/

Campeão olímpico despedido após comentários sobre o Super-Homem

3

Maurício Souza causou polémica quando os seus comentários foram considerados homofóbicos.

O caso começou com uma publicação sobre o Super-Homem e terminou com a rescisão do contrato de um campeão olímpico de voleibol.

Há cerca de duas semanas foi anunciado que o novo Super-Homem, filho de Clark Kent e de Lois Lane, vai aparecer para salvar florestas, crianças e refugiados, e irá também ter uma relação homossexual.

Esta última novidade foi o pretexto para o jogador Maurício Souza, campeão olímpico em 2016, escrever: “Ah, é só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar”.

Douglas, outro internacional brasileiro, reagiu: “Engraçado que eu não virei heterossexual por ver os super-heróis homens beijar mulheres. Se uma imagem como esta te preocupa, sinto muito, mas eu tenho uma novidade para a sua heterossexualidade frágil: vai haver beijo, sim”.

Maurício Souza escreveu, depois: “Hoje em dia o certo é errado e o errado é certo… Não se depender de mim. Se temos que escolher um lado, eu fico do lado que eu acho certo! Fico com minhas crenças, valores e ideias”.

Esta troca de comentários rapidamente passou a ser um assunto muito comentado no Brasil e, também rapidamente, o Minas Tênis Clube, onde joga(va) Maurício, avisou: “Todos os atletas têm liberdade para se expressar livremente mas não aceitamos manifestações homofóbicas“.

Nesta terça-feira, um dia depois das palavras do jogador, o Minas decidiu afastar temporariamente o atleta, que também foi multado.

Os patrocinadores começaram a pressionar para serem aplicadas medidas e três dos seus colegas de equipa (Maique, William e Henrique Honorato) afirmaram publicamente que estavam contra a publicação – embora, na reacção à própria publicação, outros jogadores brasileiros de voleibol apoiaram a ideia de Maurício.

Também na terça-feira, o jogador tentou retratar-se, nas redes sociais. No dia seguinte, quarta-feira, publicou um vídeo, pedindo desculpas a quem se sentiu ofendido, mas sublinhando: “Vou continuar a defender o que acredito“.

Quando este vídeo foi publicado, os directores do Minas Tênis Clube estavam a conversar sobre o futuro do jogador.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Minutos depois da divulgação do vídeo, o Minas anunciou: “O Minas Tênis Clube informa que o atleta Maurício Souza não é mais jogador do Clube”.

Uma frase apenas, sem mais detalhes, a anunciar o fim de uma ligação que terminava no final da presente temporada.

O primeiro comentário publicado no site oficial do Minas foi: “Lamentável! Vocês cederem a este tipo de imposição da comunicação social e dos internautas que só querem detonar o nosso modo de vida cristão e conservador”.

  Nuno Teixeira, ZAP //

3 Comments

  1. É verdadeiramente uma aberração esta ideia e outras…mas o guião está a ser seguido em várias vertentes, não é apenas o super-homem…

  2. Ele não fez comentários homofóbicos, mas a patrulha que quer separar todos no Brasil forçou os patrocinadores, ele ganhou varios seguidores no Twitter enquanto os patrocinadores perderam, até os sócios do clube foram contra a demissão, mas a patrulha de esquerda que persegue quem não vai pela cartilha foi culpada pela demissão por uma opinião, se for contrário a eles acontece isso

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.