clustered Regularly Interspaced Short Palindromic Repeats na sua designação original em Inglês, isto é, Repetições Palindrómicas Curtas Agrupadas e Regularmente Interespaçadas).

A ideia é que as respostas dessas células sejam reguladas e que as saudáveis não sejam atacadas.

Segundo os cientistas, desactivando o gene DP-1 e removendo a proteína DP-1, a célula T modificada estará livre para destruir as células cancerígenas.

Para começar os testes, as células T modificadas serão multiplicadas em laboratório e depois injectadas na corrente sanguínea do paciente.

Mas como em qualquer tratamento inovador há riscos e uma das preocupações dos cientistas é que haja uma super-estimulação do sistema imunológico, o que pode acabar por acarretar ataques às células saudáveis.

Na tentativa de evitar danos, a equipa pretende começar a experiência com um pequeno número de células modificadas e, de seguida, aumentar gradualmente a dosagem num único paciente.

Nos EUA, uma equipa de investigadores da Universidade da Pensilvânia, em Filadélfia, está a tentar obter aprovação para efectuar testes clínicos semelhantes em humanos, escreve o Digital Trends.

Mas ainda só obteve luz verde do Instituto Nacional de Saúde norte-americano, aguardando pelo aval da Food and Drug Administration (o órgão de supervisão dos medicamentos e dos alimentos) e pela avaliação de um painel de especialistas universitários.

A Nature nota que a China tem “uma reputação” de resolver este tipo de autorizações que envolvem edição genética de forma rápida.

E Lu You esclarece que o processo levou cerca de um ano e meio e que foi tão ágil porque a sua equipa tem “experiência” no sector dos testes clínicos com tratamentos de cancro.

“Quando se trata de edição de genes, a China vem em primeiro”, salienta na Nature o bio-eticista Tetsuya Ishii, da Universidade Hokkaido em Sapporo, no Japão, lembrando que o país já levou a cabo experiências com os primeiros embriões humanos modificados e com os primeiros macacos editados através da CRISPR.

ZAP / Canal Tech

PARTILHAR

RESPONDER

Mulher agride médica na Urgência do Hospital de Águeda

Uma médica foi agredida, esta quinta-feira, na Urgência do Hospital de Águeda, por uma mulher que acompanhava o filho a uma consulta. De acordo com o Jornal de Notícias, a médica, de 33 anos, que estava …

Polícia do Rio de Janeiro matou cinco pessoas por dia em 2019

A polícia do Rio de Janeiro matou 1.810 pessoas em 2019, um recorde de cinco mortes por dia e um aumento de 18% em relação ao ano anterior, informou o Instituto de Segurança Pública (ISP) …

Governo dedica 20 milhões do Orçamento ao combate à violência doméstica

O orçamento total para combater a violência doméstica em 2020 é de 20,3 milhões de euros, adiantou na quinta-feira a ministra de Estado e da Presidência no Parlamento, Mariana Vieira da Silva, sublinhando o reforço orçamental …

Chega quer câmaras nas fardas e nos carros-patrulha

O Chega, liderado por André Ventura, apresentou um projeto de resolução a defender que os agentes das forças de segurança nacionais devem poder utilizar câmaras, que seriam introduzidas nas fardas e nos carros-patrulha. O partido liderado …

"Não tenho o apoio de Assunção Cristas", diz João Almeida

O candidato à liderança do CDS-PP defende que o partido deve, no imediato, fortalecer-se e depois participar numa "plataforma à direita" de alternativa ao PS, com o PSD, mas sem o Chega. "A alternativa à governação …

Campanha internacional quer salvar leões subnutridos em parque no Sudão

Várias fotografias de leões subnutridos no zoo de Al-Qureshi, no Sudão, atraíram a atenção de milhares de pessoas, que tentam agora salvar os animais. O fotógrafo Ashraf Shazly encontrou cinco leões malnutridos, enjaulados e sem …

Joacine Katar Moreira defende mais direitos para deputados não inscritos em partidos

A deputada única do Livre, Joacine Katar Moreira, defendeu nesta sexta-feira o alargamento dos direitos regimentais dos deputados não inscritos em partidos, durante uma reunião do grupo de trabalho para racionalizar os votos objecto de …

Nova universidade internacional de Soros pretende combater populismo e alterações climáticas

O filantropo multimilionário George Soros vai investir mil milhões de dólares (cerca de 904 milhões de euros) numa universidade internacional que terá como foco a oposição a governos autoritários e às alterações climáticas. Segundo avançou o …

"O índio está evoluindo e cada vez mais é um ser humano igual a nós", diz Bolsonaro

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse, durante um vídeo em direto em que comentava a criação do Conselho da Amazónia, que "o índio está evoluindo e cada vez mais é um ser humano igual …

Jorge Brito Pereira deixa de ser advogado de Isabel dos Santos

O advogado anunciou, esta sexta-feira, que saiu da sociedade de advogados Uría Menéndez Proença de Carvalho, suspendeu a atividade profissional e, como consequência, vai cessar "o patrocínio jurídico" à empresária angolana. "Face às informações publicadas nos …