Cancro do colo do útero pode ser extinto até 2100

Todos os anos, o cancro do colo do útero é a causa de morte de mais de 300 mil mulheres em todo o mundo – mas pode ser extinto até 2100.

No ano passado, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) sublinhou que é necessária uma maior atenção para a eliminação da doença. Agora, um estudo publicado na revista científica Lancet Oncology mostra que o problema pode mesmo ser erradicado até ao ano 2100 com o aumento da aplicação de vacinas.

Aliás, de acordo com o jornal The Guardian, a Austrália pode ser o primeiro país a ver este tipo de cancro extinto, já em 2035, com taxas anuais abaixo dos quatro casos por cem mil mulheres, nos próximos anos.

Mas tudo depende da vacinação, alertam os especialistas. “Dependerá da sustentação das taxas de participação nos programas de vacinação contra o HPV e das iniciativas de rastreio do colo do útero, a nível local”, explicou a coordenadora da investigação, Karen Canfell, do Conselho de Prevenção para o Cancro do País de Gales.

A vacina HPV (do vírus do papiloma humano), que protege contra o vírus que está na origem da maioria dos casos de cancro do colo do útero, já conseguiu reduzir algumas estatísticas ao longo dos anos.

Se o programa de vacinação for seguido, a doença pode deixar de existir dentro de 81 anos – mas apenas em alguns países. Os mais desenvolvidos conseguiriam ver eliminada a doença até ao final do século, enquanto aqueles menos desenvolvidos ainda teriam entre quatro e 14 casos por cem mil. Países como Inglaterra, Finlândia, EUA e Canadá, por exemplo, conseguiriam a extinção do problema entre 2055 e 2059.

Apesar das estimativas da investigação, o desafio pode ser mais difícil do que se imagina, recorda o Diário de Notícias. As campanhas dos programas de vacinação contra o HPV têm sido bem recebidas na generalidade dos países da Europa, mas não são bem-vindas em muitas outras zonas do mundo.

Na Dinamarca e na Irlanda as taxas de vacinação sofreram um decréscimo acentuado depois da publicação de documentários que davam a conhecer casos de raparigas que terão adoecido após a vacina, causando fadiga crónica e dores intensas. Mais tarde, uma investigação da Agência Europeia de Medicamentos revelou que as vacinas não eram responsáveis por estes sintomas específicos.

Também no Japão, a decisão de suspender a recomendação da vacinação contra este vírus levou a uma queda drástica na taxa de aceitação, descendo de mais de 75% para menos de 1%, de acordo com os dados do projeto The Vaccine Confidence, da escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres.

A diretora da iniciativa, Heidi Larson, admitiu que há um longo caminho a percorrer na consciencialização para estes programas, uma vez que sempre que os pais procuram mais informação sobre a vacina, deparam-se com histórias negativas. “É um desafio. É preciso muito trabalho e muito envolvimento. No entanto, é uma das melhores vacinas que temos”, disse.

A cientista Karen Canfell assegura que a vacina contra o HPV foi várias vezes confirmada pelo Comité Global sobre Segurança das Vacinas. Em 2017, foram administradas “mais de 270 milhões de doses de vacinas” contra este vírus. Em Portugal, a vacina contra o HPV arrancou em outubro de 2008, incluída no Programa Nacional de Vacinação.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Se quer um coração saudável, desligue a televisão e tome um bom pequeno-almoço

É conhecida como a refeição mais importante do dia e não é por acaso. Os hábitos de vida que seguimos diariamente têm um impacto direto na nossa saúde vascular. Numa investigação recentemente apresentada na reunião anual …

Determinada temperatura das bebidas que aumenta risco de cancro

Cientistas da Universidade de Ciências Médicas de Teerão publicaram novas provas sobre a relação entre o consumo de bebidas quentes e o cancro do esófago. De acordo com o estudo publicado na revista International Journal of …

Descobertos 83 buracos negros supermassivos no Universo inicial

Astrónomos do Japão, de Taiwan e dos EUA descobriram 83 quasares alimentados por buracos negros supermassivos no universo distante, numa época em que o Universo tinha menos de 10% da sua idade atual. "É notável que …

Joy Milne consegue cheirar a doença de Parkinson antes de ser diagnosticada

Atualmente, não existe nenhum teste diagnóstico definitivo para o Parkinson, mas isso pode mudar graças a Joy Milne, uma mulher que consegue detetar a doença antes que os sintomas apareçam. Parece demasiado bizarro para ser verdade, …

Filho de José Eduardo dos Santos libertado da prisão. Estava preso desde setembro de 2018

O antigo presidente do Fundo Soberano de Angola, José Filomeno dos Santos, que se encontrava em prisão preventiva desde 24 de setembro de 2018, encontra-se já em liberdade, disse hoje à agência Lusa fonte oficial. A …

Naufrágio no Nilo é a primeira prova de que Heródoto não estava a mentir sobre os barcos egípcios

Um navio naufragado encontrado no rio Nilo pode ter permanecido inalterado durante mais de 2.500 anos. Agora, está finalmente a revelar os seus segredos: cientistas pensam que este navio revelou uma estrutura cuja existência tem …

A gravidade influencia a maneira como tomamos decisões

Todo e qualquer organismo vivo na Terra evoluiu a longo de milhares de anos sob um campo gravitacional constante, com a gravidade desempenhando um papel fundamental no comportamento e na cognição humana. Um estudo recente publicado …

"Atentado" na Disneyland Paris era apenas uma avaria nas escadas rolantes

Por volta das 21h00 em Paris, produziu-se um movimento de pânico na Disney Village, no parque de diversões francês da Disney. Rapidamente se multiplicaram mensagens sobre um "atentado". Ao jornal belga DH, uma fonte afirmou que …

Cientistas alargam limites físicos do grafeno

Até onde vão os limites físicos do grafeno? Uma equipa de cientistas do Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), em Braga, respondeu a esta questão e desafiou-os. Uma equipa de investigadores dos Departamentos de Materiais Quânticos …

Ilusionista britânico diz que vai travar o Brexit com o poder da mente

Uri Geller é um ilusionista israelista, com nacionalidade britânica, que se tornou famoso nos anos 1970 em programas de televisão em que realizava demonstrações dos seus alegados poderes paranormais. Agora, Geller deixa um aviso a Theresa …