Exercício de Cibersegurança ensaia ataque em massa à Internet portuguesa

Numa manhã que ainda não aconteceu, a Internet abranda, informações falsas nos painéis do aeroporto espalham a confusão e os sites dos jornais enchem-se de notícias falsas, um cenário jogado no primeiro Exercício Nacional de Cibersegurança.

Em três salas do século XVIII no Gabinete Nacional de Segurança (GNS), bancos e outras empresas, autoridades portuárias, aeronáuticas, autarquias, militares, transportadoras e jornalistas ensaiam como devem contactar entre si, coordenar-se e saber o que fazer para responder e reagir em caso de um ataque concertado.

Para fins do exercício, os autores do ataque, ‘hacktivistas’ com tendências xenófobas, reagem à decisão política de receber mais refugiados num país chamado Lusitânia, assente numa resolução das Nações Unidas.

As redes sociais enchem-se de mensagens apelando à violência, as páginas de ministérios e do Governo são pirateadas para exibir símbolos do grupo e manchetes falsas aparecem nas versões ‘online’ dos órgãos de comunicação.

Uma ação em massa como a que está a ser simulada passaria necessariamente pelos técnicos do Centro Nacional de Cibersegurança, que trata todas violações de segurança “de relevo” a acontecer no espaço português e acompanha o estado de segurança da Internet por todo o mundo.

O coordenador de operações do GNS, Rogério Raposo, disse à agência Lusa que no cenário ensaiado, assiste-se à degradação gradual de serviços, como as informações de partidas e chegadas no aeroporto, e no principal porto do país, as câmaras de vigilância são pirateadas e o trânsito de navios é obrigado a parar.

Ao mesmo tempo que tudo isto acontece, há que responder a perguntas da comunicação social, que quer saber o que se passa e o que está a ser feito, e pôr todos os envolvidos a falar com o interlocutor certo.

Nos ecrãs que ocupam quase uma parede da sala onde funciona o CERT.pt, acompanha-se todo o ciberespaço português, com especial atenção a todas as entidades do Estado e serviços essenciais.

Hoje, enquanto o mundo real continua a funcionar com ataques a todo o segundo, dois dos ecrãs estão dedicados ao exercício e mostram, minuto a minuto, todas as ocorrências e todos os passos dados pelos jogadores na resposta aos cenários que lhes vão sendo postos.

A missão deste serviço é “antecipar a ameaça e os impactos“, perceber a motivação, ver se há algum alvo mais atingido coordenar toda a gente e ajudar quem mais precisa.

Até quinta-feira, haverá no exercício períodos “de maior tensão” para que cada participante “perceba qual o seu papel, quem tem à sua volta, com quem pode contar e falar”, indicou Rogério Raposo.

O diretor-geral do GNS, Gameiro Marques, afirmou que o enquadramento do exercício, em que há motivações políticas, é uma ameaça plausível, mas “não é a mais perigosa”.

Os ataques “mais difíceis de detetar e debelar” são “os silenciosos, que só se sentem ao fim de muito tempo”, 280 dias em média, que é quanto demora a identificar as violações de segurança “muitas vezes, alegadamente patrocinadas por Estados”.

Esse tipo de ataques acontece em todo o mundo e é sentido “no dia a dia” do CERT.pt, “mas pode alargar-se a entidades da sociedade”, afirmou.

A rede elétrica, os transportes, empresas como a petrolífera Galp, o porto de Sines ou instituições do Estado são do tipo dos “alvos políticos e industriais” preferidos nos ciberataques, que podem ir de alterações das páginas na Internet até perturbações graves no funcionamento de serviços essenciais.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Presidente promulga lei que lança app Stayaway Covid

O Presidente da República promulgou, esta terça-feira, o diploma que estabelece o responsável pelo tratamento dos dados e regula a intervenção do médico no sistema 'Stayaway Covid'. À margem de uma visita a Lagoa, no Algarve, …

Prémios e dados pessoais. Worten alerta clientes para falso SMS em circulação

A Worten alerta os clientes para não partilharem dados pessoais em resposta a mensagens publicitárias falsas que estão a circular por SMS em nome da retalhista, a anunciar um prémio. "Alertamos que não devem ser facultados …

GNR já passou 2200 coimas por falta de limpeza de terrenos. Mais de cem câmaras multadas

Mais de uma centena de câmaras municipais foram multadas por falta de limpeza de terrenos, sendo a ausência de tratamento nas margens das estradas e junto às linhas de distribuição elétrica a principal infração registada …

Presidente do Governo da Catalunha pede a Filipe VI que abdique

O presidente do governo regional da Catalunha, Quim Torra, pediu na terça-feira ao rei Filipe VI que abdique e solicitou ao presidente do parlamento que convoque uma sessão plenária extraordinária para estabelecer uma "posição comum" …

Virologista chinesa diz que novo coronavírus foi "criado em laboratório militar"

A virologista chinesa que fugiu para os Estados Unidos deu mais uma entrevista onde assegura que o novo coronavírus foi "criado num laboratório militar". Numa nova entrevista, citada pelo jornal online Observador, Li Meng-Yan, a virologista …

Ministério da Saúde abre 435 vagas para médicos de família

É o maior número de vagas dos últimos anos colocadas a concurso para a contratação de médicos especialistas em medicina geral e familiar para o SNS. De acordo com o jornal Público, o Ministério da Saúde …

MP brasileiro processa pastor por anunciar cura com feijões para a covid-19

O Ministério Público brasileiro pediu a abertura de um processo contra o pastor evangélico Valdemiro Santiago e a Igreja Mundial do Poder de Deus, que anunciaram a cura da covid-19 a partir do cultivo de …

Dívida do Estado à ADSE ascende a 200 milhões de euros

A dívida do Estado à ADSE, em 2019, ascendia a 198,2 milhões de euros, segundo o parecer do Conselho Geral e de Supervisão (CGS) ao relatório e contas do ano passado, publicado no site do …

Governo dos Açores violou Constituição ao impor quarentena obrigatória

O confinamento obrigatório de 14 dias que o governo regional dos Açores tem imposto a quem chega à região autónoma é inconstitucional, dizem os juízes do Tribunal Constitucional. As autoridades açorianas violaram a Constituição ao impor …

China caminha a passos largos para a normalidade. Gaming, cerveja e Ikea dão empurrão

A China não regista, desde 17 de maio, vítimas mortais causadas pelo novo coronavírus. No entanto, há dois surtos ativos que parecem não impedir a população de caminhar em direção à normalidade. À semelhança do resto …