Cientista de Harvard detido e acusado de mentir sobre laços com a China

O presidente do Departamento de Química e Biologia Química da Universidade de Harvard foi acusado recentemente de prestar declarações falsas ao Departamento de Defesa dos Estados Unidos (EUA) sobre a sua ligação com um programa do governo chinês para recrutar cientistas e pesquisadores estrangeiros.

O Departamento de Justiça informou que Lieber, de 60 anos, mentiu sobre seu contato com o programa “Thousand Talents Plan” (“Projeto Milhares de Talentos”, em tradução livre), que os EUA já haviam sinalizado. Foi também acusado de mentir sobre um contrato lucrativo que assinou com a Universidade de Tecnologia Wuhan, na China, noticiou a NPR.

Lieber é acusado de ter recebido mais de 1,5 milhões de dólares (cerca de 1,3 milhões de euros) para criar um laboratório e fazer pesquisas na Universidade de Wuhan. De acordo com as autoridades, o cientista recebeu centenas de milhares a mais ao longo de vários anos, informou a Bloomberg News, citada pelo New York Post.

O agente especial do FBI Robert Plumb, referido pela NPR, disse que Lieber, que liderou um grupo de pesquisa de Harvard facado em nanociência, havia estabelecido um laboratório de pesquisa na Universidade de Wuhan, aparentemente sem o conhecimento de Harvard.

“Isto não é um acidente ou uma coincidência”, disse o advogado norte-americano Andrew Lelling, numa entrevista coletiva em Boston, onde Lieber foi acusado. “Esta é uma pequena amostra da campanha da China para desviar o ‘know-how’ e a tecnologia norte-americanos para proveito próprio”, acrescentou.

O acordo entre Lieber e a instituição chinesa permaneceu durante períodos “significativos”, entre 2012 e 2017. Durante grande parte do período em questão, foi também o investigador principal em pelo menos seis pesquisas do Departamento de Defesa dos EUA, num valor total de mais de oito milhões de dólares (cerca de 7, milhões de euros).

A acusação indica que o cientista foi ainda o investigador principal em projetos financiados pelos Institutos Nacionais de Saúde em mais de 10 milhões de dólares (aproximadamente nove milhões de euros).

“Essas doações exigem a divulgação de conflitos de interesse financeiros estrangeiros, incluindo apoio financeiro de governos ou entidades estrangeiras”, disse a Procuradoria dos EUA em Massachusetts, num comunicado que informa sobre as acusações contra Lieber.

O professor “foi obrigado a trabalhar para a Universidade de Wuhan não menos que nove meses por ano, em projetos de cooperação internacional, atraindo jovens professores e estudantes de doutoramento, organizando conferências, solicitando patentes e publicando artigos” em nome do estabelecimento de ensino, declarou o Ministério Público dos EUA.

Argonne National Laboratory / Flickr

Em 2017, Harvard concedeu a Lieber a sua mais alta distinção entregue ao corpo docente, nomeando-o professor universitário – um título que compartilhou com apenas 25 outros membros do corpo docente, revelou o Harvard Gazette. Agora, o académico está proibido de entrar nas instalações da universidade.

Desde 2011, as suas alegadas ações levaram a que a universidade norte-americana tivesse que fazer declarações falsas aos Institutos Nacionais de Saúde sobre o seu trabalho com a China, visto que os subsídios exigiam a divulgação de laços com governos estrangeiros.

“As acusações do governo dos EUA contra o professor Lieber são extremamente graves. Harvard está a cooperar com as autoridades federais, incluindo os Institutos Nacionais de Saúde, e está a conduzir a sua própria revisão da alegada má conduta”, disse ao New York Post um porta-voz da universidade, acrescentando que aquele foi colocado sob “licença administrativa indefinida”.

Lieber licenciou-se em química no Franklin and Marshall College em Lancaster, na Pensilvânia. Concluiu o doutoramento na Universidade de Stanford e o pós-doutoramento no Instituto de Tecnologia da Califórnia. Em 1987, ingressou na Universidade de Columbia como professor assistente. Quatro anos depois, mudou para Harvard.

O docente é um dos vários académicos que os EUA acusaram criminalmente pelas relações que mantém com a China. Em 2019, o pesquisador da Universidade do Kansas Franklin (Feng) Tao foi acusado por ter escondido que trabalhava em período integral para uma universidade chinesa enquanto realizava pesquisas industriais financiadas pelos EUA.

Em dezembro, as autoridades acusaram um estudante de medicina chinês de tentar contrabandear 21 amostras de pesquisas de cancro para fora do país. Zaosong Zheng, de 30 anos, trabalhava em Boston quando foi preso no Aeroporto Internacional de Logan, quando tentava embarcar para a China. O homem admitiu que roubou os frascos do Centro Médico Beth Israel Deaconess, onde trabalhou como investigador.

A tenente do Exército de Libertação Popular da China Yanqing Ye, de 29 anos, foi acusada de mentir no seu pedido de visto para entrar nos EUA, alegando que era estudante. Enquanto trabalhava no Departamento de Física, Química e Engenharia Biomédica da Universidade de Boston, entre 2017 e 2019, recebia ordens de oficiais chineses para realizar pesquisas, avaliar sites militares dos EUA e enviar documentos para a China.

Yanqing Ye foi acusada de fraude na obtenção de visto, conspiração, declarações falsas e atuação como agente ilegal de um governo estrangeiro. Encontra-se atualmente na China.

Além dos espiões tradicionais, “a China está a utilizar o que chamamos de coletores não tradicionais, como professores, pesquisadores, hackers e empresas de fachada”, declarou ao Wall Street Journal Joseph Bonavolonta, chefe do escritório do FBI em Boston.

 

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Piscina mais profunda do mundo inaugurada na Polónia

Com 45 metros de profundidade, a piscina Deepspot foi recentemente inaugurada na Polónia. Vai servir de zona de treino para mergulhadores, bombeiros e forças armadas. A piscina mais profunda do mundo foi inaugurada esta semana em …

Mais 6087 novos casos de covid-19 em Portugal. Este é o maior número da semana

Portugal registou este sábado 6087 novos casos e 73 mortes por covid-19. No total, mais de 318 mil pessoas já foram infetadas com o novo coronavírus e 4876 morreram. Nas últimas 24 horas, mais 6165 …

Sedada e com um capuz sobre os olhos, a girafa Asiwa foi resgatada de uma ilha no Quénia

Conservacionistas, autoridades do Governo e membros da comunidade local uniram-se para resgatar oito girafas numa ilha no Quénia. A população de girafas em África tem diminuído nas últimas décadas devido à perda de habitat e à …

Governo mantém restrições. Exceções no Natal, mas no Ano Novo volta a ser proibida a circulação entre concelhos

António Costa falou hoje ao país para anunciar as novas medidas para a quadra festiva. O primeiro-ministro revelou que no Natal as medidas serão aliviadas, como já se esperava, porém voltam a apertar no Ano …

Joe Biden está a planear uma tomada de posse em versão reduzida. Trump pode não marcar presença

A pouco mais de um mês de tomar posse como Presidente dos EUA, Joe Biden anunciou que está a planear reduzir a dimensão da cerimónia para garantir a segurança devido à pandemia. Segundo o Público, Joe …

O Peru enfrenta o maior desafio político desde a ditadura de Fujimori. A responsabilidade está nas mãos de Sagasti

O novo presidente do Peru assumiu o cargo em 17 de novembro em circunstâncias nada desejáveis. O país, que até ao ano passado vinha a ser apontado como um exemplo na área económica, enfrenta agora …

Três anti-histamínicos mostram eficácia a inibir infeção pelo coronavírus

Três medicamentos anti-histamínicos mostraram alguma eficácia a inibir a infeção de células pelo novo coronavírus responsável pela covid-19, segundo os resultados preliminares de um estudo da Universidade da Florida divulgado na sexta-feira. As descobertas sobre os …

"Criminoso, cruel e traiçoeiro”. Sobrinha de Donald Trump diz que tio devia ser preso

A sobrinha do atual Presidente dos Estados Unidos, o republicano Donald Trump, referiu que o tio é “criminoso, cruel e traiçoeiro”, por isso, deveria enfrentar a justiça norte-americana, depois de todos os escândalos que o …

FC Porto arrisca sanção da UEFA por incidentes nos jogos contra o City

A UEFA pode vir a sancionar o FC Porto devido a episódios que aconteceram no âmbito dos jogos da Liga dos Campeões contra o Manchester City. Em causa estão, nomeadamente, alegados insultos dirigidos por elementos …

Angariações e recrutamentos. PCP luta para compensar perda de fundos e militantes

O ano não está a ser favorável para ninguém, e o PCP não é exceção. Já existem megaoperações em marcha e Jerónimo de Sousa alerta que é preciso “mobilizar todas as energias” para garantir independência …