//

Carta de Einstein que fala sobre a “loucura de Hitler” vai a leilão

(dr)

Algumas cartas de Albert Einstein, incluindo uma em que fala sobre a “loucura de Hitler” que tinha tomado a Alemanha, vão ser leiloadas esta semana à maior oferta.

Einstein era um escritor prolífico e suas cartas permitiram aos historiadores ver o que ocupava a sua mente. Como estas cartas mostram, Einstein pensou em questões grandes e pequenas, especialmente sobre a forma como os eventos mundiais o afetaram e outras pessoas atingidas pela Alemanha nazi.

Por exemplo, numa das cartas que serão leiloadas, datada de 10 de junho de 1939, Einstein escreveu a Maurice Lenz, um líder no campo da radioterapia na Universidade de Columbia, em Nova York. Mas Einstein não discutiu a investigação de Lenz na nota. Em vez disso, Einstein felicitou Lenz pelo seu trabalho que beneficiou os refugiados judeus durante a II Guerra Mundial.

“O poder de resistência que permitiu ao povo judeu sobreviver durante milhares de anos foi baseado, em grande parte, em tradições de utilidade mútua”, escreveu Einstein ao seu amigo. “Que possamos suportar este teste, assim como os nossos pais antes de nós.”

Noutra carta que chegou ao leilão, datada de 17 de abril de 1934, Einstein escreveu à sua ex-mulher Mileva Marić sobre finanças e os seus filhos. O casal teve três filhos, incluindo Eduard ”Teitel” Einstein, que foi diagnosticado com esquizofrenia aos 20 anos.

A carta, escrita em alemão, expressa a esperança de que uma intervenção química possa ajudar a tratar Eduard. Einstein escreveu que “eu leio os artigos de perto, e não parece completamente impossível que um resultado bem sucedido possa ser obtido através de uma intervenção química como esta. Simplesmente constituiria um forte estímulo ao sistema secretor criado por uma deficiência de açúcar dentro o sangue.”

Ainda assim, Einstein pediu cautela antes de tentar o tratamento, escrevendo: “Não nos devemos precipitar nisto, devemos esperar até que haja mais experiência”.

Ele também discutiu o dinheiro que estava a enviar para ajudar Marić a pagar dívidas bancárias. Mas o tempo e o dinheiro estavam apertados, escreveu, dizendo: “Estou tão forçado pelos vários atos de assistência que tenho de me restringir da maneira mais extrema. Tudo isso é o resultado da loucura de Hitler, que arruinou completamente a vida de todos aqueles que me rodeiam”.

Até em 1921 Einstein conseguiu ver que os nazis estavam a ganhar poder na Alemanha. Numa carta para a sua irmã, Maja Winteler-Einstein, que também está a ser leiloada, escreveu: “Devia ir a Munique, mas não farei isso, porque colocaria em risco a minha vida”.

  ZAP // Live Science

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE