/

O candidato de Costa ao Porto só durou 24 horas (e a “asneira” pode sair-lhe cara)

8

Hugo Delgado / Lusa

Está lançada a confusão no PS Porto com a escolha do candidato do partido às próximas eleições autárquicas. O secretário de Estado da Mobilidade, Eduardo Pinheiro, não resistiu às reacções negativas à sua escolha para a missão e agora, António Costa leva com as balas de uma “asneira” que lhe pode sair cara.

Eduardo Pinheiro foi uma escolha de António Costa para atacar a Câmara do Porto numa altura em que Rui Moreira, o actual presidente da autarquia que se recandidata, enfrenta a justiça no caso Selminho.

Mas a escolha do secretário-geral do PS despoletou críticas e reacções negativas na distrital do Porto. A “falta de notoriedade do ex-autarca de Matosinhos” terá sido um dos pontos críticos apontados nos bastidores por elementos socialistas, como avança o Expresso.

Perante a falta de consenso, Eduardo Pinheiro desistiu da candidatura.

Contudo, o Expresso nota que ele também pode ter decidido recuar pelo facto de a mulher ser “accionista e gestora da Território XXI, empresa que regista 46 contratos com entidades públicas e municípios”. Assim, terá evitado polémicas antes de estas saírem nas capas dos jornais.

O que é certo é que a desistência deixa Costa mal na fotografia. Um dirigente do PS no Porto acusa-o de ter cedido “a egos em detrimento dos interesses da cidade”, conforme cita o Expresso.

Este elemento entende que “José Luís Carneiro era de longe o melhor trunfo e um sinal que o partido não renunciava de véspera ao Porto”.

Porém, “para travar uma guerrilha interna, [Costa] deixou cair o Porto“, salienta um deputado socialista ao semanário.

António Costa fez asneira. É uma humilhação para os socialistas do Porto e para a cidade”, consideram outros elementos do partido citados pelo Expresso.

Com esta onda de críticas, Costa vai fragilizado para o próximo Congresso do PS, dentro de cerca de um mês, onde procurará ser reeleito como secretário-geral. Não se espera que esse desejo esteja em causa, mas parece evidente que a confusão com o candidato ao Porto terá repercussões nessa eleição.

Por outro lado, todo este imbróglio pode fragilizar o próprio candidato escolhido às autárquicas no Porto.

Em busca de “solução vitoriosa” para o Porto

Entretanto, o PS Porto não se entende quanto ao nome do candidato para a segunda maior autarquia do país.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Costa já passou a bola, salientando que “a Comissão Política Concelhia ou a Federação Distrital saberão encontrar uma solução vitoriosa“. Mas essa solução está a ser difícil…

Eduardo Pinheiro era uma das quatro possibilidades especuladas, a par de José Luís Carneiro, Tiago Barbosa Ribeiro e Manuel Pizarro.

O vice-presidente da Federação Distrital do PS no Porto e autarca de Vila Nova de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, considera que a melhor escolha é Manuel Pizarro, actual presidente da distrital.

“Existe um conjunto de pessoas que tem muita vontade de o ver, até para corporizar um espírito de unidade“, considera o autarca em declarações à TSF.

Quanto a José Luís Carneiro, Eduardo Vítor Rodrigues nota que “é um nome possível”, mas não é “a solução mais adequada”.

José Luís Carneiro descarta ser candidato

Entretanto, o próprio José Luís Carneiro já se veio colocar de fora da corrida, notando que já comunicou à concelhia e à Federação do PS a sua “indisponibilidade”.

“Apesar de apelos de muitos militantes, simpatizantes, cidadãos e instituições da cidade para que reponderasse a decisão relativa à candidatura à Câmara do Porto e aceitasse ser candidato, e depois de muito ponderar, reiterei à concelhia e Federação do PS a minha indisponibilidade”, aponta o secretário-geral adjunto do PS numa mensagem enviada à agência Lusa.

“Compete agora à concelhia e à Federação, de acordo aliás com os estatutos, encontrar o candidato com perfil adequado e a força política necessária para dar à cidade do Porto uma resposta às dificuldades do presente e um sentido de futuro”, aponta ainda José Luís Carneiro.

Maria do Rosário Gamboa rejeitou convite

O Público refere que o PS Porto se tem “desdobrado em contactos e reuniões com “personalidades da vida política portuense”” em busca de um candidato consensual.

Uma das pessoas abordada terá sido a deputada Maria do Rosário Gamboa, coordenadora do grupo parlamentar socialista na Comissão de Cultura e Comunicação, segundo o jornal. Mas a deputada independente “terá recusado o convite”, assegura o mesmo diário.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

  ZAP // Lusa

8 Comments

  1. qualquer candidato desse partido sera bessimo…..talvez vao apiar a candidatura dos blocos de cimento da ponte da arrabida ou ate mesmo os gatinhos de agua da foz…..que tal sucias pode sert que com alguns trocos de votos e de favores……consigam eleger um vereador escondido no meio da molhada…….

  2. Ó xuxas do Porto e do país, não se preocupem com o vosso candidato porque estais carecas de saber, que os verdadeiros portuenses não querem socialistas a governar a sua cidade. E também sabem que o lugar já está destinado a Rui Moreira quer queiram ou não, bem podem falar mal, pô-lo nas ruas da amargura por causa da ‘Selminho’ mas não sois capaz de pensar nos antecedentes do Pizarro e as mal-feitorias dele enquanto secretário de Estado socrático, das negociatas com os derivados de sangue do Lalanda e Castro na chamada ‘Máfia do Sangue’!.

  3. Divertido, esta anedota só poderia sair do Portista, o PS distrital não existe, foii vendido ao FC Porto, via Rui Moreira. Pelo lado do PS subscreveram o acordo o então secretário.geral, António Seguro, os incompetentes Manuel Pizarro, um obscuro ex-secretário de Estado e o actual líder da C.M. de VN Gaia. E convém lembrar que quando da venda do PS Porto, este era tradional e historicamente a força política predominante no Distrito, o que torna inexplicável . aparentemente, óvio – a submissão a um candidato dito “independente”. Isto não aconteceu e nunca aconteceria com António Costa e já o demonstrou ao tornar inelegível a candidatura de Manuel Pizarro ao Parlamento Europeu. Só existe uma forma de regeneração do PS do Porto, a retirada da confiança política à direcção política distrital, mesmo que tal custe, no imediato, a CM de Gaia, sendo óbvio que o Porto está perdido. Se o no fizer, a corrupção na distrital apenas se agravará, com consequências incalculáveis para o PS a nível nacional.

  4. Não acredito que este comentário passe na censura, é só para avisar, segundo a minha experiência, que se os comentários não forem a bater no PS, no Governo, não vale a pena perder tempo porque não passará na censura.

  5. Se há alguém aqui que parece ter alguma dignidade, esse alguém deve ser o próprio candidato Eduardo Pinheiro ao ter a coragem de desistir, coisa tão rara em políticos e sobretudo nos socialistas, assim o tal magistrado empurrado pelo governo para Bruxelas tivesse tido a mesma coragem e dignidade evitaria ter posto o país em maus lençóis!

  6. Ridícula imagem que o PS evidencia, a par de uma falta de uma liderança, que seja capaz de, pelo menos, evitar a “luta de poleiro” entre os seus apaniguados e pôr termo aos negócios, em nome de familiares, com entidades públicas e municípios. Aonde está a tão propalada ética?

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE