“Costa esqueceu-se”. Catarina Martins quer repor tudo o que foi cortado pela troika

Rodrigo Antunes / Lusa

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins

A coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, criticou esta segunda-feira que o primeiro-ministro se tenha esquecido que “há tempo e dinheiro que foi tirado aos trabalhadores no Governo PSD/ CDS” e ainda não foi reposto, insistindo numa mexida na lei laboral.

Na véspera da entrada em vigor da nova legislação laboral, Catarina Martins quis focar nas questões do trabalho parte do discurso que fez esta noite no jantar-comício que juntou mais de 500 pessoas em São João de Ver, Santa Maria da Feira, distrito de Aveiro.

“Não esquecemos que o tanto que a ‘troika’ tirou a quem vive do seu trabalho ainda não foi reposto. António Costa [primeiro-ministro e líder do PS] esqueceu-se que há tempo e dinheiro que foi tirado aos trabalhadores no Governo PSD e CDS e que ainda não foi reposto”, criticou. O Bloco de Esquerda, segunda a sua líder, quer “respeitar quem trabalha e equilibrar os pratos da balança”.

“Quando no país cresce a economia mais do que crescem os salários, não nos enganemos: precisamos mesmo de mexer na lei do trabalho e quem aqui está sabe que só um Bloco com mais força garante as alterações que repõem o salário e repõem o descanso quem trabalha neste país”, assegurou.

A memória dos bloquistas, de acordo com Catarina Martins, permite saber “que não eram apenas quatro feriados, foram também três dias de férias, foi também a compensação por despedimento e foram as horas extraordinárias que foram cortadas para metade e com isso se baixou os salários em Portugal”.

“Nós queremos acabar com todos os cortes da ‘troika’ sim. As horas extraordinárias têm de ser pagas em dobro, as pessoas têm direito aos 25 dias de férias e as compensações por despedimento tem de ser 30 dias por cada ano de trabalho”, prometeu.

A legislação laboral aprovada nesta legislatura foi um dos pontos de maior tensão entre o PS e os seus parceiros de esquerda, incluindo o BE, tendo dado entrada no Tribunal Constitucional, já durante esta campanha, o pedido de fiscalização sucessiva das alterações ao Código de Trabalho, assinado pelos três partidos.

Apelo aos indecisos

Também esta terça-feira, Catarina Martins, fez um apelo ao voto dos indecisos porque nada está determinado nestas eleições, defendendo que “a força do Bloco de Esquerda pode mudar tudo sobre o que será a próxima legislatura”.

Num jantar comício em São João de Ver, concelho de Santa Maria da Feira – que qualificou, logo no arranque do discurso, como o “maior jantar de sempre do Bloco no distrito de Aveiro” – Catarina Martins dirigiu-se aos indecisos, a “tanta gente que ainda não decidiu o seu voto” nas eleições de domingo, para as quais lembrou que “faltam cinco dias”.

“A força do Bloco de Esquerda pode mudar tudo sobre o que será a próxima legislatura”, apelou, afirmando, mais do que uma vez, que “nada está decidido”.

A lista das mudanças que podem acontecer com um reforço do BE no parlamento veio logo a seguir: “para dar mais força a quem trabalha, a quem trabalhou toda uma vida, para salvar o Serviço Nacional da Saúde, por uma escola pública que responda a toda a gente, pelo acesso aos transportes, pelas condições concretas de vida desta gente”.

“Andámos muito, mas este é ainda um país injusto e desigual”, justificou.

O combate à maioria absoluta do Partido Socialista não ficou de fora do discurso, uma intervenção com a qual quis deixar claro com esta legislatura só começou “a viragem, mas é preciso fazer tudo o que falta”.

“Aqui vamos eleger o Moisés [Ferreira], vamos eleger o Nelson [Peralta], vamos reforçar o BEE para fazer todo o caminho que está pela frente”, disse, estabelecendo assim a meta de aumentar de um para dois o número de deputados eleitos em Aveiro.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Ela que traga também o Sócrates e o Pinho de volta. E o Pinto Monteiro e a Cândida de Almeida.
    Assim voltávamos ao mesmo

  2. A hipócrita não o fez durante os 4 anos no qual participou no governo?
    Não tem nada para fazer pelo país!
    Comunismo = miséria!

  3. Que bom!
    Ando tão cansado estou confiante que a Catarina ainda nos vai por a trabalhar entrar só ao meio dia e não trabalhar de tarde
    vai ser mesmo bom

RESPONDER

Luzes nas redes de pesca? Os golfinhos e as tartarugas agradecem

A implementação de luzes nas redes de pesca reduz a probabilidade de tartarugas marinhas e de golfinhos serem apanhados por acidente. Luzes LED nas redes de pesca eliminariam a "captura acidental" de tartarugas marinhas em mais …

Presidente da República passa o fim de ano na ilha do Corvo

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai passar a noite de 31 de dezembro para 1 de janeiro na ilha do Corvo, nos Açores, de onde será transmitida a sua mensagem de Ano …

O calor extremo está a fazer com que os bebés nasçam mais cedo

Investigadores descobriram que o calor extremo faz com que os bebés nasçam mais cedo. Tal como quase tudo neste mundo, as coisas só vão piorar com as alterações climáticas. Segundo o Science Alert, os dois investigadores …

Empresa está a contratar uma pessoa que será paga para usar pijamas e dormir

Um start-up de colchões da Índia, que se descreve como uma "empresa de soluções para dormir" está a contratar alguém que será pago apenas para fazer isso mesmo. O objetivo é testar os seus produtos de …

O primeiro local funerário de compostagem humana do mundo abre em 2021

Prevê-se que a primeira instalação funerária de compostagem humana do mundo abra na primavera de 2021, depois de os legisladores do Estado de Washington terem legalizado o processo póstumo no início do ano. A empresa Recompose, …

Estado emprestou dois milhões à Cruz Vermelha para pagar salários

A Parpública SGPS emprestou dois milhões de euros ao Hospital da Cruz Vermelha, nomeadamente para fazer pagamento de salários. A Parpública SGPS, holding tutelada pelo Ministério das Finanças, libertou dois milhões de euros para permitir ao …

Ex-ministro francês François Bayrou acusado de cumplicidade na apropriação de fundos

O ex-ministro francês François Bayrou, dirigente centrista e próximo de Emmanuel Mácron, foi acusado na sexta-feira por "cumplicidade na apropriação indevida de fundos públicos" no caso dos assistentes parlamentares do seu partido. A acusação, "anunciada antecipadamente …

"Profundamente envergonhada", Merkel visitou Auschwitz pela primeira vez

A chanceler alemã, Angela Merkel, visitou esta sexta-feira pela primeira vez o campo de concentração e extermínio de Auschwitz-Birkenau num "sinal de reconciliação com os judeus e o estado de Israel", considera o historiador René …

Capital do Natal de Algés avança com queixa-crime contra promotores

A organização da Capital do Natal, evento que decorre em Algés, Oeiras, vai apresentar uma queixa-crime contra os promotores turísticos que "adulteraram a oferta do parque", o que defraudou "um conjunto alargado de pessoas". Em causa …

Menino de 5 anos convidou todos os colegas do infantário para assistir à sua adoção

Um menino de cinco anos de Michigan, nos Estados Unidos, convidou a sua turma do infantário para testemunhar à sua adoção legal. A criança, identificada como Michael, foi adotada formalmente pela sua nova família na passada …