Caos nos hospitais do Egito. Vídeo mostra pacientes a morrer por falta de oxigénio (e governo baniu smartphones para evitar mais denúncias)

Nos últimos dias, o Egito foi atingido por um escândalo: um vídeo, que foi partilhado nas redes sociais, mostra duas unidades de cuidados intensivos de dois hospitais públicos (hospital Zefta General e hospital Al-husseineya), com vários doentes infetados com covid-19, que terão morrido devido à falta de oxigénio.

O vídeo de Ahmed Mamdouh começou a circular no domingo, mostrando médicos desesperados a tentar salvar pacientes na unidade de cuidados intensivos do hospital al-Husseiniya, depois dos recursos de oxigénio terem, alegadamente, acabado.

Todos nestes cuidados intensivos morreram. Só os profissionais de saúde é que não estão mortos […] Há falta de oxigénio”, ouve-se no vídeo.

O cenário é de terror: médicos e enfermeiros procediam à reanimação de alguns doentes, enquanto os corredores dos hospitais se enchiam de gente a correr de um lado para outro, aos gritos.

A imagem de uma enfermeira sentada no chão, no canto de uma divisão, exausta e em choque, tornou-se a imagem mais partilhada por pessoas indignadas com a situação.

Para muitos, a imagem da enfermeira sentada no chão no hospital al-Husseiniya é um símbolo do fracasso do Egito em conter a pandemia de covid-19.

As autoridades egípcias abriram um inquérito para averiguar o que se tinha passado e os responsáveis políticos rapidamente reagiram.

Mamdouh Ghorab, governador de Sharquia – cidade onde se localiza o hospital Al-husseineya -, descartou que as mortes tenham como origem a falta de oxigénio.

Ghorab admitiu a morte de quatro pacientes – duas mulheres na casa dos 60 e dois homens com 44 e 76 anos -, mas disse que estes terão morrido de “causas naturais”, devido a doenças crónicas.

Também a ministra da Saúde do Egito, Hala Zayed, destacou que existiam “recursos de oxigénio suficientes em todos os hospitais que receberam pacientes com coronavírus”.

Já Sayed Rahmo, membro do Parlamento, refutou essas declarações: “Os pacientes morreram como resultado de negligência no hospital al-Husseiniya e da má gestão da crise de escassez de oxigénio.”

“De acordo com as minhas fontes, o médico intensivista informou o diretor do hospital sobre a escassez de oxigénio, pelo menos uma hora [antes da catástrofe]”, disse Rahmo.

O homem que filmou o caos foi notificado pela polícia egípcia para comparecer a interrogatório esta segunda-feira, depois de o vídeo causar indignação online, disseram fontes locais ao Middle East Eye.

Tanto Ahmed Mahdou, como a empresa de segurança que permitiu que filmasse nas instalações hospitalares, poderão ser acusados de criar “pânico entre os cidadãos”.

O escândalo no hospital al-Husseiniya ocorreu horas depois de um incidente semelhante no hospital geral Zefta, em Gharbiya, onde uma mulher angustiada filmou cenas caóticas.

“Vou expor-vos em todo o lado… Governo nojento”, grita a mulher.

Abdel Nasser Hemida, subsecretário do Ministério da Saúde de Gharbiya, também negou, no entanto, a escassez de oxigénio.

Governo egípcio baniu smartphones dos hospitais

Depois de abrir um inquérito para investigar o caso, o governo egípcio foi mais longe e baniu os smartphones de todos os hospitais.

A decisão partiu da ministra da Saúde, que decidiu banir a utilização de smartphones nos hospitais. Além disso, câmaras e máquinas de filmar também estão proibidas, segundo a imprensa egípcia.

De acordo com o Observador, as famílias dos pacientes já manifestaram a sua preocupação por não poderem entrar em contacto com quem está internado, mas a decisão mantinha-se pelo menos até esta segunda-feira.

O serviço de saúde do Egito está à beira da rutura após um aumento de casos de covid-19. O país totaliza, desde o início da pandemia, 150.753 infeções por covid-19 e 8.249 mortes por SARS-CoV-2.

Sofia Teixeira Santos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Hélder Amaral: "O meu partido de sempre está a morrer"

Em declarações ao semanário Expresso, o antigo deputado do CDS-PP, Hélder Amaral, diz-se desiludido com o seu partido. O ex-deputado centrista Hélder Amaral, que foi também presidente da distrital de Viseu, não está feliz com o …

EDP antecipa pagamento a mais de mil fornecedores em Portugal e Espanha

A EDP vai antecipar o pagamento a mais de mil fornecedores, uma iniciativa que, à semelhança do que já aconteceu no último ano, irá manter-se para todos os pagamentos a fornecedores ao longo do primeiro …

Há centenas de pessoas em busca de tesouros que não existem na Índia (e a culpa é de um boato)

Moradores de pelo menos três vilas no distrito de Rajgarh, no estado indiano de Madhya Pradesh (MP), passaram a última semana à procura de um tesouro antigo que provavemente não existe. Centenas de aldeões estão a …

João Ferreira diz que Marcelo deixou jovens em situação de "vulnerabilidade" (e elogia lay-off a 100%)

João Ferreira criticou este sábado o atual Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa por deixar os jovens em situação de "vulnerabilidade". O candidato presidencial João Ferreira afirmou, este sábado, que o Presidente da República, Marcelo …

Marisa Matias critica que apenas 1% do orçamentado seja gasto com cuidadores informais

Marisa Matias, candidata presidencial apoiada pelo Bloco de Esquerda, criticou este sábado que apenas tenha sido executado 1% da verba prevista no Orçamento do Estado para 2020 para os projetos-piloto dos cuidadores informais. Os atrasos e …

Ana Gomes considera "elucidativo" que Sócrates a ataque e elogie Marcelo

Ana Gomes, candidata às eleições presidenciais, considerou “elucidativo” que o antigo primeiro-ministro José Sócrates a tenha atacado e elogiado Marcelo Rebelo de Sousa. Questionada pelos jornalistas sobre o artigo de José Sócrates divulgado na sexta-feira, em …

Só pela profissão, professores "não são grupo de risco"

Graça Freitas reconheceu a importância dos professores "para o funcionamento do país", mas rejeitou considerá-los um grupo de risco esta sexta-feira. Os professores não são considerados um grupo de risco que deva ser integrado entre as …

João Leão infetado com covid-19

João Leão, ministro das Finanças, testou positivo à covid-19. O governante encontra-se assintomático e em confinamento domiciliário. O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, testou positivo à covid-19. A informação foi adiantada este sábado …

Ricardo Salgado quer anular multa de 75 mil euros

A defesa de Ricardo Salgado recorreu ao Supremo Tribunal de Justiça para tentar anular uma decisão do Tribunal da Relação de Lisboa que confirmou uma multa de 75 mil do Banco de Portugal por causa …

Portugueses começam a votar nas Presidenciais este domingo. Há 246 mil inscritos

Os portugueses começam a votar já neste domingo, uma semana antes das eleições Presidenciais de 24 de janeiro, no chamado voto antecipado em mobilidade para que se inscreveram mais de 246 mil eleitores. As europeias e …