CGD assegura ter contratos de todos os créditos e legitimidade para os recuperar

António Cotrim / Lusa

Florbela Lima da Ernest & Young durante a sua audição

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) garantiu esta quarta-feira ter contratos de todos os créditos e legitimidade para os recuperar, numa referência aos contratos de quatro dos 25 créditos mais problemáticos identificados numa auditoria da EY.

“A CGD confirma a formalização contratual respeitante aos quatro créditos mencionados como parte do ‘top’ 25 do relatório de auditoria da EY”, esclareceu fonte oficial da CGD. O esclarecimento surge na sequência da audição na terça-feira da EY na comissão parlamentar de inquérito à gestão do banco público.

“A CGD esclarece ainda que das 60 operações referidas na audição, apenas 24 tinham exposição à data de dezembro de 2015, confirmando a CGD que tem os documentos contratuais que identificam e legitimam integralmente a sua posição e direitos“, informa a mesma fonte.

Na terça-feira, a auditora EY admitiu que não lhe foi disponibilizada documentação relativa a contratos de quatro dos 25 créditos mais problemáticos identificados na auditoria que realizou à CGD.

Nessa ocasião, a deputada do CDS-PP Cecília Meireles questionou Florbela Lima, ‘partner’ da EY: “Alguma informação tem de haver para se saber que existem devedores. O que pergunto é se há contratos assinados ou não há contratos assinados?”.

“Relativamente a contratos, pareceres, despachos, no fundo a informação mínima crítica considerada por nós relevante para fazer a análise (…), ela não nos foi disponibilizada”, referiu Florbela Lima.

Cecília Meireles apelou a Florbela Lima para que percebesse a “estranheza”, uma vez que sem contratos, “no limite, esta pessoa pode nem ser devedora”. “Eu não estou a dizer que não existe contrato, estou a dizer que o contrato não nos foi disponibilizado”, ressalvou a responsável da auditora EY.

Florbela Lima referiu ainda que a documentação trazida da Caixa foi a “original, à data”, e que “a informação não estava lá”, perante uma pergunta da deputada centrista sobre se o banco público não mantinha a informação noutro suporte.

“Independentemente de o Ministério Público precisar desta informação, eu presumo que a Caixa continue a tentar recuperar os créditos. Como é que o pode fazer sem suporte documental?”, perguntou Cecília Meireles. “Essa informação não estava disponível na Caixa Geral de Depósitos e não nos foi disponibilizada”, insistiu a ‘partner’ da EY, incluindo, “em particular”, a que estava no Ministério Público.

Para Cecília Meireles, “o facto de [o contrato] não ter sido disponibilizado é um indício bastante forte de que ele não existe”.

No esclarecimento, a mesma fonte oficial reitera que “das 60 operações que vêm de há muitos anos, em dezembro de 2015, data em que termina o período de análise da EY, já só estão vivas 24 operações“, pois “as restantes já estavam resolvidas”.

“Das 24, a Caixa tem contratos de todas elas, sendo que, por essa ordem, tem também os contratos das quatro operações referidas pela EY do ‘top’ 25 dos maiores credores”, reafirma o banco público.

  // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Quem pode suceder a Solskjaer no United? Conte está em cima da mesa, mas CR7 quer Zidane

A onda de maus resultados do United têm posto em causa o técnico Ole Gunner Solskjaer. Conte está interessado, mas Ronaldo quer voltar a ser orientado por Zinedine Zidane. Os recentes maus resultados do Manchester United …

Há 42 anos, andámos "À Boleia pela Galáxia" - e descobrimos a resposta para a vida, o universo e tudo mais

Assinalam-se este mês os 42 anos da série de livros de ficção científica de Douglas Adams. Mais de quatro décadas depois, a história excêntrica continua relevante e a atrair fãs. Muitos filósofos questionaram-se durante séculos sobre …

F.C. Porto 1-0 Milan | Dragão em fúria banaliza italianos

A fúria do Dragão. O relógio marcava o minuto 65. O nulo perdurava, as tentativas portistas em busca da glória eram imensas – no total, 20 remates contra apenas quatro do AC Milan –, assim …

Veículo autónomo da Waymo

Os carros autónomos da Waymo estão a ser atraídos para uma rua sem saída

Os veículos autónomos da Waymo, detida pela Alphabet que é também a mãe da Google, são constantemente encaminhados para uma rua sem saída em São Francisco, nos Estados Unidos. Para já, ninguém sabe porquê. Nas últimas …

Com as ruas inundadas, casal indiano usa panela de cozinha para se deslocar para o próprio casamento

Um casal indiano foi transportado para o seu casamento por um meio de transporte incomum: uma panela de cozinha. Com as ruas do estado de Kerala inundadas, após chuvas torrenciais, esta foi a única forma …

OE2022: PCP propõe eliminação do adicional de ISP e da “dupla tributação” dos combustíveis

O PCP anunciou hoje que irá propor em sede de Orçamento para 2022 a eliminação do “adicional” ao Imposto sobre Produtos Petrolíferos (ISP) e da dupla tributação dos combustíveis e insistir na fixação de preços …

Besiktas 1-4 Sporting | Tratado leonino deixa turcos KO

O Sporting foi à Turquia somar a primeira vitória no Grupo C da Liga dos Campeões, ao bater o Besiktas por 4-1. Um desfecho fundamental para a equipa de Alvalade continuar a acalentar esperanças de apuramento …

Lei de David. Reino Unido pondera acabar com anonimato online depois de esfaqueamento de deputado

A morte de David Amess está a suscitar um debate no Reino Unido sobre a segurança dos deputados e os insultos de que as figuras políticas são alvo nas redes sociais. Depois do deputado conservador David …

"Não há acordo". Bloco e Governo continuam às turras por causa do OE, mas há mais reuniões previstas

Os bloquistas não se mostraram satisfeitos com o resultado da reunião com o executivo e exigem mais cedências do Governo. Ambos os lados confirmam que ainda se vão encontrar mais vezes para debater o Orçamento. "Não …

Dois mortos e 450 feridos em manifestações para assinalar protestos de 2019 no Chile

Dois mortos e 450 detidos foi o resultado da violência registada em Santiago do Chile, na sequência de uma manifestação para celebrar o segundo aniversário dos protestos de 2019 contra a desigualdade social no país. A …