Cancro do colo do útero pode ser extinto até 2100

Todos os anos, o cancro do colo do útero é a causa de morte de mais de 300 mil mulheres em todo o mundo – mas pode ser extinto até 2100.

No ano passado, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) sublinhou que é necessária uma maior atenção para a eliminação da doença. Agora, um estudo publicado na revista científica Lancet Oncology mostra que o problema pode mesmo ser erradicado até ao ano 2100 com o aumento da aplicação de vacinas.

Aliás, de acordo com o jornal The Guardian, a Austrália pode ser o primeiro país a ver este tipo de cancro extinto, já em 2035, com taxas anuais abaixo dos quatro casos por cem mil mulheres, nos próximos anos.

Mas tudo depende da vacinação, alertam os especialistas. “Dependerá da sustentação das taxas de participação nos programas de vacinação contra o HPV e das iniciativas de rastreio do colo do útero, a nível local”, explicou a coordenadora da investigação, Karen Canfell, do Conselho de Prevenção para o Cancro do País de Gales.

A vacina HPV (do vírus do papiloma humano), que protege contra o vírus que está na origem da maioria dos casos de cancro do colo do útero, já conseguiu reduzir algumas estatísticas ao longo dos anos.

Se o programa de vacinação for seguido, a doença pode deixar de existir dentro de 81 anos – mas apenas em alguns países. Os mais desenvolvidos conseguiriam ver eliminada a doença até ao final do século, enquanto aqueles menos desenvolvidos ainda teriam entre quatro e 14 casos por cem mil. Países como Inglaterra, Finlândia, EUA e Canadá, por exemplo, conseguiriam a extinção do problema entre 2055 e 2059.

Apesar das estimativas da investigação, o desafio pode ser mais difícil do que se imagina, recorda o Diário de Notícias. As campanhas dos programas de vacinação contra o HPV têm sido bem recebidas na generalidade dos países da Europa, mas não são bem-vindas em muitas outras zonas do mundo.

Na Dinamarca e na Irlanda as taxas de vacinação sofreram um decréscimo acentuado depois da publicação de documentários que davam a conhecer casos de raparigas que terão adoecido após a vacina, causando fadiga crónica e dores intensas. Mais tarde, uma investigação da Agência Europeia de Medicamentos revelou que as vacinas não eram responsáveis por estes sintomas específicos.

Também no Japão, a decisão de suspender a recomendação da vacinação contra este vírus levou a uma queda drástica na taxa de aceitação, descendo de mais de 75% para menos de 1%, de acordo com os dados do projeto The Vaccine Confidence, da escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres.

A diretora da iniciativa, Heidi Larson, admitiu que há um longo caminho a percorrer na consciencialização para estes programas, uma vez que sempre que os pais procuram mais informação sobre a vacina, deparam-se com histórias negativas. “É um desafio. É preciso muito trabalho e muito envolvimento. No entanto, é uma das melhores vacinas que temos”, disse.

A cientista Karen Canfell assegura que a vacina contra o HPV foi várias vezes confirmada pelo Comité Global sobre Segurança das Vacinas. Em 2017, foram administradas “mais de 270 milhões de doses de vacinas” contra este vírus. Em Portugal, a vacina contra o HPV arrancou em outubro de 2008, incluída no Programa Nacional de Vacinação.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Afinal, o universo pode ser 2 mil milhões de anos mais novo do que pensávamos

Novos cálculos sugerem que o universo pode ser dois mil milhões de anos mais novo do que aquilo que se pensava. Contudo, é difícil saber com exatidão a sua verdadeira idade. Os cientistas calculam a idade …

O maior vulcão de uma lua de Júpiter pode estar prestes a entrar em erupção

O maior vulcão de Io, uma das quatro grandes luas de Júpiter, pode estar prestes a explodir. Décadas de observação mostram um ciclo periódico nas erupções deste vulcão. De acordo com o Science Alert, o vulcão …

Crianças e adolescentes são quem mais consome açúcar em Portugal

Um estudo do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP), que teve por base o Inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física, concluiu que as crianças e os adolescentes são quem mais consome …

A Rússia já sabe como apareceu a fissura na nave Soyuz (mas não revela)

A Corporação Espacial Estatal da Rússia, Roscosmos, já sabe qual é a origem da fissura encontrada há um ano na nave Soyuz MS-09, acoplada à Estação Espacial internacional. Mas não revelará mais informações. "O buraco foi …

SIVRAC, a bicicleta elétrica que se dobra em apenas um segundo

Com um quadro em forma de "X" e dobrável num estalar de dedos, a nova SIVRAC promete ser uma solução prática para quem viaja, por exemplo, de bicicleta para o trabalho. A bicicleta é um …

Porto 2-1 Young Boys | Dragão de duas faces com estreia feliz

O FC Porto entrou na Liga Europa com o pé direito, ao vencer o Young Boys por 2-1, no Estádio do Dragão. Uma primeira parte de enorme qualidade, na qual os suíços só por uma …

Dois turistas foram apanhados a nadar nus em Veneza. Vão pagar 3 mil euros cada um

Os homens checos estavam em Itália para apoiar a sua equipa de futebol - o Slavia de Praga que jogou contra o Inter em Milão -. Os dois visitantes, em Veneza, decidiram dar um mergulho. Um …

Voar sobre as águas do Sena. Paris testa "bolha do mar", um barco-táxi amigo do ambiente

Paris está a testar um novo meio de transporte mais amigo do ambiente: um barco-táxi ecológico que desliza nas águas do rio Sena. Esta semana, o sea bubble (bolha do mar) está em testes no rio …

Há uma "Matilde" na Bélgica que também precisa do medicamento mais caro do mundo

Mais de 950 mil belgas responderam ao apelo de um casal, que precisava de reunir 1,9 milhões de euros para comprar o medicamento mais caro do mundo para a filha. Pia, de nove meses, sofre de …

System of a Down confirmados no festival VOA, no Estádio Nacional

Os System of a Down são a primeira grande confirmação do VOA - Heavy Rock Festival, que em 2020 se realiza a 2 e 3 de julho no Estádio Nacional. De acordo com a Blitz, este …