/

“Capa de invisibilidade”. Novo material permite ocultar objetos

9

A empresa canadiana fabricante de uniformes de camuflagem para militares, HyperStealth Biotechnology, anunciou quatro pedidos de patente, todos relacionados com o Quantum Stealth.

O material também é chamado de “capa de invisibilidade”. O inventor dos quatro pedidos de patente é o presidente da HyperStealth, Guy Cramer.

O material não precisa de fonte de energia para funcionar, é fino como uma folha de papel e é relativamente barato. A patente menciona 13 versões do material e permite outras configurações.

O primeiro pedido de patente é do Quantum Stealth, que faz com que o objeto atrás dele pareça invisível. Para além de conseguir esconder pessoas, também consegue ocultar tanques, aeronaves, navios e construções. A tecnologia causa um desvio na luz à volta do objeto no espectro visível, ultravioleta, infravermelho e infravermelho de onda curta. Ao mesmo tempo, o material bloqueia o espectro da radiação térmica.

O segundo pedido de patente é para um “amplificador de painel solar”, que utiliza o mesmo material de lente, essencial para as outras aplicações desenvolvidas. A terceira patente chamada de “Display System” produz imagens holográficas, com recurso a um projetor.

O quarto pedido de patente é para dispersão, desvio e manipulação de laser. Com isto, um laser pode ser dividido em milhares de lasers mais pequenos, podendo funcionar como radar. Esse sistema costuma ser montado com o uso de laser, espelhos que giram e recetor ótico. Assim, os computadores podem determinar condições perigosas e identificar objetos mais rapidamente, aumentado a segurança tanto de veículos como de pedestres.

A HyperStealth divulgou mais de 100 minutos de filmagem com descrições e demonstrações do material. Nas imagens o destaque vai para o uso militar do material, que aparece ocultar um tanque e um jato em escala reduzida.

  ZAP // HypeScience

9 Comments

  1. Que coisa tão básica… Isto é a tecnologia menos desenvolvida que eles têm, porque têm muito melhor.
    E lembre-se disto: quando tecnologia “nova” é divulgada ao público, já o complexo industrial militar tem testado e usado essa mesma tecnologia há 50 anos…

    • E a prova disso é que um atual carregador de portátil ou fonte de alimentação de PC desktop usa tecnologia que começou a ser usada nos primeiros misseis inter-continentais ha 30-40 anos. É só pesquisar no g**gle.

    • “Eles”… “eles” quem?!
      Mais secretismo e conspirações!…
      Ai essas palestras de YouTube com “professores” formados na “universidadde” da IURD…

      • A menina pelos vistos já não é a primeira vez que não sabe ler e interpretar o que está escrito… ELES = COMPLEXO INDUSTRIAL MILITAR. Sempre a mandar postas de m*rda.
        Já agora, se não sabes separar da informação, o trigo do joio, não admira que sejas ignorante em muitos níveis de conhecimento. Nem sei porque raio metes a IURD ao barulho, mas enfim… conversa de quem não tem argumentos sobre o assunto em questão.
        Cultiva-te mas é.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE