//

China limita circulação de veículos da Tesla por medo de espionagem

O governo da China está a restringir o uso de veículos da Tesla a militares e funcionários de importantes empresas estatais, alegando que receia que os dados recolhidos pelos carros possam ser divulgados aos EUA.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Apesar do sucesso da Tesla na China, o governo de Pequim está de pé a trás com a marca de Elon Musk devido a receios de espionagem. Como consequência decidiu banir a utilização de veículos da empresa em determinadas localizações.

Segundo o Wall Street Journal, as limitações proíbem a entrada de qualquer veículo da marca americana em localizações pertencentes às forças armadas chinesas, qualquer localização ou empresa pertencente ao estado chinês e até em condomínios onde vivem trabalhadores que pertençam a ramos que lidam com informação sensível.

Algumas empresas também já começaram a pedir aos funcionários que não se dirijam de carro para o trabalho caso possuam um veículo Tesla.

Os receios sobre qual a forma como os fabricantes de tecnologia da marca lidam com os dados também destacam como a popularidade crescente de carros altamente digitalizados pode representar novos riscos à privacidade e à segurança nacional.

O medo de espionagem deve-se ao facto dos veículos da marca norte-americana terem várias câmaras incorporadas sendo que, segundo o Governo de Pequim, alguém poderá utilizar este equipamento para monitorizar e recolher informação sobre localizações ou até mesmo pessoas de interesse.

Por exemplo, a câmara frontal do Model Y consegue gravar até 10 minutos e ainda tem um buffer incorporado que consegue estender a gravação até uma hora. Tanto o Model Y como o Model 3 também possuem uma câmara virada para o interior.

Desta forma, Pequim teme que alguns dos dados possam ser divulgados aos EUA.

Entretanto Elon Musk já respondeu à situação atual através de um fórum online. O fundador da Tesla expressou que ver-se-ia obrigado a “fechar portas” caso a marca usasse os seus veículos para espionagem.

O líder chinês Xi Jinping tem afastado cada vez mais o país da tecnologia estrangeira à medida que em que adensa a luta tecnológica com os EUA.

PUBLICIDADE

Por outro lado, a decisão também poderá ser o espelho de uma situação muito semelhante: os Estados Unidos também marcaram a Huawei, uma marca chinesa, como uma possível ameaça à segurança nacional. As novas limitações em relação à Tesla por parte da China poderão ser uma forma de retaliação ao sucedido – frisa o WSJ.

Há vários anos que Pequim tenta fortalecer o seu setor de tecnologia da China, sobretudo depois de Edward Snowden revelar que a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos se infiltrou nas redes de computadores chinesas em 2013.

  Ana Isabel Moura, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.