Alemanha insiste: carros elétricos poluem mais do que os carros a diesel ou gasolina

A Alemanha tem sido nos últimos tempos o palco de uma campanha de desacreditação do carro elétrico. Esta história acaba de ganhar mais um capítulo.

Um estudo realizado por algumas instituições académicas prestigiadas de investigação da Alemanha levantou o coro de contestação em relação aos carros elétricos. De acordo com a investigação, os carros elétricos são mais poluentes do que veículos alimentados por combustíveis fósseis.

Agora, a Alemanha emite um documentário onde enfatiza que os carros elétricos podem ter um impacto ambiental maior do que um carro a diesel ou a gasolina. Segundo este estudo, todo o processo de elaboração do elétrico, considerando também as fontes de alimentação, são mais poluentes.

Christoph Buchal, professor da Universidade de Colónia, refere que o processo de extração dos componentes que dão forma à bateria do carro elétrico – como o lítio, o cobalto ou o manganês – fazem com que as emissões na produção do veículo sejam superiores à que emite um equivalente a gasóleo ou a gasolina durante a sua vida.

De acordo com o Pplware, este estudo levantou uma onda de contestação que levou vários especialistas a pronunciarem-se. Segundo os que defendem esta teoria, neste processo é requerida a mobilização de grandes quantidades de água, havendo também o uso de produtos químicos para a separação dos componentes. Algo que tem, de acordo com o documentário, causado grandes efeitos sobre a população local e o gado.

Desta forma, para níveis de autonomia semelhantes, a conclusão é que os carros elétricos terão maior impacto no que toca a emissões. Mas nem todos estão de acordo.

Os defensores dos elétricos seguram-se em argumentos como a limpeza do ambiente em torno destes veículos, o silêncio, a durabilidade dos materiais e a ausência de fluidos igualmente poluentes. No entanto, de acordo com o Pplware, contra estes elétricos são apontados argumentos que mostram a dependência energética que resulta da combustão do carvão, da combustão do lignite, da energia nuclear e de outras fontes, entre elas as renováveis.

Ouro argumento a favor prende-se com o facto de haver cada vez mais energia renovável na Alemanha. Esta disponibilidade pode permitir que um carro elétrico seja recarregado de maneira mais limpa, e permitirá também que as instalações dedicadas à produção das baterias sejam alimentadas de maneira mais sustentável.

O estudo referia um outro argumento que se prende com a grande produção de lítio originária de países sul-americanos. Desse modo, era apontado que as comunidades indígenas sofrem com a exploração. Contudo, a maior parte deste mineral vem de minas na Austrália.

ZAP //

PARTILHAR

63 COMENTÁRIOS

  1. Isso já se sabe há muito. E andam aí os tontinhos nos seus elétricos a pensar que defendem o ambiente. Se fossem pessoas minimamente informadas rapidamente compreenderiam que o processo de produção das baterias é do pior que pode haver do ponto de vista ambiental.

    • Certo! E o combustível “atual” nasce nas bombas! É com cada tolo…
      Se ao menos as pessoas foram o minimamente informadas deixam de dizer asneiras

      • O amigo tem desde logo um problema. Não sabe escrever. Mas esse eu não lhe o posso resolver.
        Quanto ao seu outro problema, posso afiançar-lhe que a minha opinião está validada por este estudo e por outros anteriores. E sim, têm em conta os custos de extração e transformação do petróleo. E a sua opinião baseia-se em quê? Conhecimento empírico?! Quais são as suas fontes?

        • Também não sabe escrever muito melhor. Em lugar de «eu não lhe o posso resolver» uma pessoa instruída e que tivesse estudado um pouco a gramática, teria escrito «eu não lho posso resolver». Onde aprendeu que seria correcto iniciar uma frase por uma conjunção copulativa?

    • Esqueces que a extração de petróleo também polui e que muitas vezes esses hidrocarbonetos sao derramados no mar, que as fabricas de automoveis e dos seus respetivos componentes também poluem e que depois esses mesmos automóveis vão provocar poluição atmosférica durante toda a sua vida util, por isso na falta de mais dados da tua parte com dados desses calculos comparativos, a tua opinião é muito subjetiva…

  2. Alemanha?!
    Menos!… é apenas um documentário (e o outro foi um “estudo” manhoso que foi logo complemente descredibilizado)!!
    Toda a gente sabe o gasóleo e a gasolina nascem nos depósitos dos carros e que os carros com motor de combustão crescem nas árvores!…
    Enfim…
    Depois da maior burla de todos os tempos da industria automóvel (curiosamente, ou talvez não, 12% do capital da VW é publico, sendo o 4º maior accionista!) vale tudo para tentar recuperar/manter clientes – nem que seja com mais burlas!…
    Alemães….

    • Lembrei-me logo desse caso da VW mas também gostaria de saber quanto andarão os produtores de petróleo a pagar para a publicação destes estudos ditos científicos.

  3. Hummm…. Estudos e prospecção…. Construção de plataformas…. Extração….. Queima de gás de extração…. Transporte de crude em superpetroleiros movidos a gasóleo….. Derrames e lavagens de tanques para o mar…. refinação com utilização de químicos… Transporte dos produtos refinados…. Distribuição e venda ao público….. e por fim queima pouco eficiente desses combustíveis nos carrinhos!!! Devo ter-me esquecido de alguma coisa!!!! Mas acho que chega… É bastante limpo o processo e muito pouco poluente!!

  4. As marcas alemãs a encomendarem estudos, já que nos elétricos estão atrasados em relação às Tesla e não se conseguem aproximar.

  5. iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii PRESO, A POR TER CAO E NAO TER, iiiii diz o,a ROTO,A AO,A NU,NUA, PORQUE NAO TE VESTES TU??? @@@@@@@@@@@@@ cada vez mais este MUNDO se esta a ENTENDER MENOS, mas vendo bem as COISAS os COMBUSTIVEIS FOSSEISSAO UMA GRANDE POLUIÇAO esta na CARA a VISTA ne iiiiiiiiiii, mas a CONSTRUÇAO de BATERIAS de elementos que as produzem, como o LITIO ecetc o nao controle de todas as TECNOLOGIAS que estejam a prejudicar o ambiente e as pessoas, logico que sao mãs e prejudiciais ,mas antes as e os meios de locomoçao sejam arredados as da vida PUBLICA e melhor os meios ELECTRICOS e das ENERGIAS ALTERNATIVAS ate que venham a DESCOBRIR os meios ALTERNATIVOS que os e as MEIOS DE TRANSPORTE etcetc sejam o melhor de um FUTURO de todos os e as MEIOS DE FUNCIONAMENTO SEJAM BONS E SEM POLUIÇAO para as PESSOAS e NATUREZA, ANIMAIS etcetc
    ,como os e as venham a andar NO AR etcetc e ai sera o FUTURO SILENCIOSO, CALMO ,FELIZ etcetc, ou NAO???? OU OS AVIOES, CARROS,BARCOS, COMBOIOS,TORTINETES, SKATES etcetcetc vao ACABAR por CAIR EM CIMA DAS PESSOAS, CASAS, etecetc , ENTAOAI EMQUE FICAMOS ??? iiiiiii antes as coisas e meios estejam electricos e meios que ainda poluem e sao prejudiciais do que os COMBUSTIVEIS FOSSEIS!!!”??????—entao em que**ficamos**??? iiiiiii,umm ,bem e caso para escrever ATE QUE BARRACAS CUBATAS ABANEM, vale mais que cada vez mais sejam MELHOR QUE PIOR –NE??? iiiiiiiiiiiiiiiiizzzzzz……..
    agp

    • O Amilcar é uma criatura engraçada! Abre de rompante com dois ou três ditados. Poderia ainda ter citado mais um ou outro. Mas foi um bom início.
      Depois perde-se num laborioso enredo de argumentos que somente o próprio conseguirá decifrar. De tão elevado o rasgo literário, arrisco-me a dizer que terá deixado grande parte dos leitores à nora!
      E para a história, não apenas da literatura nacional mas seguramente tendo já conquistado por direito próprio um lugar maior no património da humanidade, ficará o remate: “…e caso para escrever ATE QUE BARRACAS CUBATAS ABANEM, vale mais que cada vez mais sejam MELHOR QUE PIOR –NE??? iiiiiiiiiiiiiiiiizzzzzz……..”
      Isto é de facto genial. Uma obra de arte em todo o seu esplendor. Obrigado Amilcar!

    • Vou copiar esse texto e guardar numa pasta no meu computador. Concordo com o Ai Amilcar que isto é bom! (11 Junho, 2019 at 17:51). É uma obra de arte!

    • … o hidrogénio é a alternativa e as energias renováveis e a nuclear para o produzir são o futuro óbvio, a menos que surja outra fonte superior urge encontrar formas seguras de a produzir, punir quem o faz sem cuidado e parar de perder tempo com receios que apenas bloqueiam o progresso, porque as necessidades energéticas globais vão continuar a aumentar.
      A questão cultural nacional é curiosa, porque se a grande maioria da população é contra o nuclear é precisamente a mesma maioria que quer pagar menos pela energia eléctrica importada de Espanha produzida adivinhem onde? E depois tem mais, a maioria dos rios que fazem a manutenção às centrais espanholas desaguam em Portugal, e a fronteira é o ponto de eleição para armazenagem dos resíduos.
      O problema dos combustíveis fósseis vai se resolver por si mesmo quando a escassez tornar o custo proibitivo.

  6. haha, os alemães são tão honestos, não é? A indústria automóvel tem um impacto enorme na economia. Por isso pode haver um estudo para cada argumento.
    Eles nem falam do facto que automóveis eléctricos são autênticos assassinos silenciosos. Aparecem sem se anunciarem com barulho ou cheiro. Devem ser proibidos, claro

    • Pois… para a Alemanha é uma coisa; para os outros europeus (etc) há estes “estudos” e “documentários”!…
      Esta “propaganda” não é para “consumo interno” – ou não fosse a Alemanha o maior exportador do mundo!…
      Ainda para mais, quando o Estado Alemão tem 12% da VW (com Golden Share ILEGAL!) – que é o maior grupo automóvel do mundo (Toyota?) e o maior construtor de motores diesel do mundo!…
      Isto tudo por acaso, claro!…

  7. é um facto insofismável que existe uma enorme necessidade de parar a transformação de petróleo para queima em combustíveis, ele é demasiadamente importante para outras coisas.
    Há também uma grande hipocrisia na indústria automóvel que antevê uma manutenção do seu estatuto industrial pela previsão da substituição, quase total, do parque de veículos com motores de explosão por elétricos.
    Esta mudança, se muito rápida, terá tremendo impacte no reforço das redes de distribuição de energia em alta tensão, em média tensão, postos de transformação e rede de baixa tensão. As obras inerentes terão também o seu reflexo no ambiente por si e pelos resíduos produzidos.
    Será mais coerente e integrado basear a mudança dos motores de explosão numa visão alargada da propulsão, investindo na diversificação dos modos já conhecidos, como o já referido atrás, hidrogénio, através das células de combustível.
    De qualquer modo, o paradigma do consumo tem de mudar, aumentando a fiabilidade e a duração, combatendo a “sucata programada”.

  8. Emboras ó tenha veículos de combustão (2 diesel e dois gasolina), sou fã dos eléctricos.
    Mas, sejamos sérios.
    Baterias = problema
    fontes de energia = problema
    reciclagem = problema
    e se todos passarmos a usar eléctrico no espaço de umadécada ou duas NÃO HÁ ENEGIA QUE CHEGUE! Podem construir reactores, cobrir os desertos de painéis solares,etc. Simplesmente não chega.
    Em suma: temos de ser práticos e pragmáticos. O processo de migração será lento, custo e não isento de percalços. Extremismos, de um lado e outro, não são nem úteis, nem credíveis. Sejamos realistas…

  9. Se à poluição gerada pela produção de componentes para as baterias juntar-mos a produção de energia eléctrica para carregar as baterias que, como sabemos, tem uma forte componentes de utilização de carvão, gás e outros poluentes, então as viaturas eléctricas são bastante poluentes, muito longe das “Emissões ZERO” que tanto anunciam.
    Só vejo uma forma de começar a diminuir a poluição que produzimos, é retirar a componente “Capitalismo” da equação produção / comercialização.
    Mas esta solução é utópica, o capital nunca vai rejeitar a sua brutal fonte de rendimento mesmo que seja para proteger o planeta.
    Para protegermos o planeta dos grandes poluidores poderíamos começar pela desmesurada produção de gado, em especial do bovino, mas isso também mexe com o capital.
    Será que este mundo tem solução?
    Será que algum dia o “bom senso” se aliará ao “capitalismo”?

  10. O pessoal reparem quase tudo no mundo funciona com o impulso do dinheiro e notem o seguinte:
    – O estudo foi feito na Alemanha o país mais rico da europa
    – A riqueza da Alemanha provem muito da industria automóvel – BMW, Mercedes, Porsche, Volkswagen, etc – e de muitas marcar que fabricam componentes de motores de combustão. Tem fábricas em todo o mundo.
    – Atrasar a evolução dos electricos dará muito lucro à Alemanha
    – Os electricos não tem um lobby intituido como têm os motores de combustão que para além dos países produtores de carros , têm os das grandes petrolíferas e ainda por trás os países exportadores de petroleo. Todos estas instituições tem estado a trabalhar para descredibilizar os carros electricos naturalmente continuarem a ganhar muito dinheiro e a por-nos a sujar o mundo.
    – Não se esqueçam que a industria petrolefera é das mais poluidoras do mundo e espalha-a por todo lado de uma forma incontrolável e nós depois ficamos com essa poluição, as doenças respiratórias, e lixo do plástico – pois o plástico cada vez é mais barato pois é um subproduto do petróleo que pela reciclagem e a produção constante cada vez é mais barato, acumulando-se nos seres vivos, nos rios e mares.
    – A produção e o desmantelamento das baterias pode ser poluidora mas é em locais bem definidos e pode ser controlada e minimizada ao contrário da poluição causada pelo petróleo.
    E o motivo mais importante – A QUEIMA DO PETRÓLEO ESTÀ A ALTERAR A ATMOSFERA E A MUDAR O CLIMA RAPIDAMENTE – O Deserto vem para Portugal e vamos ficar sem o vinho alvarinho e o do douro
    Devemos mudar para o que é melhor hoje e no futuro.

    • Li por aí na diagonal um pouco de todos os comentários e constatei o que imaginava. Anda tudo a vender a cassete que compraram algures numa feira do terceiro mundo. O petróleo é mau e não se recomenda. O elétrico é que é bom.
      Eu pessoalmente defendo o hidrogénio, isto é, o elétrico sem baterias de lítio. Trocar o petróleo pelo lítio é passar de cavalo para burro. É uma enorme asneira ambiental. O petróleo também é poluente na sua extração e posterior transformação e transporte mas o impacto do lítio é sobejamente superior, sobretudo se admitíssemos que todos os carros de repente seriam elétricos.
      E depois há quem refira o problema do impacto ambiental dos cavalos. A brincar quase que acertava num problema ambiental e que muito contribui para o efeito estufa: o problema dos gases do gado bovino, sobretudo com a intensificação da produção de carne animal para consumo humano.

  11. No principio do século 20 já não se podia com a poluição dos cavalos.Os automóveis apareceram e acabou a poluição. Esta é a vida Um ciclo

    • Caro Vitor Gaudêncio
      Poluição dos cavalos? Sério? O quê? A caca, nas ruas?
      Material orgânico, biodegradável, com utilização como fertilizante…
      A comida dos cavalos não era fóssil…
      Havia a criação de empregos de limpeza de ruas…

      Não foi a poluição, foi a baixa velocidade que ditou o abandono.

  12. Estupidez dinheiro e pulicao é totós não se vai lá
    Intelegençia será reduzir ao máximo transportes por exemplo ter alimentação de todo mundo num centro comercial que depois vai para o lixo alguém pensou no transporte que é pago pelo governo para simples capitalismo

  13. Cada vez mais estou virado para o transporte no burrinho sobretudo com a grande vantagem na diminuição dos acidentes.

  14. Tudo isto que li, dá para pensar !!!!!!!!!!………. Todas as medidas contra a poluição, passam por eliminar os “agentes poluentes” , não é ??… portanto a ideia é eliminar os componentes fosseis…óptimo !!!… mas as baterias, contem agentes fosseis igualmente, como a maior parte dos consumíveis diários que utilizamos, não é ??…. Portanto indo por estas diversas opiniões e constatações que a Alemanha e amigos comentadores aqui expõem, só vejo uma solução ao problema ….Eliminar os agentes mais poluentes deste Planeta, ou seja a raça Humana !!!… certo ???

    • Será algo que não devemos colocar, o objectivo é cá continuar este bicho e mais ops outros, não é?
      Num dos filmes MATRIX, o humano é comparado a um vírus, não é?

      No caso das baterias, tratando-se dos seus componentes maioritariamente minerais (cobre, litio,…), não havendo a queima ou decomposição molecular, poder-se-á aceitar que reentrariam no ciclo natural.

  15. Caro , Carlos …..Foi com uma pequena dose de ironia, que reagi a este tema ou “problema”, não leve a peito, a minha intervenção . A Era Industrial que desde 1760, as novas tecnologias de hoje, provocaram e continuaram a provocar incidências mais ou menos nefastas no nosso ambiente e eco-sistema, infelizmente ou felizmente somos aquilo que somos, a que ser pragmático !

  16. Ainda não entendi onde é que tudo isto é novidade, a estranhar apenas está notícia vir do país que iniciou a extinção dos automóveis a diesel.
    No final de contas vieram a descobrir que depois de começarem com esta guerra e a venda dos diseis terem diminuído drasticamente, o nível de (co) não só aumentou quase duas vezes como está a fazer toda a economia europeia cair a pique pois está a alterar as finanças nas empresas.
    Eu pessoalmente tenho 4 automóveis a diesel em casa e enquanto a vida assim me permitir, assim irá continuar.
    Diesel para a vida, pois tanto em consumo como em fiabilidade não existe ainda algo melhor.

  17. Estes traficantes de influencias, primeiro enganam o mundo com a trafulhice do diesel. O mercado brindou-os comprando ainda mais carros “trafulhados”. Claro que agora ainda atiram areia para os olhos do consumidor.
    Para o tuga tanto faz… até pode ser a carvao desde que seja moda.

  18. Andam a bater à volta do assunto e prendem-se a factos secundários.
    Não há maneira de reduzir a poluição pelos modos anunciados e nenhum deles passa de mezinha. Nunca se poderá chegar a resultados satisfatórios. é uma ilusão, perda de tempo e apoio à política económica assassina do consumismo dos EUA. Essa política exige um aumento contínuo da produção, a qual só pode ser absorvida por um aumento contínuo da população mundial. Como é impossível viver sem poluir, a única maneira de reduzir a poluição é acabar com essa política de consumismo assassina, que também extingue os recursos naturais da Terra, reduzindo a população mundial.

  19. Não resisto a deixar a minha opinião. A China está a preparar uma grande ofensiva à europa na comercialização de carros elétricos a preços muito baixos, que irão transtornar os preços do fabrico automóvel, principalmente nos fabricantes alemães. Isto poderá arruinar as marcas alemãs. Penso que é por essa razão que a Alemanha se opõe ao uso da energia elétrica nos automóveis. Está com muito receio da invasão tecnologica chinesa.

  20. Claro que o litio polui.. No processo de extração e nos resíduos resultantes da produção. Assim sendo, toda a zona envolvente, nomeadamente os cursos de água, terrenos, fauna e flora ficam altamente poluídos. A troco de uns postos precários não compensa hipotecar a saúde e beleza paisagística das regiões envolvidas.

  21. Ainda existe quem acredite no pai natal e impressionante como todos são manipulados. Acham que alguem quer saber do ambiente? E tudo uma questão de dinheiro e interresses para mim como utilizador o carro eletrico é bem melhor pois posso carregar a custo reduzido ou 0. Outra coincidência é o estudo vir da almanha o maior produtor de carros a combustivel fossil ja para não falara no intresse do governo no imppsto sobre os combistiveis fósseis QUE É DE 70%

Crise entrou em nova fase mas mundo "não está fora de perigo", diz FMI

A diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, disse esta quinta-feira que a crise provocada pela pandemia entrou numa nova fase, que exige flexibilidade para assegurar "uma recuperação sustentável e equitativa", alertando que o mundo …

China bane importação de ovelhas portuguesas

As alfândegas chinesas baniram as importações de ovelhas e produtos relacionados de Portugal, alegando um aviso da Organização Mundial de Saúde Animal sobre um surto de paraplexia enzoótica dos ovinos na Guarda. A notícia foi avançada …

Tânia já pode abraçar os filhos. Livrou-se do coronaírus ao 16º teste após 4 meses isolada

A algarvia Tânia Poço foi, finalmente, dada como "curada" de covid-19 após quatro meses de confinamento. Aquele que terá sido o caso mais prolongado da infecção em Portugal, chegou ao fim com o 16º teste …

Exame de Matemática A criticado. Prova "infeliz" não permite "distinguir" alunos

A Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM) criticou esta quinta-feira a elaboração do exame nacional de Matemática A, prova realizada por mais de 38.699 alunos que pretendem concorrer ao Ensino Superior. No entender da SPM, "o …

Ninguém quer o novo aeroporto do Montijo. Medina apela a "avanço" na decisão

Autarcas e ambientalistas foram ouvidos, esta quarta-feira, no Parlamento, onde se discutiu o projeto do novo Aeroporto do Montijo. A posição de ambos parece clara: ninguém quer avançar com a ideia. A construção do aeroporto …

Pandemia acelera nos Estados Unidos. Uso de máscara pode salvar 40 mil vidas

Os Estados Unidos ultrapassaram pela primeira vez a barreira dos 70 mil casos de covid-19, nas últimas 24 horas, elevando para mais de 3,49 milhões o total de contágios no país, indicou a Universidade Johns …

Presidente polaco falou ao telefone com Guterres sobre a comunidade LGBT e a 2.ª Guerra (mas não era Guterres)

O recém-eleito Presidente da Polónia, Andrzej Duda, julgava que estava a conversar por telefone com António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas. Falou-se da pandemia, da comunidade LGBT e da II Guerra Mundial. Porém, do outro …

Itália pediu ajuda, Europa ficou em silêncio e o vírus cavalgou por todo o continente

A lenta resposta a um inimigo invisível, a falta de stock de equipamentos de proteção, um Ocidente a festejar o Ano Novo e uma Europa com as atenções centradas no Brexit. Um cocktail desastroso que …

Empresas vão poder pedir lay-off em meses interpolados. Trabalhadores recebem subsídio de Natal a 100%

O novo apoio de lay-off que vai substituir o atual regime de lay-off simplificado a partir de agosto vai poder ser pedido pelas empresas em "meses interpolados", podendo desistir do regime e retomá-lo mais tarde. De …

Rombo na economia deixa orçamento retificativo à vista

O ministro das Finanças, João Leão, admitiu alterar as projeções de crescimento económico para 2020 com um orçamento retificativo. Em causa está uma queda mais acentuada da economia. A pandemia obrigou a um orçamento suplementar, onde …