Ter um cartão multibanco associado à conta é agora 163% mais caro

5

Mário Cruz / Lusa

Os custos de ter um cartão de débito subiu 163% desde 2012 e as comissões representam agora 40% das receitas dos bancos. A Deco avisa que estes aumentos não são explicados só pela inflação.

As contas da Defesa do Consumidor concluíram que ter os custos de ter um cartão de débito associado à conta bancária mais do que duplicaram desde 2012, devido aos aumentos das comissões cobradas pelos cinco maiores bancos nacionais — BPI, Caixa Geral de Depósitos, Santander, Novo Banco e Milennium BCP. O aumento médio nos últimos dez anos relativo ao cartão multibanco foi de 163%

Já os aumentos das cobranças anuais no geral ficaram, em média, nos 47%, refere o Jornal de Notícias. As comissões são agora 40% das receitas totais dos bancos, de acordo com os dados da Deco Proteste, que em 2020 avançou com a iniciativa “Fim das comissões abusivas para todos os créditos” para alertar os consumidores para os aumentos por parte dos bancos e que conseguiu no início de 2021 que os contratos de crédito assinados a partir daí deixassem de estar sujeitos ao pagamento de comissões com o processamento das prestações.

“A proibição da cobrança deste encargo permitiu que os consumidores poupassem um total de 15,6 milhões de euros em comissões, considerando que foram celebrados cerca de 705 mil novos contratos de crédito ao consumo ou à habitação em 2021″, escreve a Deco, que sublinha que para os contratos antigos e que não foram abrangidos pela mudança, os consumidores continuam a pagar 2,65 euros por mês de comissão, em média, um valor que “aumentou 55% nos últimos oito anos”.

O economista da Deco Proteste, Nuno Rico, sublinha ainda que a inflação não explica estes aumentos galopantes e dá o exemplo do ano passado, quando “a inflação situou-se nos 1,3%, mas a banca, no início de 2022, anunciou valores 50% mais elevados em alguns produtos”.

“Estes aumentos anuais tendem a situar-se na ordem dos dois dígitos, mesmo em anos em que a inflação foi negativa”, alerta.

  ZAP //

5 Comments

  1. Fosca-se, por este andar, ficaremos todos a viver debaixo da ponte. Enquanto as elites terão sempre pão para comer… que grande injustiça, ainda por cima no século XXI!!!

    • Fiscalizar o quê??
      O preçário é público e o bancos são livres de cobrar o que lhes apetece!

      Já foi sorte o governo ter conseguido travar (por enquanto) a cobrança de uma taxa em cada utilização dos Multibanco’s (como acontece noutros países) e nos movimentos por MBway…

      Também há contas de serviços mínimos bancários.

      Felizmente, no ActivoBank nunca paguei comissões de manutenção nem cartões – recomendo!

  2. Vou rápidamente abrir conta no active bank. Estou farta de ser roubada pelo MBCP.
    Cada vez nos cobram mais despesas. Alguém tem de pagar o que os outros roubaram!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.