Cascais vai ter uma moeda digital própria, a Cashcais, para promover a economia circular

3

PSD / Flickr

Carlos Carreiras, presidente da Câmara Municipal de Cascais

Autarca entende que a iniciativa será essencial para a criação de uma economia circular, uma peça determinante para as sociedades no pós pandemia.

Era uma das promessas eleitorais de Carlos Carreiras e parece que vai mesmo concretizar-se “em breve” — apesar de não haver uma data de lançamento oficial. Fruto de uma parceria entre o município e a Universidade Nova de Lisboa, Cascais vai ter uma moeda digital que estará disponível através de uma aplicação móvel. O foco da iniciativa será o setor social e ambiental.

“Estamos a trabalhar há mais de um ano com a Universidade Nova de Lisboa, com a Nova SBE, exatamente para montar todo este processo da moeda digital local, muito assente nos três principais vetores da sustentabilidade: o ponto de vista social, ambiental e vista económico” pode ouvir-se Carlos Carreiras, presidente da autarquia, anunciar num vídeo de divulgação do projeto.

A Câmara de Cascais destaca que o objetivo é “dinamizar a economia local do concelho”, sendo que os cidadãos deverão instalar a devida aplicação e “sempre que fizer compras nos parceiros aderentes, o utilizador recebe um cashback (devolução de uma percentagem)”. Posteriormente, “as boas práticas que ajudem a diminuir a pegada ecológica e as disparidades vão ser recompensadas em Cashcais, assim como as “as boas práticas ou ações que promovam a saúde dos próprios munícipes e que ajudem a melhorar a sua qualidade de vida”.

As moedas digitais acumuladas poderão ser utilizadas em compras juntos dos parceiros aderentes. “A visão estratégia da Cashcais é ser uma moeda para tudo e para todos, estabelecendo uma economia circular no concelho“, explica fonte oficial citada pelo Diário de Notícias.

Carlos Carreira descreve a iniciativa como “um passo gigantesco em frente” num assunto que, entende, “muitas autarquias a nível mundial vão aplicar nos seus mesmos territórios”, de forma a conseguir “incrementar a economia local, do mesmo modo que também salvaguarda a coesão social e a preservação dos recursos naturais numa lógica clara de sustentabilidade. O autarca destaca ainda que a Cashcais será essencial para a economia circular, a qual “será tão necessária implementar no futuro próximo“.

  ZAP //

3 Comments

  1. Sim, claro, todos os problemas se resolvem com uma aplicação no telefone.
    As mesmas medidas políticas podem ser tomadas utilizando dinheiro a sério.
    E depois ainda há questões legais sobre a legitimidade de uma moeda paralela à moeda de lei.
    Quem emite essa moeda garante a taxa de câmbio com o Euro?
    As transacções nessa moeda pagam imposto?
    Cá para mim que andam a inventar uma maneira de montar um esquema em pirâmide, inflacionando a moeda da treta para começar e depois sem regulação vai aparecer uma super inflação que vai de facto roubar quem trocou euros por essa moeda.

  2. Andam para aí todos maluquinhos com moedas virtuais, Já se provou que ocorrem muitos casos de corrupção e burla com essas moedas.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.