Casa do inspetor-geral de Finanças alvo de buscas

(dr) Laura Haanpaa

A casa do inspetor-geral de Finanças, Vítor Braz, e a residência da subinspetora-geral, Isabel Castelão Silva, foram alvo de buscas da Polícia Judiciária e do Ministério Público, que não constituiu nenhum dos responsáveis como arguidos.

Na terça-feira, os inspetores da Unidade Nacional de Combate à Corrupção começaram a fazer buscas nos gabinetes dos dois altos dirigentes na sede da Inspeção-Geral de Finanças (IGF), em Lisboa, tendo recolhido documentação física e elementos em suporte digital.

Vítor Braz e Isabel Castelão Silva são os dois principais suspeitos do inquérito, em marcha há vários meses, onde se investigam crimes de corrupção passiva, peculato e abuso de poder. Por ser o dirigente máximo da IGF, Braz tem assento no Conselho de Prevenção da Corrupção, do qual faz parte desde 2015.

Alvos de buscas no mesmo dia foram também a Cruz Vermelha Portuguesa e o Ministério da Defesa Nacional, que ao longo dos últimos anos atribuiu subvenções de vários milhões de euros à instituição humanitária.

A investigação centra-se na forma como os dois responsáveis terão travado uma fiscalização mais profunda à Cruz Vermelha, instituição alvo de uma auditoria que a própria IGF deixou na gaveta.

Na quarta-feira, um dia depois das buscas, houve um almoço de Natal entre trabalhadores e trabalhadores aposentados da IGF. Vítor Braz marcou presença e terá feito um discurso na linha do comunicado que a IGF publicara na véspera, no qual a instituição promete “toda a colaboração” com as autoridades.

O gabinete do ministro das Finanças, Mário Centeno, a quem cabe a tutela da IGF, enviou um ofício ao Ministério Público a pedir informação sobre o envolvimento de dirigentes da administração pública, segundo o Público.  A movimentação aconteceu depois de se saber que o inquérito visa os serviços que têm de fazer o “controlo financeiro e fiscal do Estado”.

Auditoria não chegou à própria Cruz Vermelha

A Cruz Vermelha reagiu às notícias sobre a investigação em 2016, garantindo nunca ter recebido o relatório final da auditoria feita pela IGF. Isso significa que as conclusões onde se identificavam “graves deficiências” não foram enviadas à própria Cruz Vermelha para que fossem corrigidas.

Já durante realização da ação de controlo, foram colocadas questões pelos inspetores e houve reuniões com representantes da entidade fiscalizada.

Os factos auditados são anteriores à atual direção da Cruz Vermelha, liderada por Francisco George, que só assumiu o lugar há cerca de um ano. A ação de controlo centrou-se nos anos de 2013, 2014 e 2015, mas algumas das falhas identificadas já existiam antes.

Ainda assim, a Cruz Vermelha defendeu a “importância de tudo clarificar” e de “apurar responsabilidades” relativamente aos factos revelados por uma auditoria da Inspeção-Geral de Finanças às contas da instituição.

“Apesar de os factos relatados não serem da responsabilidade da atual direção, insiste-se na importância de tudo clarificar, apurar responsabilidades e intensificar todos os dispositivos de transparência de forma a assegurar a manutenção da confiança na Cruz Vermelha Portuguesa”, diz uma nota do presidente.

Ministério da Defesa desconhece relatório da IGF

O Ministério da Defesa Nacional fez uma auditoria à Cruz Vermelha sobre o processo de atribuição de subvenções públicas, mas desconhece o relatório da Inspeção-Geral das Finanças sobre a instituição.

Segundo o ministério, na sequência das conclusões da auditoria “foi solicitado o cumprimento de medidas identificadas, que serão acompanhadas pelo Ministério da Defesa Nacional”. O ministério não esclareceu, contudo, que medidas foram desencadeadas, argumentando que os relatórios da Inspeção-Geral da Defesa Nacional são sempre classificados.

O Ministério da Defesa acrescentou que “nunca recebeu” o relatório de auditoria de 2016 da IGF, que aponta à Cruz Vernelha o uso de artifícios financeiros para ocultar a verdadeira origem dos rendimentos, escondendo, assim, o que é financiamento do Estado.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Bayern Munique 'festeja' nono título consecutivo com goleada

O Bayern Munique coroou este sábado o seu nono título consecutivo na Liga alemã de futebol com uma goleada no triunfo diante do Borussia Moenchengladbach (6-0), num jogo com um hat-trick de Lewandowski. Antes de pisar …

A piscina infinita mais alta do mundo fica no Dubai

Haverá poucas coisas tão libertadoras como dar um mergulho numa piscina infinita com vista para o oceano. Agora, quem visitar o Dubai poderá fazê-lo numa piscina a quase 300 metros acima do nível do mar. Segundo …

"Polskie Babcie", as avós que lutam pela democracia na Polónia

Um grupo de idosas polacas organiza protestos, todas as semanas, para lutar pela democracia no país, governado pelo partido de direita nacional-conservador e democrata-cristão Lei e Justiça (PiS). É hora de ponta em Varsóvia, capital da …

Cimeira Social. Jerónimo de Sousa diz que não se respondeu aos verdadeiros problemas

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, afirmou este sábado, no Porto, que a Cimeira Social da União Europeia não respondeu às necessidades associadas ao emprego, à valorização dos salários e ao fim da precarização …

Babbage escreveu uma carta a Tennyson. Exigia a "correção matemática" de um poema

A perspicácia matemática de Charles Babbage levou-o a escrever uma carta ao poeta Alfred Tennyson, que exigia, de certa forma, rigor e precisão no poema The Vision Of Sin. Charles Babbage é conhecido como o pai …

Covid-19: Portugal com uma morte e 324 novos casos nas últimas 24 horas

Portugal registou hoje uma morte atribuída à covid-19, 324 novos casos de infeção pelo novo coronavírus e uma ligeira subida no número de internamentos em enfermaria, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o …

Roma já tem uma máquina de venda automática de pizza

A capital italiana tem agora uma máquina de venda automática que faz pizzas em apenas três minutos. Os preços variam de 4,50 aos seis euros (e as opiniões sobre esta ideia também). Raffaele Esposito, o napolitano …

Morreu Bo, o cão de água português de Barack Obama

Bo, o cão de água português que o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, adotou em 2009 morreu este domingo com 13 anos, em consequência de um cancro, anunciou o político nas redes sociais. O cão …

Futuro pós-vacinação entre reforço de dose, controlo de variantes e medicamentos

A incerteza sobre a duração da imunidade das vacinas contra a covid-19 deixa o futuro do combate à doença entre o reforço da vacinação, a monitorização de novas variantes e o desenvolvimento de terapêuticas alternativas, …

Presidente da República promulga Carta de Direitos Humanos na Era Digital

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, promulgou este sábado a Carta de Direitos Humanos na Era Digital, aprovada em abril na Assembleia da República, segundo uma nota divulgada no site da Presidência. A lei, …